Paulo Roberto Campos

É tão pouco frequente encontrar declarações enérgicas (sem blablablás) de dignitários eclesiásticos, que, quando raramente encontro, faço questão de ajudar na divulgação — sobretudo porque eles não têm voz nem vez na mídia, geralmente abortista.

Da pequena, mas muito simpática, cidade de Oliveira (no Oeste de Minas Gerais), encontrei no site da Diocese um artigo do bispo, Dom Miguel Ângelo Freitas Ribeiro [foto], que já pelo título atraiu-me: “NÃO MATAR”(*). Certamente, o leitor não encontrará tal artigo na grande imprensa. Assim, aqui o transcrevo.

Eleições: NÃO MATAR

São quatro os direitos fundamentais da pessoa humana: direito à vida; direito à propriedade; direito à liberdade e direito à honra. “Quando se denota a ausência de um deles, a pessoa desaparece: sem vida não existe, sem propriedade não subsiste, sem liberdade, principalmente a religiosa, não se desenvolve, e sem honra não se relaciona”. (Dom Dadeus Grings, Arcebispo de Porto Alegre: Os sem. Comunicador, junho 2010, p 1). Entre os quatro direitos, o primeiro é o mais importante porque é a base de todos os outros.

Os Dez Mandamentos da Lei de Deus expressam em sua totalidade esses direitos fundamentais e seus desdobramentos. O direito à vida ocupa um lugar especial no quinto mandamento: Não matar; que nos obriga à defesa da vida humana desde a sua concepção no ventre materno até sua natural consumação na morte.

Aborto e eutanásia, assim como tudo que fere a vida humana, são pois, condenados por Deus. A Didaché, catecismo cristão do século II, afirma: “Não matarás o embrião por aborto e não farás perecer o recém nascido”.

Por ser gravíssima desordem moral, a Igreja penaliza com a excomunhão não somente aqueles que provocam o aborto mas quem colabora de algum modo com a sua execução. “Quem provoca aborto, seguindo-se o efeito, incorre em excomunhão latae sentenciae”, isto é automática, afirma o Canon 1314, do Código de Direito Canônico. A excomunhão significa o estado objetivo de pecado grave e a separação da Igreja, corpo místico de Cristo, com a consequente chamada do pecador à penitência e reconciliação.

Estamos em ano eleitoral no qual vamos eleger o Presidente da República e seu vice, senadores e deputados federais e estaduais.

Entre os candidatos não são poucos, de diversos partidos, que defendem o aborto, como já declararam em entrevistas à imprensa ou reduzem sua aprovação a um eventual plebiscito como se a objetividade do bem se definisse pela opinião da maioria ou pela estatística e não pela objetividade da Lei de Deus e da lei natural impressa no coração de todos os homens.

Entre os partidos, o Partido dos Trabalhadores inclui o aborto em seu programa partidário. O PT em seu 3º Congresso ocorrido em setembro de 2007 afirma-se “por um Brasil de mulheres e homens livres e iguais” que inclui “a defesa da autodeterminação das mulheres, da descriminalização do aborto e regulamentação do atendimento a todos os casos no serviço público” (Resoluções do Congresso do PT, p. 80 in site do PT).

A Igreja Católica, afirma a Constituição Pastoral Lumen Gentium do Concílio Vaticano II “não se confunde de modo algum com a comunidade política (GS no 76)” e respeita os cidadãos em suas “opiniões legítimas, mas discordantes entre si, sobre a organização da realidade temporal (GS no 75)”.

Mas também afirma que “faz parte da missão da Igreja emitir um juízo moral também sobre as realidades que dizem respeito à ordem política,quando o exijam os direitos fundamentais da pessoa ou a salvação das almas (Catecismo, no 2246 citando GS, 76)”.

Diante da grave situação em que estamos, cada eleitor católico tem a gravíssima obrigação de ao escolher seuscandidatos, observar também seus compromissos com a defesa da vida e com aqueles pontos “que não admitem abdicações, exceções ou compromissos de qualquer espécie” como o caso das leis civis do aborto; da eutanásia; de proteção do embrião humano; da tutela da família como consórcio natural e monogâmico de um homem e uma mulher, portanto contra o reconhecimento da união civil de homossexuais e a adoção de crianças pelos mesmos; da liberdade de educação dos filhos pelos pais; da liberdade religiosa e de uma economia a serviço da vida.

Cada um examine diante de Deus e de sua consciência para bem escolher nossos governantes de modo a escolher o melhor pelo Brasil. Não podemos nos furtar diante da verdade e da justa defesa da vida e da Lei de Deus.

Dom Miguel Angelo Freitas Ribeiro,

Bispo Diocesano de Oliveira

(*) http://www.dioceseoliveira.org.br/index.php?id=13&item=exibePastor

9 COMENTÁRIOS

  1. Como católico sou firmemente contrário ao PNDH do PT, mas sinto muita tristeza de que as
    Igrejas Cristãs, e mais principalmente a Católica, se calaram nas campanhas presidenciais do PT. Na época a Igreja as Dioceses ficaram em cima do muro. Contrariando o Evangelho de Jesus.

  2. PARABENIZO DOM NELSON DA DIOCESE DE SANTO ANDRÉ E OUTROS BISPOS DO REGIONAL SUL-1 DA CNBB PELA MENSAGEM ENVIADA AOS SEUS FIÉIS, ACONSELHANDO A NÃO VOTAREM NO PT. E TAMBÉM AO PADRE JOSÉ AUGUSTO DA CANÇÃO NOVA PELA CORAGEM NO ÚLTIMO DIA 5/10 SITANDO A PASSAGEM QUE FALA DE MARTA NOS ACONSELHA A NÃO VOTARMOS NO PT…, QUE ESCOLHAMOS A MELHOR PARTE, ASSIM COMO MARIA

  3. Publiquei o brilhante artigo no meu blog: http://sabervencer.blogspot.com/, porém, acrescentei o título “Antes tarde do que nunca” porque a reação dos cristãos, infelizmente, chegou tarde demais e dificilmente surtirá algum efeito contra a máquina moedora do presidente mais falso, traiçoeiro, cruel e corrupto da história do país.
    A serpente enviada pelo “Mal” deve ser eliminada pela cabeça, pois sua legião de seguidores obedientes e fiéis é imensa.
    Aqui meu cometário no blog do prof. Felipe Aquino:

    Pena que só há algum sinal de manifestação quando pisam no calo.
    Quando o governo lula pagou parlamentares para comprar suas consciências, todos silenciaram.
    Talvez pensassem, eu não sou parlamentar, não tenho nada com isso. É pra lamentar.
    Depois seguiram-se dezenas de escândalos, como os abusos com cartões corporativos, pagos pelo contribuinte, o povo trabalhador bancando a farra do presidente.
    Mais uma vez se calaram, afinal, é um “pobre” fazendo o que todo mundo faz.
    As violações de sigilos do caseiro, de Ruth Cardoso e agora de tucanos e da filha do candidato.
    Nenhuma palavra de indignação e o presidente não recebe nenhuma crítica pelo aparelhamento do Estado que está destruindo instituições importantes.
    A lista é imensa, mas a igreja é omissa.
    Agora vai ser dificil conseguir apoio, o demônio se apoderou do discurso da igreja, já dominou seus seguidores e montou suas milícias que intimidam o cidadão brasileiro.
    Não foi somente a Constituição Brasileira que foi rasgada pelo presidente que se julga acima da lei, os ensinamentos e mandamentos cristãos já foram lançados ao esgoto há anos, com a cumplicidade dos que se calaram.

  4. è um bom começo, mas insificiente: Recentemente tivemos artigos manifestando-se contra o aborto: o do Senhor Bispo de Guarulhos, o de D. Roque, Arcebispo de Uberaba e o do Senhor Bispo de Oliveira. MG. Temos na maioria ainda posicionamentos de leigos, mas ainda não li nada sobra manifestações de Padres, embora possamos ainda ler algo nesse sentido. Contudo, podemos dizer que o Rei Herodes mandou matar inocentes de 2 anos abaixo com o fim de atingir o menino Jesus. Ainda hoje acontece isso, porém, apenas mudando o imperador por algum presidente de países que antecipam a mortalidade para a vida intra-uterina. A vida pode ser interrompida a qualquer ponto de sua existencia, inclusive no estertor da morte por eutanasia. Morrer é facil, ainda se diz que a vida nada vale…
    Quando se calcula alguma catastrofe, os dados são em milhões de dolares, etc, mas não se falam em vidas sacrificadas.

    Logo acho que não entendemos nada sobre a vida. Uma vez o meu professor de biologia fez a pergunta: “uma pedra tem vida?” ??? por resposta. E ele encerrou dizendo: “deve ter sim, do jeito dela, mas tem”. Um despertar para a curiosidade sobre a vida.
    A ciencia procura no espaço sideral algum sinal de vida em outro planeta.
    A visão cristã sobre a vida é a que Cristo nos trouxe e que promete uma outra plena e eterna. Afinal, o que é a vida? Um salmo diz:” è preciosa aos olhos do Senhor, a morte de seus santos”. Isto aqui na Terra! E Cristo acrescenta: “quem perder a vida por amor de mim, ganha´la-á”. Será que está faltando ações mais diretas em defesa da vida? Em todos os sentidos?

  5. Sim, sejamos “sérios e realistas,pragmaticamente”, caro prof. o que precisa é uma reforma total do homem, pois como afirmou Plinio Correa de Oliveira em Revolução e Contrarrevolução a desordem se estabeleceu no homem cristão e se afastou dos ensinamentos do Evangelho. Para restabelecer essa ordem que existiu na Idade Média é preciso uma conversão por bem ou por mal como o anunciado na mensagem de Fátima.@prof.paulo de lacerda,phd

  6. Prezado e douto articulista,
    Sejamos sérios e realistas,pragmaticamente falando no Brasil o defasado CPP esta aquem da realidade social contemporanea por ser oriundo do periodo do Estado Novo e sua liderança temporal, na décado de 40 so séc.20.

    Enfim apesar de toda filosofia que envolve o basilar mandamento mosaico reensinado pelo grandioso Mestre em Sabedoria divina Jesus o filho José (Yeshua ben Yoseph) o Cristo históricoque em sua vida terrena nos mostrou como nos afirma os evangelhos Cristãos NÃO MATARAS, este infeilzmente nao se aplica na realidade social de nossa atual sociedade violenta e insensata, onde o valor a Vida é pueril e doentiamente NÃO representa NADA e em consequencia os atos criminosos são minimizados em dita amplo direito de defesa garantida pela CF vigente em seu artigo 5o.
    Alem de progressão de penas e outras nuances legais que configuram hipocrita postura social e juridica em prol do direito de MATAR.
    Nada além de tal objetiva analise fria dos fatos nos revela a essencia do crescente e vertical crescimento de tal violencia desmedida que garante a cada cidadão por razoes multiplas o direito a tornar-se um CRIMINOSO, sem que o real poder coerçitivo legal em tais casos.,seja aplicado em nossa nação.
    Além de que a sociedade comtemporanea nacional e mundial revela claramente seu vies psicopatico, pois o culto a violencia é consagrado na midia mundial com a valorização impune de filmes,mini-séries e obras literárias de autores doentios de renome mundial e que faturam milhoes de dolares em prol do direito de MATAR.
    Fatos reais e incontestaveis que mostram a HIPOCRISIA social aberrante em tal caso em tela e por outro lado os bem apgos paralamentares nao mostram nenhum interesse real em aprovar a reforma integral do CPP para que a Justiça possa ser aplicada em sua plenitude,o resto do bla bla bla corriqueiro é mera ilusão pois não ha como em bases realistas e praticas atacar e ao menos minimizar a niveis minimos a cerne da origem ao DIREITO DE MATAR…

  7. Gostaria de agradecer ao sr. Paulo Roberto Campos pela transcrição do elucidativo artigo de S. Exa. Revma., D. Miguel Angelo Freitas Ribeiro, Bispo de Oliveira-MG.

    Ao lê-lo, concluímos que a absurdidade das ações da CNBB (sai pra lá, capeta!) está longe de ser consenso, mesmo porque não há motivo algum para que o fosse.

    Em verdade, a lamentável orientação geral da CNBB (sai pra lá, capeta!) deve-se a uma espécie de conselho supremo, ou coisa que o valha (um soviete?), no melhor estilo comunista, o qual simplesmente ignora o Magistério Pontifício, em prol da luta de classes, do combate à propriedade privada e a favor de um ecumenismo sem limites, etc.

    Alguns poucos bispos têm a coragem de colidir com a infâmia das ações da CNBB (sai pra lá, capeta!), que se julga, ela própria, uma outra igreja.

    Infelizmente, porém, os poucos bispos corajosos deste país estão de tal modo presos ao autoritarismo insolente da CNBB (sai pra lá, capeta!), que, embora se oponham abertamente ao aborto, ao “casamento” gay, ao socialismo, etc, em geral ainda (AINDA, eu disse) não dão o próximo passo, que está no plano da prática:

    pregação anti-comunista no púlpito, mencionar a excomunhão automática em que incorre aquele que vota em comunista, ou até mesmo ações no sentido de boicotar, por exemplo, o nosso surrado e tedioso processo eleitoral (algo assim).

    Talvez a grande exceção, nesse sentido, seja o Pe. Paulo Ricardo, de tanta bravura e desprendimento. Alguns outros, tão brilhantes quanto, com a graça de Deus.

    Que Nosso Senhor continue iluminando a mente e o coração do admirável Bispo de Oliveira!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe seu comentário!
Por favor insira seu nome