Movimento homossexual dá tiro no pé – Parte III

Conforme já relatado em nosso site, militantes do movimento homossexual de Jundiaí (SP) tentaram atrapalhar a Caravana Cruzada pela Família que pacificamente coletava assinaturas para a campanha da Filial Súplica.

No vídeo abaixo, gravado por uma senhora que estava assistindo à campanha do IPCO, vê-se a agressividade verbal do movimento homossexual contra uma mãe com seu filho no colo. Depois de perceber o erro em confessar que para eles “Deus não existe”, os militantes recorreram a um subterfúgio: “Mas, por que Deus não me ama?”.

Ora, por que que eles estão preocupados em ser amados por um Ser que dizem não existir?

Em uma guerra psicológica, os argumentos são armas letais para desmobilizar o adversário, é preciso estarmos atentos a isso.

Vejam no vídeo abaixo a artimanha.

Movimento homossexual – do ateísmo para o deísmo, depende da situação

Eles deixaram de lado a premissa que “Deus não existe” (que foi um tiro no pé) para logo colocarem a máscara de deístas, como se nunca antes tivessem declarado sua descrença.

Outro exemplo, em uma placa eles diziam que “Deus não me julga” e em outra afirmavam que os caravanistas estavam “bem errados”. O que mostra que eles não são contra julgar o próximo, nem ao fato de que “Deus não julga”, mas que tal direito de avaliar as ações dos outros está reservado a eles, detentores de uma nova “moral” que visa se infiltrar na Igreja e destruí-la por dentro.

Acompanhe a caravana!

Inscreva-se em nosso canal e acompanhe os próximos vídeos!

Durante todo este mês de Julho de 2015 os jovens caravanistas percorrerão o País em defesa da Família!