Seriedade

Nada é mais brilhante do que a seriedade.

A mais séria das pedras é o brilhante. Para quem sabe ver, o mais brilhante dos estados de alma é a seriedade.

A seriedade é hierárquica, visa os cumes, visa o absoluto.

O desejo do absoluto é o bater de coração da seriedade. É a alma da intransigência, o impulso da combatividade, a ponte do caminho.

A seriedade é o clima interior segundo o qual se ama a Deus.

Um amor não sério a Deus é como o sacrifício de Caim: um sacrifício não sério, de frutas podres, que exala uma fumaça e não sobe até o Céu.

O amor sério a Deus é como o sacrifício de Abel: queima a oferenda, cujo perfume se estende aos circunstantes e cujo fumo sobe ao trono do Altíssimo.

Aquele que quiser ser infeliz, evite a seriedade: a frivolidade, o vazio, o vácuo, a frustração, a derrota sentar-se-ão na cabeceira dele, e o acompanharão como fadas más, o dia inteiro.

Querendo ou não, todos estamos escrevendo nossas biografias. E no dia do Juízo, o volume é aberto e lido.

Deus toma profundamente a sério nossa falta de seriedade.

Seriedade digna, seriedade grave, seriedade gentil, seriedade respeitosa, seriedade afetuosa: é a verdadeira escola de viver.

  • Estas frases foram pronunciadas pelo Prof. Plinio Corrêa de Oliveira, em ocasiões diversas, e compiladas pela revista Catolicismo, n° 485, em Maio de 1991, sem revisão do autor.
Pont Neuf de Paris: seriedade grave, firme e forte da Idade Média
 
COMPARTILHAR
Artigo anteriorUniversidade “cristã” para os filhos dos déspotas da Coreia do Norte
Próximo artigoFiguras que encarnam concepções de vida
Plinio Corrêa de Oliveira
Homem de fé, de pensamento, de luta e de ação, Plinio Corrêa de Oliveira (1908-1995) foi o fundador da TFP brasileira. Nele se inspiraram diversas organizações em dezenas de países, nos cinco continentes, principalmente as Associações em Defesa da Tradição, Família e Propriedade (TFP), que formam hoje a mais vasta rede de associações de inspiração católica dedicadas a combater o processo revolucionário que investe contra a Civilização Cristã. Ao longo de quase todo o século XX, Plinio Corrêa de Oliveira defendeu o Papado, a Igreja e o Ocidente Cristão contra os totalitarismos nazista e comunista, contra a influência deletéria do "american way of life", contra o processo de "autodemolição" da Igreja e tantas outras tentativas de destruição da Civilização Cristã. Considerado um dos maiores pensadores católicos da atualidade, foi descrito pelo renomado professor italiano Roberto de Mattei como o "Cruzado do Século XX".

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe seu comentário!
Por favor insira seu nome