assassins_creed_3-HD

Poucos crimes causaram tanta perplexidade no Brasil quanto o do menino Marcelo Pesseghini, de 13 anos, residente na capital paulista, que recentemente matou o pai, a mãe, a avó e a tia-avó, e em seguida se suicidou.

Tão inverossímil parecia o fato que diversas hipóteses foram levantadas, apontando vários possíveis autores para a chacina. Não é crível, dizia-se, que um simples menino, no início apenas da adolescência, seja capaz de tais monstruosidades.

As investigações, porém, tanto quanto se saiba, derrubaram completamente todas essas conjeturas. Os sinais de que o crime fora mesmo cometido pelo garoto mostraram-se de uma evidência sem contraditório. E não apenas os indícios colhidos no local do crime, mas depoimentos de colegas de classe de Marcelo atestam que ele vinha falando em matar os pais; e, mesmo após tê-los matado, foi até a escola e contou a um colega o que tinha feito. Este não acreditou, tal era o absurdo da cena. Achou que era fruto de imaginação ou brincadeira de mau gosto. Mas, infelizmente era realidade. Marcelo voltou para casa e se matou.

Estabelecida assim a verdade dos fatos, permanece a pergunta: por que fez ele isso? O Instituto de Criminalística (IC) de São Paulo debruçou-se sobre o insólito acontecimento à busca de uma explicação e apresentou seu laudo, no qual aponta os mecanismos mentais e psicológicos que levaram o menino Marcelo a tornar-se um monstro.

Se essas causas psicológicas foram cavalgadas ou não por alguma forma de possessão diabólica, não é função do IC pronunciar-se sobre isso. A possibilidade fica de pé para ser considerada por algum exorcista.

Mas, seja como for, interessa altamente conhecer as conclusões do IC, inclusive para prevenir outros casos semelhantes que possam surgir.

Diz o laudo que o garoto “teve um surto psicótico quando matou os pais, a avó e a tia-avó” (“O Estado de S. Paulo”, 7-9-13), como resultado de várias causas que se somam, mas a ênfase é colocada no que qualifica de “excesso de jogos violentos”.

“De acordo com a perita Vera Lúcia Lourenço, o estudante teve uma ‘alteração de pensamento’ e passou a acreditar que era um ‘matador de aluguel’, inspirado no jogo Assassin’s Creed. ‘Todo o tempo que passava em jogos eletrônicos caracteriza uma fuga da realidade, limitando o contato social.’”

Assassin’s Creed é uma série de jogos eletrônicos de ficção, centrados numa eterna batalha travada entre assassinos e templários ao longo da história da humanidade.

“Seguindo a história do jogo, conforme depoimentos de colegas, Marcelo montou um grupo na escola chamado ‘Os Mercenários’ e convidou outros adolescentes a matar os pais. Esses pensamentos violentos seriam persistentes, até que ele ‘confundiu fantasia e realidade’”.

“Marcelo, no momento do crime, passava por um ‘estreitamento de consciência’, que só terminou quando voltou da escola. ‘Quando se deparou com o ato cometido (os homicídios), entrou em estado de neurose e, não suportando a culpa, cometeu suicídio’, afirmou Vera Lúcia”.

Evidentemente o laudo do IC não conduz a uma certeza absoluta. Entretanto é um forte indicativo de algo que, por inúmeras outras fontes se confirma, ou seja, que os jogos eletrônicos produzem perturbações psíquicas nas crianças e adolescentes, podendo chegar a consequências mentais e psicológicas dramáticas. O caso do menino Pesseghini deve servir de alerta aos pais e educadores a respeito de jogos eletrônicos, cujas desastrosas consequências têm sido noticiadas em escala universal.

Vai longe o tempo em que meninas brincavam de boneca e meninos de carrinho, formando uma estrutura mental sadia e ordenada para enfrentar a vida.

O atual processo de destroçar as mentes infantis só pode provocar conseqüências monstruosas.

8 COMENTÁRIOS

  1. “Eles” dizem para os pais e educadores terem mais cuidado e que devem estar mais atentos, e que devem restringir certos jogos e/ou o tempo gasto com ele, mas parece que esquecem de dizer isso aos fabricantes, aos programadores, àqueles que elaboram os jogos, etc. Quer saber?… “Esses” gananciosos, são todos cúmplices, co-participes dos problemas negativos causados ao indivíduo, á família e a sociedade,co-assassinos!

  2. Meus parabéns! Um comentário extenso, porém, bem elaborado. Creio mesmo que não havia outra forma de expressar suas observações sem que entrasse em todos esses pormenores. Jogos eletrônicos precisariam mesmo entrar no roll das coisas que a “igreja” aconselha a evitar. Dizem para pais e educadores terem mais cuidado e que devem estar mais atentos, e que devem restringir certos jogos e/ou o tempo gasto com ele, mas parece que esquecem de dizer isso aos fabricantes, aos programadores, àqueles programadores que elaboram os jogos, etc. Um Abraço.

  3. Tenho 33 anos, idade de cristo, joguei vídeo games a vida todo, maioria dos meus amigos jogou e ainda joga, e todos somos membros produtivos da sociedade, casados com filhos, somos até mais pacíficos que a maioria de todos nossos vizinhos, que nunca jogou nem o saudoso pac-man. Olhem bem a sociedade, vejam bem o que causa a violência, principalmente de jovens? é a falta de limites, educação e orientação pela parte dos país. Eu vejo isso quase todos os dias aqui pela minha vizinhança.Fui criado com muito amor e carinho sim, mas meu pai sempre me ensinou o que era certo e errado, não importava o que os outros faziam ou tinham feito, só importava com ele dizia: “meu filho na vida só importa o que você faz, pra poder dormir com a cabeça tranquila e consciência limpa”

  4. AS VÁRIAS FACES E DISFARCES DO ESPIRITISMO: FEITIÇARIA-MAGIA, SINCRETISMO, REENCARNACIONISMO, OCULTISMO, ESOTERISMO, NOVA ERA/NWO E VÍNCULOS COM O SATANISMO.
    A Igreja Católica proíbe, por haver incompatibilidade total os ocultismos, como: consultar advinhos, cartomantes, tarô, kardecistas, feiticeiros, mães/pais-de-santos e adesão a seitas secretas, como a maçonaria; idem, tatuar-se de cobras, escorpiões, lagartos, sinais externos de pertença ao demônio, portar amuletos, figas, patuás, recitar “orações fortes”, correntes de oração, evocar mortos, umbanda, candomblé, vodu, ir a igrejas evangélicas quase todas – anúncios a rodo – adotantes de mesmas práticas espíritas, como expulsão de supostos maus espíritos que são entidades que se manifestam em seus cultos, como nas pentecostais, afastar malefícios, turbinar a vida financeira, a teologia da prosperidade – do “ter”, não do “ser” etc. – são práticas abominadas pela Igreja, havendo sensível e patente participação de apologia e adesão ao satanismo.
    Incluem-se sedutores filmes, novelas, jogos eletrônicos de “Seres Cósmicos do Além” sob os mais diversos disfarces, revistas infantis de aparências inocentes e ingênuas, estilo Harry Potter, Anime Naruto – esse então, além de muitas cenas de sexismo e outras perversões morais, envolvem “diabinhos, monstrinhos e “bruxinhos” etc., com várias mensagens subliminares satanistas subtendidas, ou os mais diversos seres extraterrestres, porém bem engendradas maquinações de Satanás indo sutilmente envolvendo e atiçando a mente especialmente das crianças ao ocultismo-esoterismo, aderindo às suas práticas até à subversão total; o método do diabo é: apertar o cerco aos poucos, seduzir até chegar à captura definitiva da pessoa, ao ponto de quase obstruir uma reeducação cristã.
    Os jogos eletrônicos são outro arsenal que os satanistas usam para exercerem o poder de destruição sobre as mentes infantis e incautas dos perigos acima de adesão ao ocultismo que as captura de forma sutil.
    Idem, o mesmo se atribui às religiões orientais, também algo filosóficas como as práticas meditacional-transcendentais da Yoga, Seicho-no-ye e outras “holísticas” de curas integrais em que há explícitos deísmo subjetivista; idem o panteísmo, em que a pessoa por práticas meditacionais pode integrar se a Deus.
    Ao Deus único e trino pertence o futuro e toda vez que, de alguma forma tentamos desvendá-lo, ou conhecer o oculto, prestigiar supostas forças do Cosmos, como para fazer ou não acontecer algo, somos tentados e consentimos no orgulho e soberba ao assim agirmos: o querermos ser como Deus, de forma implícita no mínimo; dominar o invisível à nossa volta, de forma a mantê-lo sob controle de nossos ideais e interesses.
    Há várias referências bíblicas à condenação dessas atitudes idolátricas, no AT: em Dt 18,10, Jr 28,29 2 e Is 8,9 Rm, etc., e no NT como em Mt 6,24 e Lc 16,13: Ninguém pode servir a dois senhores…
    Interessante que, em mostras de imagem na TV, sempre vi o Marcelo de dedos das mãos em “posições chifradas”, o mesmo em uso com os roqueiros satanistas, como Iron Maiden e seu público, em geral significando invocação a Satanás.

  5. Sempre achei que o excesso no uso de computador,internet,robotiza as crianças e adolescentes,ou até mesmo adultos,e o resultado extremo desta robotização pode levar à criminalidade…

  6. … pais ausentes, tv, videos (assassinos) game, escolas que deixam à
    desejar, amizades duvidosas, ausência do CRISTO, etc. …

    SEMPRE LEMBRANDO QUE COMUNISMO E MISÉRIA ANDAM DE MÃOS DADAS, E MAIS
    QUE AINDA HÁ AVE RARA QUE NÃO VOA,

    PAZ E BEM À TODOS.

  7. Eu sempre acreditei que isto fosse acontecer com a mente de nossas criança,sempre combati em minha casa contra estas ferramentas do diabo que são estes jogos. Infelizmente nossa sociedade anda muito ocupada em perceber o que pode acontecer com estas pequenas criaturas inocentes e que acabam por se deixar levar por falta de equilíbrio familiar. Não sei até quando estaremos de braços cruzados a estes fatos que chamam a nossa atenção somente depois de acontecer grandes tragédias com estas, é urgente que se eduque as crianças como crianças e participemos de suas vidas com atividades que os engajem na sociedade, e não fiquem perdendo tempo em frente a um computador ou vídeo game simplesmente,cada coisa merece o seu tempo e momento….Que DEUS seja mais e melhor ouvido,assim seja!!!.

  8. Não pude deixar de notar que em algumas fotos divulgadas pela imprensa, Marcelo fazia com as mãos os sinais dos cornos do diabo. Sei que isso deve ser por causa do Rock and Roll, mas aí é que está o problema: o Rock hoje incentiva abertamente o satanismo! E não adianta dizer que é representação. Todos os rituais, como já disse o filósofo Olavo de Carvalho são representações. O que é a Santa Missa senão a representação incruenta do sacrifício de Nosso Senhor Jesus Cristo?

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe seu comentário!
Por favor insira seu nome