O antigo feudo de monges-cavaleiros foi por séculos um poderoso obstáculo ao avanço do Crescente sobre a Europa meridional (*)

Por Gustavo Solimeo

20 de dezembro de 2019

Em 23 de novembro último, Luiz Sérgio Solimeo apresentou na ilha de Malta seu livro Islam and the Suicide of the West: The Origin, Doctrine, and Goals of Islam [“Islã e o Suicídio do Ocidente: Origem, Doutrina e Metas do Islã”]. O livro é uma publicação da Sociedade Americana de Defesa da Tradição, Família e Propriedade (TFP).

O lançamento do livro foi oportuno por dois motivos. O primeiro é a disseminação do Islã por toda a Europa. A segunda razão é o grande valor simbólico do local: o antigo domínio da Ordem dos Cavaleiros Hospitalários de São João de Jerusalém (mais conhecido como Cavaleiros de Malta) foi durante séculos um poderoso obstáculo ao avanço do Crescente no sul da Europa .

“O escudo da Cristandade”

Malta é um país único, composto por três pequenas ilhas de calcário ‒ Malta, Gozo e Comino. Está situado no mar Mediterrâneo, entre dois continentes, ao sul da Sicília e ao norte da Tunísia, no norte da África.

O que torna Malta importante não é o seu tamanho nem a sua economia. É a sua localização geográfica, que controla a passagem entre o leste e o oeste do antigo Mare Mare Nostrum romano. De fato, seu valor estratégico foi reconhecido pelos fenícios, cartagineses, gregos e romanos; depois, pelos árabes, normandos e espanhóis, sucessivos senhores da ilha.

Em 1530, o imperador Carlos V deu o arquipélago como feudo aos Cavaleiros Hospitalários de São João de Jerusalém (a partir de então conhecidos como Cavaleiros de Malta). A presença deles protegeu o flanco sul da Europa dos contínuos ataques do Islã e fez de Malta o escudo da cristandade.

Esta história torna particularmente simbólico o lançamento de um livro sobre o Islã naquela ilha.

Uma Iniciativa Pro Malta Christiana

A Sociedade Maltesa para a Civilização Cristã ‒ Pro Malta Christiana (ver quadro) patrocinou o lançamento do livro. Os diretores da organização consideraram o livro e o assunto oportunos, tendo em vista a rápida e aparentemente inexorável islamização da Europa e de Malta.

O evento foi realizado no Centro de Palestras da Universidade de Malta. Participaram membros e apoiadores de Pro Malta Christiana, além de professores, estudantes e pessoas da sociedade local. A sessão foi moderada pelo Prof. Philip M. Beattie, fundador e presidente da Pro Malta Christiana e Professor Associado da Faculdade de Economia, Gestão e Contabilidade da mesma universidade.

Falaram três oradores. O primeiro, Stephen Florian, é ex-professor do Departamento de Estudos de Espanhol e América Latina da Universidade de Malta. Ele falou brevemente sobre a importância do assunto do livro no contexto da política mundial.

O Padre David Muscat, Vigário da paróquia da Assunção de Nossa Senhora, falou sobre alguns aspectos relevantes do novo livro. O douto sacerdote enfatizou como o livro corrigia uma visão distorcida de que o Islã tem muitos pontos em comum com a religião católica. Ele ressaltou como o livro mostra muito bem que esses pontos são inexistentes e, portanto, não podem servir de fundamento para o diálogo católico-muçulmano. O Padre Muscat ‒ um conhecido ativista pró-família e pró-vida ‒ concluiu destacando como o “inverno demográfico europeu agrava a ameaça islâmica”. Enquanto ondas de “migrantes” chegam do Oriente Médio e da África com suas famílias numerosas, os europeus não têm filhos.

Apresentando o Autor

O professor Beattie apresentou o autor do livro, Luiz Sérgio Solimeo, como um estudioso, pesquisador e educador que escreveu vários livros, artigos e ensaios sobre os efeitos da religião na cultura. O erudito autor, natural do Brasil, ensina Filosofia e História no Instituto Sedes Sapientiae, da TFP americana.

Depois de apresentar um breve resumo de seu livro, o Sr. Solimeo explicou a doutrina anti-trinitária do Corão, a qual mostra a completa incompatibilidade que existe entre o Islã e o Cristianismo.

“De fato”, observou ele, “se algo está claro no confuso Corão, é sua postura anti-trinitária: trata-se de um livro que visa combater o dogma cristão da Santíssima Trindade.

“O Corão nega o Deus Uno e Trino, isto é, em três Pessoas distintas: Pai, Filho e Espírito Santo, e interpreta a crença na Santíssima Trindade como politeísmo.

“Agora, de acordo com o Corão, o politeísmo e a idolatria são os pecados mais graves, para os quais não há perdão. Em consequência, o Islã luta insistentemente contra aqueles que acusa de serem politeístas que associam outros deuses a Allah.

“Essa negação da Santíssima Trindade não é uma questão puramente acadêmica”, ressaltou: “suas consequências práticas se refletem em sua história de perseguição ao Cristianismo e no terrorismo islâmico de hoje”.

Islam and the Suicide of the West: The Origin, Doctrine, and Goals of IslamSolimeo concluiu: “Aqui se entende bem que o radicalismo do ISIS e de outros movimentos terroristas islâmicos não é resultado de desvios espúrios, mas se originou do livro considerado sagrado por todos os muçulmanos, radicais e moderados”.

Hospitalidade maltesa

Após o evento de lançamento do livro, o autor experimentou o calor da hospitalidade tradicional maltesa. Os diretores do Pro Malta Christiana ofereceram ao autor e aos convidados um jantar típico em um excelente restaurante maltês, que defendeu bem a justa reputação da boa culinária da ilha…

Baixe o PDF gratuitamente http://store.tfp.org/islam-and-the-suicide-of-the-west-the-origin-doctrine-and-goals-of-islam/

Seguindo os passos de Plinio Corrêa de Oliveira

A Maltese Society for Christian Civilisation – Pro Malta Christiana [Sociedade Maltesa para Civilização Cristã – Pro Malta Christiana] assim se apresenta em sua página no Facebook:

Pro Malta Christiana

Somos um grupo de católicos leigos que seguem o caminho traçado por Plinio Corrêa de Oliveira. Nosso objetivo é defender os princípios de Tradição, Família e Propriedade, estabelecidos pelos ensinamentos da Igreja Católica. Lutamos contra a Revolução e vivemos de acordo com os princípios da Contra-Revolução. Assim, trabalhamos para a restauração do reinado de Cristo, sua lei divina e a defesa da dignidade humana.

Dominus fortis meus qui docet manus meas ad proelium digitos meos ad bellum (Salmo 144, v. 1).

(*) Traduzido do original em inglês: Islam and the Suicide of the West: Symbolic Book Launching in Malta. December 20, 2019 | Gustavo Solimeo.

https://www.tfp.org/islam-and-the-suicide-of-the-west-symbolic-book-launching-in-malta/

1 COMENTÁRIO

Deixe uma resposta