Patriotismo, 7 de setembro, futuro do Brasil (II)

0

        O Brasil se mobiliza para o 7 de setembro. Claro, não falo dos esquerdistas, nem dos progressistas que parecem desconhecer a Terra em que nasceram. O vídeo, publicado por Dom Walmor, em nada enaltece a virtude do patriotismo; pelo contrário, procura instilar a aversão ao Poder Executivo.

Basta consultar a História de nossa Pátria e ver-se-ão as manifestações, as “paradas” do dia da independência: até os colégios se orgulhavam de seus alunos participarem dos desfiles no dia da Pátria.

Vieram os anos de esquerda, é claro, o patriotismo decaiu. Patriotismo é uma virtude católica. Publicamos abaixo considerações do Prof. Plinio sobre o Patriotismo. Esse, nada tem a vez com o Nacionalismo xenófobo, por exemplo, na China de Xi Jinping.

Escreveu o Prof. Plinio:

“A doutrina católica se opõe nitidamente a qualquer tendência intelectual destruidora do ideal patriótico.”

Razões naturais de Patriotismo

“Por enquanto, (século XX) nosso patriotismo se tem estribado principalmente nas belezas naturais com que a Providência ornou o Brasil.”

        “Nossos poetas têm celebrado à porfia as palmeiras de nossa terra, “onde canta o sabiá”, a espessura de nossas selvas, a beleza de nosso litoral e a riqueza de nosso solo.

        “Pergunte-se a uma pessoa de cultura média qual a razão por que se ufana de ser brasileira e, imediatamente, num arroubo de entusiasmo, ouviremos a interminável lista de referências a nosso céu de anil, a nossa fauna, flora, etc.

Razões de ordem mais elevada: qualidades do brasileiro

        “Raramente, rarissimamente virá à tona uma referência à inteligência de nosso povo, ao seu tino musical invulgar, às tradições históricas brilhantes que o honram, e ao magnífico futuro que a Providência lhe reserva.

        “Ora, está aí, precisamente, o grande erro a que temos sido induzidos por um nacionalismo mal compreendido.

        “É certo que nos devemos ufanar da beleza natural de nossa Pátria. Muito mais do que isto, porém, nos honra o fato de descendermos (…) de gigantes que, desbravando selvas, (…) abriram em um continente por eles descoberto uma civilização que o futuro tornará florescente.

Notemos, de passagem, a esperança que o Prof. Plinio sempre externou, de que “esse ainda será um grande País!”

Nossos grandes vultos valem mais do que as belezas naturais

        “A figura sublime de um Amador Bueno de Ribeira (1584 – 1649) nos honra mais do que a Baía de Guanabara. Os sermões do Padre Anchieta nos dão mais lustre do que as cachoeiras de Paulo Afonso e das Sete Quedas, e nem toda a majestade do Amazonas tem a beleza austera e suave de nossa velha vida familiar, profundamente imbuída de espírito de Fé, e [ainda] hoje preservada – até certo ponto – do vírus fatal do modernismo.”

Nós poderíamos acrescentar os bravos da Insurreição Pernambucana que derrotaram e expulsaram o herege holandês invasor, conforme atesta a nossa História. Duque de Caxias, celebrado pelo Exército nacional. E, assim, outras figuras de nossa História.

O Brasil procura os arquétipos que nos conduzirão à realização de nossa missão no concerto das Nações.

Aqui está outro ponto importante da manifestação de 7 de setembro, 2021: é a noção de brasilidade, de Valores Morais, dos fundamentos de nossa nacionalidade que queremos restaurar e preservar. “Quero meu Brasil de volta”.

Continua o Prof. Plinio:

        “A mentalidade brasileira, no que ela tem de tradicional e nacional (pois que, no Brasil, tradicional, nacional e católico são ideias concêntricas), contém em si germens de uma grande civilização. Não nos contaminou ainda a insensibilidade sentimental do (“american way of life”), frívolo, egoísta e sedento de prazeres. Não nos gangrenaram ainda a dureza, a ganância e o egoísmo implacável que avassalam o mundo. E até nos nossos defeitos há elementos de bondade mal compreendida. Assim, a célebre “moleza” com que muitas vezes – é preciso confessá-lo – nos acumpliciamos com as ações as mais condenáveis, por meio de uma tolerância culposa, não é propriamente uma adesão ao mal, mas o receio (censurável, é certo) de causarmos desgosto a alguém.”

Esperança no futuro do Brasil

       “Eduque-se nos princípios religiosos e católicos (este grande povo), e ver-se-á dentro em pouco um Brasil novo florescer, em que, eliminados os defeitos e reconduzidas as qualidades boas a seus verdadeiros limites, a História saudará o aparecimento de uma grande nação.”

O Brasil se levantou contra a esquerda e a derrotou nas Urnas. O Brasil procura renovar a sua classe política, a ascensão de representantes que defendam os Valores Morais, esteio da nacionalidade.

Às Ruas!; patriotismo é virtude

Essa é a missão do Brasil, odiada pelas esquerdas e pelo falso Centrão. Os progressistas, os adeptos da TL, os ecologistas fanáticos jamais divulgam essa esperança no futuro do Brasil. Eles querem o culto à “mãe terra”, a fossilização dos índios, a sujeição de nossa Pátria à ideologia marxista.

Esse é o senso de brasilidade, de patriotismo, de esperança no futuro do Brasil.

Nossa Senhora Aparecida nos guie, dê forças e alento, leve milhões e milhões às ruas … em defesa da missão providencial da Terra de Santa Cruz que as esquerdas e o falso Centrão querem nos roubar.

Fonte: Legionário, 29 de janeiro de 1939, N. 333 – Patriotismo autêntico (por Plinio Corrêa de Oliveira) (pliniocorreadeoliveira.info)

Deixe uma resposta