Multidão aplaude idéia dos EUA se voltarem novamente para Deus

    Luis Dufaur

    Uma multidão ‒ entre 500.000 e 100.000 pessoas segundo as versões pró e contra ‒ reuniram-se em Washington atraídas pela idéia de os EUA “se voltar de novo para Deus”, informaram “The Washington Times”, “The Washington Post” e “The New York Times”.

    A convocação foi lançada pelo movimento Tea Party. Glenn Beck, âncora televisivo e principal orador, reconheceu que os EUA “durante tempo demais andou nas trevas”.
    Ele denunciou o presidente Obama como advogado da “teologia da libertação” que raciocina em termos de “oprimidos contra opressores”, ricos contra pobres e negros contra brancos.
    A multidão portava numerosos cartazes qualificando Obama de “socialista” e exigindo mais moral, família e religião, menos impostos e menos dirigismo estatal.

    Em sentido contrário, um pastor protestante e um punhado de adeptos, junto com a Secretaria de Saúde e figuras do governo realizaram pífia passeata que patenteou o desquilíbrio de tendências no braço de ferro de conservadores x progressistas nos EUA.