Frutos amargos vai produzindo a política racista do governo do PT e da esquerda católica, separando índios e brancos, como se não fossem todos brasileiros e filhos de Deus

Moradores de Humaitá protestam pelas mortes
Moradores de Humaitá protestam pelas mortes

Humaitá, cidade com cerca de 50 mil habitantes ao sul do estado do Amazonas, tem em sua vizinhança uma reserva indígena. Dessas que o governo federal se empenha para que conserve seus costumes e tradições, mas que vive contraditoriamente em grande parte das benesses proporcionadas pela Fundação Nacional do Índio (Funai): luz elétrica, celular, tablet, tênis da moda!

Sou favorável a que os índios tenham todos os benefícios autênticos da civilização. E por isso não compreendo por que mantê-los confinados nesse tipo de reservas, que funcionam quase como um território sagrado e autônomo no qual um reles branco não pode pôr os pés. E não se alegue a Constituição, pois nos pontos em que ela coloca entraves ao bem comum é possível mudá-la — a base governamental tem maioria.

Como fruto dessa política de criar uma classe indígena privilegiada, não sujeita às leis que valem para todos os brasileiros, vão se produzindo acirramentos indesejáveis entre brancos e índios, quando o ideal seria que houvesse cooperação e amizade.

A população de Humaitá se revolta

Para ganhar uns cobres extra, os índios de Humaitá se deram ao luxo de instituir postos de pedágio irregulares na rodovia Transamazônica, pois são impunes. É mais uma causa de atrito com os moradores.

Ocorre que três humaitaenses desapareceram, e depois foram encontrados pela polícia mortos com tiros de espingarda e enterrados no território indígena. Cinco índios já foram presos, e suspeita-se que há ainda outros envolvidos. As notícias abaixo foram largamente publicadas (*).

Ao praticar o sequestro e posterior assassinato, os índios acusados estariam querendo se vingar da morte do cacique Ivan Tenharim — encontrado agonizante na estrada, ao lado de sua motocicleta —, desconfiando que ele foi assassinado. A versão que prevaleceu, porém, é que ele caiu da moto e morreu. Alega-se que estaria bêbado.

Como surgiu a suspeita de assassinato desse cacique? Segundo Gilvan Tenharim, 24, filho do cacique, “em nenhum momento a gente falou que o meu pai foi assassinado. A gente não protestou nem chegou a acusar ninguém”. Mas a reação do coordenador regional da Funai, Ivã Bocchini, foi diferente. Em texto publicado no blog oficial do órgão dias após a morte, ele levantou a hipótese de assassinato. Para o filho do cacique, houve uma “precipitação” da Funai. “A gente viu que ele caiu da moto.”

Contatado pela imprensa, Bocchini desligou o telefone após a reportagem se identificar. O texto acusador foi apagado do blog da Funai. Dias depois Boschini foi exonerado.

Tensões acumuladas

Indios tenharim querem a volta do pedágio
Indios tenharim querem a volta do pedágio

Milhares de pessoas revoltadas com o assassinato de três moradores cometido pelos índios Tenharim promoveram um quebra-quebra na cidade de Humaitá no início da noite de Natal. Atearam fogo na sede da Funai e da Funasa (Fundação Nacional de Saúde) e incendiaram 13 carros estacionados no pátio. Depois seguiram para as margens do rio Madeira, onde atearam fogo a três barcos de grande porte usados pela Funai para transportar índios da cidade para as aldeias”.

Moradores disseram à PF que viram os índios empurrando o carro onde estavam os desaparecidos. Segundo autoridades policiais locais, o atual conflito é resultado de tensões acumuladas na região entre índios e não índios. A população está revoltada, há um ódio acumulado.

Os líderes da manifestação alegam que a polícia federal, o exército e a força nacional foram omissos no momento de efetuarem as buscas dos três desaparecidos que segundo informações sigilosas foram assassinados, e tiveram seus corpos queimados e enterrados no meio do mato, por dezenas de índios”.

146 índios estavam no centro de Humaitá quando começaram a ser hostilizados. Acuados, decidiram se refugiar na base do 54º Batalhão de Infantaria de Selva do Exército. Cerca de 3.000 pessoas participaram do protesto e entraram em confronto com a polícia. Vários humaitaenses ficaram feridos.

Para o superintendente da Polícia Federal em Rondônia, Carlos Manoel Gaya da Costa, os índios “não são amigáveis” e limitaram a área de atuação dos agentes da PF na reserva. “Eles dificultam o acesso da polícia à área”.

Dois dias após essas manifestações, cerca de 300 moradores invadiram as aldeias da Terra Indígena Tenharim. Eles se dividiram em carros e caminhonetes, passaram pela aldeia Mafuí, atearam fogo em casas e destruíram o pedágio criado pelos índios no quilômetro 145 da Rodovia Transamazônica (BR-230).

Antes de destruir o pedágio e incendiar as casas, ainda de madrugada, o grupo cortou a energia elétrica das aldeias. “Eles estavam muito furiosos”, disse o funcionário da Eletrobrás, Carlos Alberto Santos, chamado para restabelecer o fornecimento de energia.

No momento em que escrevemos, os corpos foram encontrados e o carro em que viajavam está destruído; os índios não querem abrir mão do pedágio; e a população de Humaitá continua revoltada.

Depoimentos

Eis alguns depoimentos de moradores publicados em “O Estado de S. Paulo” (29-12-13):
1“Temos índio aqui que é professor, a gente os respeita como seres humanos, mas como podemos confiar neles depois do que aconteceu? Revoltada, a população é capaz de tudo”, diz a funcionária pública Marlene Souza.

2“Eles vêm à cidade, enchem a cara, fazem baderna e fica por isso. Agora que o povo reagiu, eles pegaram o peco (fugiram); índio é protegido pelo governo que nem bicho, então tem de ficar no mato, não tem que viver em dois mundos, no nosso e no deles; o cacique deles caiu da moto porque era um pé inchado (bêbado)”, disse o almoxarife Edvan Fernandes Fritz, 29 anos.

3“Temos dois Brasis: um, esse em que a gente vive; o outro, um Brasilzinho que o governo reservou para os índios”, disse o madeireiro Elias Trepak, de 60 anos. Segundo ele, há mais de seis anos os índios controlam a Transamazônica nos 140 quilômetros da reserva e não se faz nada.

4 – A multidão chegou, tombou e incendiou uma viatura e começou a depredar o prédio [da Funai], disse a dona de casa Wilma Oliveira da Paixão, de 24 anos. “Logo alguém jogou uma bola de fogo, aí começaram a incendiar tudo”.

___________
(*) “A Crítica de Humaitá”, 26-12-13 e 11-1-14; “Folha de S. Paulo” e “O Estado de S. Paulo”, edições de 27-12-13 até 15-1-14.

11 COMENTÁRIOS

  1. Trecho do meu e-mail para arquidiocese de Manaus sobre envolvimento político da nossa igreja com os petistas.

    Depois de presenciarmos o caso de Humaitá e o envolvimento da FUNAI e agora o palanque eleitoreiro da CPI da pedofilia da Assembleia Leg. do Amazonas, (dep. estadual petista foi coautor da CPI) reforço o que presenciei.

    Fui para missa de envio missionário dos catequistas e agentes pastorais na paróquia de São Francisco, no bairro do Mutirão, adivinham quem estavam na igreja para fazerem uma reunião sobre Fé e Política?

    Dois políticos petistas, um dep. estadual e um vereador, não pude ir porque ainda sou um catequizando, mas vejam o absurdo que estão fazendo com a Igreja de Cristo!

    E a leitura do dia foi São Mateus 5, 17-33, confirmando os dez mandamentos no Êxodo 20, incluindo não cometerás homicídio; não furtarás e não cobiçaras o que é do próximo; tudo que o PT apoia.

  2. OLHEM O INFERNO EM QUE SE ENFIOU A VENEZUELA!
    Onde os comunistas adentram como aqui também no Brasil via PT – segue no mesmo caminho acima se os brasileiros não acordarem, respaldados pelos sedizentes católicos da esquerda – muitos seriam comunistas infiltrados na Igreja e que foram sentenciados pelo papa Leão XIII como “pestes mortais” na Quod Apostolici Muneris – trazendo junto a si:
    A bandeira de 5 pontas que é o pentagrama satânico
    O martelo, da destruição.
    A foice, da morte.
    O vermelho da bandeira: o sangue dos adversários.
    E por trás de tudo isso como na cauda de Satã, arrastam todos para as chamadas lutas de classes – o inferno antecipado na terra em que uns batem contra os outros, idem os grupos – numa antevisão de como serão os condenados ao inferno agredindo-se entre si.
    Onde os maus ou incautos cristãos os elegem, eles pervertem a todos, como nas sexo-novelas e BBBs em que o pai deles Satanás, por meio dos atores, passa a todos seus súditos ouvintes as mensagens do dia!
    PRECISAMOS ODIAR. O ODIO É A BASE DO COMUNISMO. AS CRIANÇAS PRECISAM APRENDER A ODIAR SEUS PAIS SE NÃO FOREM COMUNISTAS – Lênin.

  3. Excelente comentário. Resumo de toda a política socialista/comunista deste Governo Petista. Merece maior divulgação na rede para iluminar o pensamento deste povo, inerte diante de tantas atrocidades cometidas contra a liberdade de nosso povo.

  4. Tenho o maior respeito por gualquer povo indígena, mas é um absurdo sem tamanho cobrar pedágio numa rodovia federal ou municipal que seja, a conivência das autoridades com esse absurdo gera sempre conflito.
    Só no governo esquerdista de Dilma e companhia, todos tem direito a tudo e ninguém tem deveres.
    Essa estratégia inominável de dividir para dominar, leva as sociedades a um estado permanente de beligerância mútua, propiciando aos dominantes esquerdista implantarem o sistema desejado.

  5. O objetivo maior da implementação de reservas indígenas, que há décadas não são mais silvícolas, é uma questão estratégica para o PT, em caso de revolta popular, eles já tem locais por todo o Brasil, onde abrigar guerrilheiros, acreditem ou não.

  6. Infelizmente isso é resultado do trabalho do governo do pt,não deixa mais que missionários quer católicos quer evangélicos tenham contato com os indios.

  7. Excelente o artigo de Cid Alencastro, tanto quanto o comentário do Sr. Aldo Langbeck Canavarro. O conflIto em Humaitá é a ponta de um iceberg com a dimensão de todo o país. Os conflitos motivados pela questão indígena estão presentes em muitas outras regiões, de Norte a Sul, muitos deles de gravidade semelhante, todavia não ganhando tanto destaque na mídia. Vejam, por exemplo, as barbaridades patrocinadas – e reconhecidas – pelo governo em Suiá Missu. Existem inúmeras matérias a respeito desse caso, publicadas na rede. Como não bastassem os conflitos com índios, foram criados os conflitos em torno dos quilombolas. E se isso ainda não for suficiente, já estão desenvolvendo a questão dos “pesqueiros”, para produzir conflItos quanto à áreas ribeirinhas. Evidentemente estão em curso os bem conhecidos métodos da extrema esquerda destinados a aprofundar o sistema de governo totalitário e autoritário do qual já estamos nos ressentindo. A fachada é sempre de causas nobres, como reparação de dívidas históricas com os povos originários, os escravos, trabalhadores, etc. etc., as quais ninguém ousa contradizer. É a pele de cordeiro cobrindo as intenções malévolas do mais feroz de todos os lobos. Na verdade o PT, os partidos seus filhotes e partidos satélites, agora com a mão no caixa público e dispondo de imensos recursos para quaisquer fins que consideram legítimos, legais ou não, se tornaram abrigo perfeito para minorias ideológicas querendo se valer da oportunidade para impor as mais retrógradas e fracassadas teses socialistas, sintonizadas com o marxismo, que em lugar nenhum desse mundo deram certo. Mas, por que a situação chegou a esse ponto? Pela omissão das pessoas de bem que estão carregando o piano desse desvario todo, pagando os tributos sobre o que ganham e sobre tudo o que consomem. Em suma, exatamente o proletariado que esses safados, pretensos intelectuais, alegam defender. Na verdade esses espertalhões querem é passar bem e ter poder, como acontecia com o antigo comissariado soviético, hoje milionários e até bilionários. Por isso todos devem se conscientizar, mesmo os beneficiários das humilhantes bolsas eleitoreiras, que coisas muito ruins podem sim bater à porta das suas casas, não importando a cor da pele ou a origem étnica. É preciso mudar o rumo das coisas, tanto pelo voto, como pela assídua fiscalização do processo legislativo. Além do futebol e das novelas, mesmo extenuados pelo trabalho, temos que ficar de olho no congresso e naquilo que o governo está fazendo. Salvo robusta prova em contrário, toda legislação e coisas originárias das esquerdas encerram ardis que só vão ser descobertos mais tarde!

  8. Quase não acredito no que estou lendo,”os índios não são amigáveis e limitaram a área de atuação dos agentes da PF na reserva. “Eles dificultam o acesso da polícia à área”.
    Mas a que ponto nós chegamos! Temos um estado dentro do estado, para entrar e vistoriar a área, a PF tem que pedir permissão E só, pode investigar onde eles querem! O que estão escondendo?
    Para entrar na reserva, o Brasil precisará da ajuda de inspetores da O.N.U, pois trata-se de um país independente! Aliás esse é o resultado da assinatura daquele espúrio tratado de auto determinação dos povos indígenas! Canoa furada que nos embarcamos, graças a ação
    dos iluminados mentores do Itamarati! Timoneiros da nossa política externa!
    Há jornalistas justificando a cobrança de pedágio como “indenização pelos danos ambientais causados pela construção da transamazônica” mas não explicam que danos são esses!
    Se o índio é uma cultura primitiva a ser preservada no seu habitat natural, então para que eles querem dinheiro? Posso especular: “para angariar fundos para promover sua independência”,
    ou ajudar na campanha de reeleição da Dilma, se não é para isto, é para ter acesso aos bens e serviços da civilização moderna, nessa hipótese, se tornam cidadãos comuns,não justificando o tratamento privilegiado recebido!
    Na realidade o que o governo está aplicando é o terceiro mandamento do “Decálogo de Lenine” que diz: “divida a sociedade em grupos antagônicos, incitando-os a discussões sociais”, no Brasil
    está se fazendo pior, dividindo a sociedade em grupos antagônicos
    e lançando-os uns contra os outros! Dividir para enfraquecer facilitando a tomada do poder total!

  9. Até quando os índios, classificados pela FUNAI como seres divinos, irão se integrar à nação brasileira como irmãos?

    A colaboração que no tempo do Brasil colônia puderam prestar na formação, defesa e constituição de uma grande nação foram realmente admiráveis, graças às ações dos missionários católicos imbuídos do espírito de um Pe. Anchieta, por exemplo.

  10. Viva o lixo ideológico do PT, do frei Betto e do senhor Boff!
    Viram no que dá o marxismo cultural? Antonio Gramsci não sonharia com nada melhor (diga-se “pior”).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe seu comentário!
Por favor insira seu nome