O que é Revolução e Contra-Revolução – Explicação de Plino Corrêa de Oliveira

Para compreender a atual crise que o mundo passa é necessário entender como chegamos aqui. A civilização Cristã tem um terrível inimigo.
“Este inimigo terrível tem um nome: ele se chama Revolução. Sua causa profunda é uma explosão de orgulho e sensualidade que inspirou, não diríamos um sistema, mas toda uma cadeia de sistemas ideológicos. Da larga aceitação dada a estes no mundo inteiro, decorreram as três grandes revoluções da História do Ocidente: a Pseudo-Reforma, a Revolução Francesa e o Comunismo.

O orgulho leva ao ódio a toda superioridade, e, pois, à afirmação de que a desigualdade é em si mesma, em todos os planos, inclusive e principalmente nos planos metafísico e religioso, um mal. É o aspecto igualitário da Revolução.
A sensualidade, de si, tende a derrubar todas as barreiras. Ela não aceita freios e leva à revolta contra toda autoridade e toda lei, seja divina ou humana, eclesiástica ou civil. É o aspecto liberal da Revolução.”

Nesta conferência de 22 de outubro de 1983, o Prof. Plinio Corrêa de Oliveira explica como o processo revolucionário iniciado nos fins da Idade Média, depois de 500 anos conduziu a humanidade ao caos em que vivemos. Esta conferência nos ajuda a compreender a tese defendida pelo professor, no seu principal livro Revolução e Contra-Revolução.

Deixe uma resposta