Notícia do Estado, Redação, 24 de fevereiro – “Itamaraty condena violência nas fronteiras da Venezuela e pede que países reconheçam Guaidó” — informa que “Por meio de sua conta no Twitter, Ministério das Relações Exteriores afirmou que “o uso da força contra o povo venezuelano caracteriza caráter criminoso do regime Maduro””.

Os fatos:

Continua a notícia do Estado: “Na noite deste sábado, três pessoas morreram em confrontos com a Guarda Nacional Bolivariana (GNB) e 31 ficaram feridas em Santa Elena do Uairén, cidade venezuelana que faz fronteira com o Brasil (…) Dois caminhões que transportavam ajuda, no lado colombiano, foram incendiados por partidários de Nicolás Maduro. 42 pessoas ficaram feridas na ponte Simón Bolívar, principal passagem entre os dois países por onde a oposição tenta fazer entrar ajuda básica”.

* * *

De pleno acordo. Estamos aguardando as notas de protesto — contra a violência perpetrada pela ditadura socialista de Maduro aos venezuelanos – da Comissão de Direitos Humanos, da CNBB, do Vaticano.

Não esperamos o mesmo do PT nem da midia de esquerda porque são defensores do bolivarianismo. Nem protestos da China “sem viés ideológico”, nem da Rússia de Putin.

  • * * *

Continua a notícia: “o governo brasileiro condena veementemente os “atos de violência perpetrados pelo regime ilegítimo de Nicolás Mauro, no dia 23 de fevereiro, nas fronteiras da Venezuela com o Brasil e com a Colômbia, que causaram vítimas fatais e dezenas de feridos””.

“”O uso da força contra o povo venezuelano, que anseia por receber a ajuda humanitária internacional, caracteriza, de forma definitiva, o caráter criminoso do regime Maduro”, prosseguiu a nota”.

* * *

É notória a situação de miséria de grande parte dos venezuelanos: alimentos, remédios, primeiros socorros etc.

E ainda tem gente ingênua que acha as esquerdas têm pena dos pobres.

https://internacional.estadao.com.br/noticias/geral,itamaraty-condena-violencia-nas-fronteiras-da-venezuela-e-pede-que-paises-reconhecam-guiado,70002733907

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here