A Revolução Francesa de 1789 teve como base ideologica a filosofia do Iluminismo, sintetizada na famosa trilogia: “Liberdade, Igualdade, Fraternidade.” Impondo a total igualdade na sociedade, essa filosofia julgava que daí adviria a completa liberdade e uma idílica fraternidade entre os homens.

A “fraternidade” da guilhotina

Como se sabe, os efeitos imediatos dessa igualdade foram a execução do rei Luis XVI, de sua irmã a princesa Elisabete e da Rainha Maria Antonieta; milhares de nobres foram guilhotinados; o clero foi perseguido e massacrado ou teve que entrar na clandestinidade. Os camponeses da Vendéia que se levantaram em defesa do altar e do trono sofreram um verdadeiro genocídio e sua região foi devastada pelas “colunas infernais” do general Turreau.[1]

O terror instaurado pelos revolucionários franceses em nome da igualdade não foi o único; desde então igual terror tem sido responsável por genocídios nazistas ou comunistas, estes últimos na Rússia, China e no Cambodge. Para os revolucionários do Kmer Rouge, bastava ser intelectual, ou usar óculos, o que tornava suspeito de intelectual, para ser morto.[2]

A igualdade absoluta destrói a liberdade

A razão pela qual a igualdade absoluta destrói a liberdade e impede a fraternidade é que se trata de uma utopia, um mito ideológico, que contraria a natureza humana.

Embora os homens sejam iguas por natureza, eles são desiguais em talento, em força de vontade, inteligência, etc. E a liberdade e a fraternidade só são possíveis quando existe respeito mútuo, o qual, por sua vez, requer o reconhecimento dessas diferenças naturais. O  único jeito de impor a igualdade utópica é por meio de uma feroz ditadura.

Após a Revolução Francesa surgiu o mundo igualitário e secularizado de nossos dias e, levando os princípios de 1789 até o fim, chegou-se ao comunismo. Se toda desigualdade é má, porque aceitar as desigualdades econômicas?[3]

É significativa a comparação feita por Lenin entre a Revolução Francesa e a Revolução Comunista:

“A Revolução Francesa é chamada grande porque ela … foi uma efetiva revolução que, depois de derrubar a monarquia, esmagou completamente os monarquistas. E nós faremos o mesmo com esses senhores capitalistas… sua ‘liberdade’ deve ser abolida ou diminuída. Isso ajudará a emancipar o trabalho do jugo do capital.”[4]

Da Revolução Francesa à Revolução Cultural

Mas, levando a igualdade da trilogia da Revolução Francesa até as últimas consequências ela vai mais além do igualitarismo sócio-político e econômico tendendo a destruir a própria desigualdade dos sexos, no que serve de base para a ideologia homossexual.[5]

Essa ligação entre os princípios da Revolução Francesa e a ideologia homossexual manifestou-se recentemente. Nos dias 17 e 18 de novembro últimos,  foram realizadas marchas na França contra o “casamento” homossexual. Tais marchas reuniram mais de 200 mil pessoas em todo país. Um cartaz de uma contra-manifestação homossexual a essas marchas proclamava: “Liberdade, igualdade, homossexualidade.”[6]

Tal adaptação do lema da Revolução Francesa não parece ser uma coisa esporádica, mas pode ser encontrada em sites homossexuais da França, Canadá e mesmo Polônia, como em artigos que tratam sobre  homossexualismo.[7] Inclusive, numa foto de um participante de uma parada homossexual em Paris, vê-se a mesma adaptação tatuada no braço de um manifestante.[8]
Socialismo, Homossexualismo e violência

Não é de se admirar que os governos socialistas apoiem a agenda homossexual, como está ocorrendo agora na França onde o executivo está procurando impor o “casamento” homossexual.

Ao mesmo tempo, um dos movimentos mais extremista do socialismo internacional, o anarco-feminista FEMEN, manifestou-se em apoio ao “casamento” homossexual na França.

Mulheres militantes do “FEMEN”, provocativametne top less e com um véu de freira na cabeça e dizeres obscenos ou blasfemos escritos no corpo, investiu contra famílias e crianças  que marchavam pacificamente em defesa do casamento tradicional, atacando-as com um gás fumígeno.[9]

Embora as fotos e os vídeos mostrem claramente as anarquistas atacando os manifestantes, os quais procuraram contê-las e afastá-las da manifestação, grande parte da mídia inverteu o acontecido e apresentou as mulheres semi-nuas como vítimas dos católicos que participavam da marcha. O governo socialista logo tomou posicão condenando a organizadora de uma das marchas, o Instituto Civitas, ameaçando fechá-lo.[10]

Um movimento anarquista sexual

O movimento revolucionário FEMEN teve sua origem na Ucrânia mas encontra-se agora espalhado por inúmeros países. Em seu site ele se define como segue:

“FEMEN – é um novo tipo de Amazonas, capazes de solapar os fundamentos do mundo patriarcal por meio de sua intelecto, sexo, agilidade, fazer desordem, conduzir à neurose e ao pânico o mundo dos homens.

FEMEN – é uma ideologia do SEXTREMISMO. FEMEN – é uma nova ideologia do protesto sexual das mulheres por meio de campanhas de extremo topless e ação direta. FEMEN – é o sextremismo servindo para proteger os direitos das mulheres, guardiãs da democracia ataccando o patriarcalismo em todas suas formas: ditaduras, a Igreja, a industria sexual.”[11]

O fim do processo revolucionário

O Prof. Plinio Corrêa de Oliveira, em seu ensaio Revolução e Contra-Revolução, analisou o processo histórico que vem destruíndo a Civilização Cristã através da Revolta Protestante, a Revolução Francesa e o Comunismo.

A isso ele dá o nome de “As três Revoluções,” as quais desembocaram numa “Quarta Revolução” representada pelas Guerras Culturais de hoje e cuja ponta de lança é sem dúvida o movimento homossexual negador da lei natural.[12]

Nessa fase final do processo revolucionário, a luta se ampliou do campo sócio-politico e econômico para o da destruição da lei natural. O socialismo, em aliança com o movimento homossexual, quer impor um estado de coisas completamente oposto ao ditames da moral natural, da lei natural e do Cristianismo e da verdadeira liberdade dos filhos de Deus (Romanos, 8:21).

Uma confrontação de certezas

A luta é sobretudo uma luta de idéias, um confronto de certezas. Confronto entre o ódio revolucionário contra a hierarquia social, a moral, e a Deus, de um lado e a fé altaneira e destemida, que proclama as verdades da fé, da moral e da lei natural e está disposta a dar a vida em sua defesa, do outro.

Numa luta desse porte, precisamos, mais do que tudo, da ajuda da graça de Deus, a intercessão da Santíssima Virgem. Com a sua ajuda, a luta conduzirá à vitória final, mesmo que passemos por túneis de incertezas e de aparentes derrotas.

Sempre confiantes na mensagem trazida por Nossa Senhora em Fátima, de que, por fim, seu Imaculado Coração triunfará.


[1] Cf. Francois Furet-Mona Ozouf, A Critical Dictionary of the French Revolution, Cambridge, Mass: Belknap Press of Harvard University Press, 1989.

[2] Cf. The Khmer Rouge and Cambodia, http://www.coldwar.org/articles/70s/KhmerRougeandCambodia.asp.

[3] Para uma visão geral deste tópico ver Plinio Corrêa de Oliveira, Revção e Contra-Revolução, http://www.pliniocorreadeoliveira.info/livros.asp.

[4] V. I. Lenin, First All-Russia Congress on Adult Education, May 6-19, 1919, http://www.marxists.org/archive/lenin/works/1919/may/06.htm.

[5] Cf. TFP Committee on American Issues, Defending A Higher Law – Wy we Must Ressit same-sex marriage and the Homossexual Movement, Capitulo 3, Spring Grove, Penn, 2004.

[6] Over 100,000 French protesters rally against gay marriage, adoption (PHOTOS)

Published: 18 November, 2012, 02:05, http://rt.com/news/france-gay-marriage-protest-955/.

[7] Cf. Liberté Égalité Homosexualité! http://www.etudiant-ontario.ca/Actualites/2010-11-23/article-1987908/Liberte-Egalite-Homosexualite!/1; Liberté, Égalité, Homosexualité, http://fillecherchefilledu86.skyrock.com/2364202551-liberte-egalite-homosexualite.html; Liberté! Égalité! Homosexualité!,

http://polandian.wordpress.com/2008/06/12/liberte-egalite-homosexualite/, Yannis Palaiologos, Liberté, Égalité, Homosexualité, November 12, 2012, http://prospect.org/article/libert%C3%A9-%C3%A9galit%C3%A9-homosexualit%C3%A9.

[8] Cf. http://www.flickr.com/photos/fil/714793659/.

[9] Cf. Cavan Sieczkowski,Topless ‘Nuns’ From Activist Group Femen Allegedly Attacked By Anti-Gay Catholic Protesters In Paris (NSFW VIDEO) The Huffington Post, 11/19/2012 11:21 am EST Updated: 11/19/2012 11:31 am EST,  http://www.huffingtonpost.com/2012/11/19/topless-nuns-anti-gay-catholic-protesters-paris-femen_n_2158033.html; Topless Femen members clash with anti-gay marriage protestors, 18/11 22:57 CET, http://www.euronews.com/2012/11/18/topless-femen-members-clash-with-anti-gay-marriage-protestors/;  Civitas porte plainte contre les Femen et dénonce la disinformation, http://www.itinerarium.fr/civitas-porte-plainte-contre-les-femen-et-denonce-la-desinformation/?utm_source=feedburner&utm_medium=feed&utm_campaign=Feed%3A+Itinerarium+%28Itinerarium%29.

[10] http://galliawatch.blogspot.com/2012/11/civitas-november-18.html.

[11] http://femen.org/en/about.

[12] Cf. nota 3.

7 COMENTÁRIOS

  1. O transtorno dos “pensantes” protestantes é que, mesmo quando “concordam”, acabam DISCORDANDO da Bíblia Sagrada, que, antes de mais nada, PROÍBE (II Pd 1, 20) a famigerada e divisionista “interpretação pessoal”

    Viva a Santa e Católica Igreja e sua Sã Doutrina! Viva Nossa Senhora!

    P.S.: “Maria” é “Míriam” em hebraico, e nesta língua “Míriam” significa…”Senhora”!

  2. Os artigos deste site são preciosos e jogam luz forte nas verdades de nosso tempo. Bela análise cotejando os elos fundamentais entre essas revoluções iluministas igualitárias.
    As deformidades pretendidas contra a vida natural são expostas publicamente por esses movimentos, ferindo fragorosamente a inocência e os direitos das crianças, exatamente para transformar as mentes destas, os futuros cidadãos.
    Com isso estão atentando contra o mandamento do Mestre, constante do Evangelho de MAteus, onde Ele determina que as crianças sejam respeitadas e preservadas, até porque advertiu que nós adultos deveriamos ser como elas! Muitos homosexuais, embora em pecado, respeitam esse mandamento (lembro de um belo exemplo o do Deputado CLodovil Hernandes, que ojerizava o movimento gay e tinha valores familiares).

  3. É o caminhar do processo revolucionário – como diria Plinio Corrêa – chegar a esta etapa da liberdade, igualdade e homossexualidade. Será o fim da marcha revoucionária ou virá outra pior?

  4. Em Fátima Nossa Senhora prometeu, “Por fim, o Meu Imaculado Triunfará”
    Ao estimado autor desta postagem peço suas orações, porque não sabemos como e quando tudo isto terminará. Nosso Senhor se referiu aos seus últimos dias como a “hora do poder das trevas”, e sem dúvida podemos dizer para Santa Igreja, e para a Civilização Cristã as mesmas palavras : “esta é a hora do poder das trevas”. Rezemos , pois.

  5. Amigos, compartilho das orientações do IPCO, e leio cada matéria com atenção. Esta matéria, especificamente, me trouxe uma surpresa, pois, ao mesmo tempo em que expõe e reafirma o direito que temos de defender a família tradicional, traz ao final uma consideração ultrapassada, que é a “intercessão da Santíssima Virgem” e a “confiança na mensagem trazida por Nossa Senhora em Fátima”. Desde 1963, quando nos foi permitido pela Igreja ler a Bíblia no Brasil, temos caminhado para ir deixando para trás certos hábitos que não condizem com o andar de Cristo, pois somos cristãos.

  6. Caros amigos, devemos defender e principalmente, divulgar os princípios da IPCO, pois precisamos defender os valores da família tradicional, já que o modismo atual está exagerando na super valorização dos valores gays.
    Amigos, deixo bem claro que sou totalmente contra todo e qualquer tipo de violência, mas estão querendo impor uma “gaysificação” da sociedade, ou como dizia minha avó: “querem trazer a intimidade da alcova para a rua principal”. Sou consciente que todo cidadão deve ter o direito de fazer de sua vida particular o que bem achar melhor, mas sem expor, e principalmente, impor exageradamente sua orientação sexual a uma maioria que não compartilha de tal orientação.

Deixe um comentário!