Com profundo pesar, informamos aos nossos leitores o falecimento, no último dia 22, de Dom Juan Rodolfo Laise OFM, Bispo emérito de San Luis (Argentina), grande amigo do Instituto Plinio Corrêa de Oliveira.

Após se dedicar vários anos como infatigável confessor no convento dos Padres Capuchinhos de San Giovanni Rotondo (Itália) — o mesmo no qual São Padre Pio passou a maior parte de sua vida e onde repousa seu corpo incorrupto —, ele entregou ali sua piedosa alma a Deus.

Nascido em Buenos Aires em 1926, ordenou-se sacerdote franciscano da Ordem dos Frades Menores Capuchinhos em 1949. Seus funerais transcorreram na Igreja Santuário de Santa Maria das Graças, em San Giovanni Rotondo.

Grande admirador do Prof. Plinio Corrêa de Oliveira e de sua obra, Dom Laise, além de honrar com sua presença diversas atividades de TFPs europeias, celebrou missas no rito romano tradicional em sufrágio da alma do fundador da TFP brasileira. Uma dessas celebrações se deu por ocasião da visita que ele fez à cidade de São Paulo, em outubro de 2005. Reproduzimos a seguir excertos do memorável sermão proferido por ocasião dessa Missa, celebrada na Igreja de Nossa Senhora do Paraíso.

  • “Há 10 anos, em 3 de outubro de 1995, expirava plácida e santamente nesta cidade de São Paulo o Dr. Plinio Corrêa de Oliveira. […] No curso de quase todo o século XX, defendeu o Papado e a Igreja contra os ataques do totalitarismo nazista e comunista e contra o processo de autodemolição da Igreja Católica, particularmente durante a realização do Concílio Vaticano II e no pós-concílio, até sua morte. […] Essa é a memória que hoje celebramos: a recordação de Plinio Corrêa de Oliveira, filho fiel de Deus, militante da Igreja, coerente na sua fé, corajoso cruzado de Cristo, testemunha luminosa da verdade, que preferiu heroicamente o martírio da incompreensão e da injusta perseguição dos homens a ceder, ante as exigências da sua consciência sempre iluminada e fortificada pelos princípios imutáveis do Direito natural e divino. Seja o seu exemplo norma de vida para aqueles que hoje continuam a sua missão de ser testemunha luminosa da verdade de Deus, pedindo nesta Missa o que dizia Santa Teresinha de Lisieux, a quem Dr. Plinio professava uma grande devoção: ‘Je n´ai jamais cherché que la verité’ (Nunca procurei outra coisa senão a verdade”).

1 COMENTÁRIO

Deixe uma resposta