Hélio Viana

Segundo Lula, “se chicotada e punição resolvessem, não haveria tanto bandido no país”. Foto: Ailton de Freitas/Agência Globo

Sim, caro leitor, ao pretensamente defender as crianças de palmadas de seus pais, o governo Lula acaba de desferir na face destes uma violenta bofetada.

Ele o fez ao negar através desse infeliz decreto – na mesma linha do PNDH-3 – o pátrio-poder, afirmando implicitamente que a educação dos filhos é atribuição do Estado, que pode ditar normas aos pais.

O que é falso, porque a instituição familiar antecede o Estado e não pode ser invadida por ele. O que só acontece nos regimes totalitários.

É com medidas assim que se põe em execução o extenso e dramático Programa Nacional de Direitos Humanos.

Sem se incomodar com a contradição, o mesmo PNDH-3 defende o aborto. Ou seja, antes de nascer, aquela mesma criança contra a qual não se admite sequer uma palmada dos pais pode ser brutalmente triturada com o consentimento da mãe!

Vemos assim dois direitos fundamentais da pessoa humana sendo negados por um Programa destinado em princípio a defender os direitos humanos: o pátrio-poder e o direito à vida… menos importante que uma palmada!