Eutanásia – Matar a domicílio

Nova “conquista” holandesa: a partir de março próximo será instalado para toda a Holanda o serviço domiciliar de ajuda para morrer. Seis grupos especializados em eutanásia podem ser solicitados para efetivar o suicídio na própria residência.

Segundo informações divulgadas pela “Associação holandesa para um fim de vida voluntário”, (NVVE) no último dia 6 de fevereiro, grupos constituídos por um médico e um enfermeiro poderão contatar os interessados à domicílio e ali mesmo efetivar a morte solicitada. O motivo apresentado para oferecer esse serviço à domicílio, é que aumentam os casos em que pessoas desejam um auxílio para pôr fim à vida, mas não encontra médicos disponíveis e dispostos a prestar essa ajuda.

A prestação de “auxílio para morrer” (eutanásia) é permitida desde abril de 2002 para os casos em que um paciente padece de sofrimentos insuportáveis, doença sem esperança de cura e tenha repetidas vezes externado o desejo de morrer. O médico executor deve procurar o conselho de um colega. Apelos à justiça só são aceitos para os casos em que existam dúvidas quanto a decisão tomada pelo médico. Caso se confirme que o médico agiu contra as normas estipuladas para efetuar a eutanásia, pode ser aplicada pena de até doze anos de prisão.

Hoje na Holanda, amanhã na Europa e depois no mundo inteiro: a solução para sair da vida de frustração que o “bem estar” materialista e consumista acaba fornecendo aos homens é a fuga para uma suposta libertação de todos os problemas que essa vida não conseguiu resolver.

(Fontes: hath-net e Iniciativa “Nunca mais” 2.2.12)