Minorias cheias de fé, abnegação e coragem

0
Repressores sem entranhas, o presidente russo Vladimir Putin e o seu homólogo chinês, Xi Jinping, cozinham panquecas cobertas com caviar vermelho e preto, na ilha Russky, no Mar do Japão

A China vai lentamente começando a intimidar e a imobilizar os poltrões do Ocidente. A Rússia, cada vez mais, agrada, ilude e atrai os tolos. Uns e outros, poltrões e tolos, tendem a recuar, transigir, conciliar a todo custo. E, francamente, quando alguém tem de seu lado todos os tolos e todos os poltrões, pode jactar-se de dispor de uma esplêndida maioria…

Estamos perdidos? Não, porque as vitórias de Deus nunca foram ganhas pelas incontáveis maiorias de tolos e poltrões, mas pelas minorias cheias de fé, de abnegação e de coragem.

Mais do que nunca, torna-se patente a importância dessas minorias para abater o monstro de duas cabeças que se levanta no horizonte. Sem elas, nada se pode fazer de útil em prol das multidões desnorteadas, anestesiadas, apavoradas. Nada se pode fazer pela massa, senão com fermento ativo e pujante.

Há 20 séculos o disse Nosso Senhor: “O Reino dos céus é comparado ao fermento que uma mulher toma e mistura em três medidas de farinha, e que faz fermentar toda a massa” (Mt 13, 33), mas os homens tendem sempre a esquecê-lo. Entretanto, como é fácil compreender a lição do Mestre Divino!

____________

(Excertos do artigo de Plinio Corrêa de Oliveira em Catolicismo – edição de janeiro/1960).

Artigo anteriorSanta Maria Goretti (versus) anarquia e nudismo
Próximo artigo06/07 – Santa Maria Goretti, Virgem
Homem de fé, de pensamento, de luta e de ação, Plinio Corrêa de Oliveira (1908-1995) foi o fundador da TFP brasileira. Nele se inspiraram diversas organizações em dezenas de países, nos cinco continentes, principalmente as Associações em Defesa da Tradição, Família e Propriedade (TFP), que formam hoje a mais vasta rede de associações de inspiração católica dedicadas a combater o processo revolucionário que investe contra a Civilização Cristã. Ao longo de quase todo o século XX, Plinio Corrêa de Oliveira defendeu o Papado, a Igreja e o Ocidente Cristão contra os totalitarismos nazista e comunista, contra a influência deletéria do "american way of life", contra o processo de "autodemolição" da Igreja e tantas outras tentativas de destruição da Civilização Cristã. Considerado um dos maiores pensadores católicos da atualidade, foi descrito pelo renomado professor italiano Roberto de Mattei como o "Cruzado do Século XX".

Deixe uma resposta