Beato Palau e a devoção ao Santo Sacrifício da Missa

Beato Palau

O bem-aventurado Francisco Palau y Quer O.C.D. ¹ nasceu no dia 29 de dezembro de 1811 em Aitona, na província espanhola de Lérida, e faleceu em 20 de março de 1872 esgotado pelo esforço prestado às vítimas de uma epidemia em Tarragona.

Fundou em Barcelona a “Escola da Virtude”, modelo de ensino catequético. Em 1860-61 fundou congregações de irmãos e irmãs carmelitanas terceiras, que deram origem posteriormente às congregações de Carmelitas Missionárias Teresianas e às Carmelitas Missionárias.

Pregou missões populares e difundiu a devoção a Nossa Senhora. Foi beatificado em 24 de abril de 1988. Sua festa litúrgica se celebra em 7 de novembro.

Como zeloso sacerdote, o Beato Palau tinha uma ardente devoção ao Santo Sacrifício da Missa, que é o centro do culto católico, perpetua os benefícios da Redenção sobre a posteridade de Adão e Eva.

Missa dos Cristeros, diante a perseguição Religiosa perpetrada pelo Estado Mexicano Ateu

A luta travada no Altar, através do Santo Sacrifício na Missa, aplacará a ira de Deus

Por isso mesmo, ele via na renovação incruenta do Sacrifício do Calvário a alma da resistência à Revolução e às falácias e obras dolosas do Anticristo e de suas prefiguras; ele escreveu:

Enquanto Satanás toma direito de aparece em público, atos religiosos como a Missa são proibidos. Estátua de Satanás concebida para ser montada em local aberto diante da prefeitura de Oklahoma City nos EUA

“A batalha se dá nesta ordem: do altar luta o sacerdote, e com o sacerdote o povo, contra a ira de Deus provocada pelo crime. (…)

“O triunfo da fé relativo à redenção de todas as nações, obtido sobre o altar mediante a oração e o sacrifício, traz consigo a vitória na segunda parte do acampamento, aquela ocupada pela magia maléfica, pelo espiritismo e pelos demônios visíveis nos corpos dos energúmenos. (…)

“Vencido o príncipe do mundo ante o trono de Deus, a partir do altar (…) fica o mundo sem rei e se dissolve como um cadáver” (“Programa”, El Ermitaño, Nº 41, 12-8-1869). ²

Proféticas palavras: “o culto católico desaparecerá como ato público e se sustentará nas catacumbas”…

Por essas razões, a perseguição revolucionária lançará mão dos recursos mais rebuscados para suprimir o Santo Sacrifício — centro do culto católico — e dissuadir aqueles que queiram celebrá-lo.

O Beato Palau tinha a firme convicção de que o culto católico nunca cessará, embora na aparência a religião universal anticristã o tenha banido dos templos e das cerimônias oficiais.

O Culto católico será o único a não se dobrar ante a Revolução. Também nisso se diferenciará radicalmente dos falsos cultos, resplandecendo em santidade, veracidade e luz divina.

“Não sendo possível acabar com o culto católico — afirmava o Beato Palau —, este será o único que sustentará a luta contra os decretos do “imperador” (do mal).

“O culto católico desaparecerá como ato público e se sustentará nas catacumbas, desertos e lugares escondidos” (“Incendio de barracas en Barcelona”, El Ermitaño, Nº 170, 8-2-1872, grifos nossos) ².

A história mostra que as perseguições não cessaram e a Fé também não!

Seriam palavras proféticas do Beato Palau que se aplicam aos dias atuais? Ainda é prematuo emitir um juízo sobre isso.

Mas uma coisa posso dizer com toda certeza, por exemplo, que para os Cristeros – heróis e mártires da perseguição anticatólica no México entre 1926 a 1929 – os sacramentos e de modo especial, a renovação do Sacrifício incruento do Calvário, à Santa Missa, foram seu sustentáculo na Fé.

Na Fé Católica, Apostólica e Romana – na Igreja, o Corpo Místico de Nosso Senhor Jesus Cristo –, assim como foi o sustentáculo dos primeiros mártires e será dos próximos e dos últimos mártires, conforme misteriosamente revela a Terceira parte do Segredo de Fatima: “Sob os dois braços da Cruz estavam dois Anjos cada um com um regador de cristal em a mão, neles recolhiam o sangue dos Mártires e com ele regavam as almas que se aproximavam de Deus.”( Tuy -3-1- 1944 )³

Para impedir os castigos previstos por Nossa Senhora de Fátima, o Anjo com sua espada de fogo apontava para a terra, mostrando a solução, dizendo com voz forte: Penitência, Penitência, Penitência!

Solução esta, aliás, já apontada pela Santíssima Virgem, onde pedia a todos oração, penitência e emenda de vida, – o que uma vez praticado – evitaria a cólera de Deus; e Seu Reino se estabeleceria na Terra conforme a promessa de Fátima: “Por fim o Meu Imaculado Coração Triunfará”.

Distribuição da comunhão na Missa aos Cristeros – o sustentáculo da Fé –, onde a Fé Católica era proibida pelo Estado maçônico-ateu Mexicano.

Referências:

  1. https://aparicaodelasalette.blogspot.com/p/beato-palau.html

2. https://aparicaodelasalette.blogspot.com/p/beato-palau.html#17080822

3. http://www.vatican.va/roman_curia/congregations/cfaith/documents/rc_con_cfaith_doc_20000626_message-fatima_po.html  

Deixe uma resposta