Paulo Roberto Campos

Hoje, inesperadamente, deparei-me com outro artigo de Dom Aloísio Roque Oppermann, SCJ — Arcebispo Metropolitano de Uberaba [foto]. Seu ponto de vista surpreendeu-me agradavelmente e o submeto à avaliação dos leitores deste Site.

Segue, sem maiores comentários, a transcrição do breve artigo, pois, para bom entendedor…

— E a fonte de tal artigo?

— Fico até com receio de citá-la… Tenho medo de que a “fonte” o retire de seu site — como já o fez com outros artigos, postos off-line (leia-se “excomungados”) porque não estavam em sintonia “ideológica” com a generalidade dos membros da CNBB… Ihhh! acabei citando a “fonte”… Sim, é difícil acreditar, mas lá ainda se encontra.(*)

Dom Aloísio Roque Oppermann

O fascismo chauvinista alemão se estabeleceu, entrando pela porta da frente. Hitler manipulou a alma alemã, com recursos de encantamento irresistível. Seu nome estourou nas urnas.

Estava tão certo da vitória que não ocultou nenhum de seus tenebrosos pensamentos. Todos conheciam suas pregações imperialistas, seu gosto pelo uso da força, sua arrogância diante dos judeus, sua presunção de superioridade da raça ariana.

Um observador, colocado a certa distância, poderia prever a colisão inexorável que aconteceria entre o bem do povo alemão, e o programa foguetório do regime político, que deveria arrostar todas as conquistas civilizatórias. É a história do passarinho encantado, que fica à disposição da cobra que o engole sem escrúpulos.

Não sou daqueles que consideram a Revolução de 31 de março, como um mal absoluto. As intenções foram boas, tendo recebido o firme apoio da opinião pública. Os nobres ideais foram obumbrados, progressivamente, pelo uso abusivo do cerceamento das liberdades.

Com o correr do tempo, as lideranças socialistas, em vez de se converterem, entraram na clandestinidade. Mas posteriormente retornaram, entre aplausos, e ocuparam tranquilamente quase todos os escalões da República cripto-socialista.

Certíssimos do sucesso, já se tem como garantida a execução de alguns programas antiqüíssimos: a interrupção violenta da gravidez; o enfraquecimento da vida familiar, pelo apoio a outros tipos de “família”; a redução à obediência de veículos de comunicação através de prêmios e castigos; a insegurança dos direitos constitucionais; a subserviência do poder judiciário; a impossibilidade de manifestação religiosa em público; a descaracterização do país de qualquer sinal cristão, depois de termos passado ao povo, durante séculos, os ensinamentos de Cristo…Será que se avizinha o tempo em que precisamos ocultar que somos católicos?

A vitória desse programa “moderno” parece ser tão evidente como o pôr do sol antes da noite escura. O nosso veículo tem freio e tem direção. Enxergamos o perigo que se avizinha? “Eis agora o dia da salvação” (2 Cor 6, 2 ). Ainda podemos evitar o grande mal.

(*) http://www.cnbb.org.br/site/articulistas/dom-aloisio-roque-oppermann/4370-cegueira-plumbea

Não corrompam nossas crianças através da “Ideologia de Gênero”

A Ação Jovem do IPCO está promovendo uma campanha nacional de abaixo-assinados que serão enviados para o Presidente Michel Temer pedindo a exclusão da satânica "Ideologia de Gênero" da Base Nacional Comum Curricular - BNCC.

Clique aqui e assine já!

 

9 COMENTÁRIOS

  1. Tem o senhor Paulo Roberto Campos inteira razão. É muito perigoso que o porteiro ou outro funcionário menos da CNBB tomem ciência deste artigo do Senhor Arcebispo de Uberaba. Imediatamente, ele será “excomungado”.
    Ainda bem que o senhor o trouxe à nossa meditação. O artigo está muito bem feito. Todos nós conhecemos a razão plena do que está lá escrito

     
  2. Pena o sr. José Antonio ter se esquecido de frisar que a “aproximação” de Hitler à Igreja contituiu uma simples e ardilosa jogada política.

    O anticatolicismo do fuhrer, longe de ser desbragado como o comunista ou irônico como o liberal-voltaireano, era de uma finura, de uma sofisticação de fazer inveja. O homem sabia o que estava fazendo. Era aos poucos, sutilmente, que ele ia fechando as escolas, os jornais e as associações católicas.

    Ao sr. José Antonio tomo a liberdade de sugerir a tão extensa quanto impressionante colaboração do prof. Plínio Corrêa de Oliveira n’ O Legionário, órgão oficioso da Arquidiocese de São Paulo, a qual tinha um D. Duarte Leopoldo e Silva como arcebispo.

    Aqui está o link: http://www.pliniocorreadeoliveira.info/legionario.asp

    Quanto aos bispos que, como afirma o sr. José Antonio, “assediavam” o ditador alemão, se o faziam, era por conta própria, e não submetidos ao Magistério Superior da Igreja, como os mais apressados podem concluir do texto suspeitosamente indefinido do sr. José Antonio. Ademais, esses supostos bispos pró-nazistas são, de uma certa maneira, apenas antecipadores dos atuais bispos pró-comunistas de hoje.

    Em todo o caso, tratava-se de parcela insignificante, haja vista a bravura, a lealdade ao Papa, o verdadeiro espírito de desprendimento que caracterizavam o episcopado alemão, cuja conduta exemplar está como que sintetizada pela augusta figura do cardeal von Galen, o “Leão de Munster”, recentemente elevado à honra dos altares.

    O sr. José Antonio termina o seu post com um conselho altamente suspeito: “(…), se possível sem se revoltar contra o Cristianismo (…)”

    E mais embaixo, engata com um: “Era assim que funcionava…”.

    Indico ao sr. José Antonio alguns sermões do Pe. Paulo Ricardo, do qual o senhor verá que os padres, nem os bispos, e nem mesmo o papa, estão isentos do pecado. De modo que se torna redundância (para não dizer outra coisa) essa história de não “se revoltar contra o Cristianismo”.

    A Igreja Católica, como os amigos podem ler em qualquer catecismo decente, é Una, Santa e Infalível. Os eventuais erros, e mesmo crimes, cometidos pelos seus membros, incluindo os da mais alta hierarquia, em nada modificam ou perturbam a Unidade, a Santidade e a Infalibilidade do Corpo Místico de Cristo.

     
  3. Dom Roque foi Reitor do Colegio Dehon em Curitiba e é uma personalidade que Lê assuntos polemicos com finalidades de nos alertar e nos esclarecer das ameaças que estão por aí nos atacando como os leões a nossa volta. Lê para descobrir o que pensam a nosso respeito, para que possamos criar nossas defesas. Mas quem se posicionará a nosso favor em batalhas como essas? Infelizmente são tantos os assuntos poelmicos e, mais ainda, as ameaças que grassaam por ae, e Dom Roque tão poucos…

    E aqui tem mais assuntos, por falar em Hitler. Nas entrelinhas de quem quiser acessar o Youtube, verá como Hitler se aproximava da Igreja de então, chegando colocar a suastica ao lato do PX de Cristo. E como era assediado por bispos da época também. Entretanto, fica claro que não foi a Igreja Católica que exterminou milhares de judeus, mas é a mais atingida em todo mundo por cenas dessa natureza. Acessem e tirem suas conclusões, se possivel sem se revoltar contra o cristianismo ao qual pertencemos, Graças a Deus.
    Louvado Seja Nosso Senhor Jesus Cristo!!!

    Assunto: Era Assim que funcionava…

    O despertar da consciência pelo Espírito de Deus e a busca da Verdade diante de fatos históricos irrefutáveis.

    http://www.youtube.com/watch?v=jdA3_nC_ncc

     
  4. Está passando a hora de alguem (ou algumas multidões) tomarem as redeas e sangrar de vez da face da terra esse comunoidealismo, que nunca deu certo em nenhum tempo em lugar algum desse planeta!!!

     
  5. Infelizmente no mundo atual a cegueira obscurece a todos, menos aqueles que mantém a firmeza da fé em Jesus Cristo. A verdade é que as pessoas estão perdendo os valores morais, cada vez mais a prostituição da alma avança e nos quer engolir, num genocídio anunciado…E então ainda podemos evitar o grande mal?Fica tal pergunta suspensa no ar, pois não vejo nas igrejas católicas, falarem sobre estes e outros assuntos tão importantes como o PNDH3. Sabe qual o maior problema da humanidade a falta de união, isso o mal entende muito bem, e continuam unidos na busca pela destruição…

     

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe seu comentário!
Por favor insira seu nome