Qualquer pessoa que tentar dividir a China em qualquer parte do país terminará em corpos esmagados e ossos quebrados“, disse ele (Xi Jinping) ao primeiro-ministro do Nepal, KP Sharma Oli, em uma reunião no domingo, segundo a emissora estatal chinesa CCTV.

Os dois calcanhares de Aquiles da China: Hong Kong e minorias étnicas

“PEQUIM (Reuters) – O presidente (vitalício) chinês, Xi Jinping, alertou no domingo que qualquer tentativa de dividir a China será esmagada, já que Pequim enfrenta desafios políticos em protestos de meses em Hong Kong e críticas dos EUA ao tratamento de grupos minoritários muçulmanos”.

E quaisquer forças externas que apóiem ​​essas tentativas de dividir a China serão consideradas pelo povo chinês como sonhador!”, afirmou Xi Jinping.

Uma pesquisa feita nem junho no território administrado em regime especial, 53% dos habitantes identificaram-se como hongkongueses. Só 12% se disseram “chineses de Hong Kong” e 11% “hongkongueses da China”.

Mais: 71% responderam “não” à pergunta que indagava se sentiam orgulho de ser cidadãos da China. A proporção chegou a 90% na faixa dos 18 aos 29 anos. (https://veja.abril.com.br/blog/mundialista/tortura-chinesa-ate-a-apple-bloqueia-protestos-de-hong-kong/)

Somados à guerra comercial com os EUA

A China, que está tentando diminuir a escala de uma guerra comercial prolongada com os Estados Unidos, viu sua autoridade política testada por protestos cada vez mais violentos em Hong Kong. Como se sabe, a razão dos protestos é a ingerência e o controle cada vez maior de Pequim, apesar do acordo firmado com o Reino Unido, em 1997, nas liberdades civis dos hongkonqueses.

A polícia de Hong Kong usa, com frequencia, balas de borracha, gás lacrimogêneo e canhões de água contra manifestantes pró-democracia na ex-colônia britânica, que mergulhou em sua pior crise política, em décadas.

O presidente dos EUA, Donald Trump, disse que seria difícil negociar com a China se algo “ruim” acontecer no tratamento pelas autoridades chinesas dos protestos de Hong Kong.

* * *

A União Europeia, em especial Macron (que advoga um controle internacional sobre a Amazônia), seria coerente aplicando sanções comerciais à China pelo cerceamento das liberdades civis em Hong Kong e perseguição a minorias etnicas no continente.

O governo Bolsonaro defende a justa soberania sobre a Amazônia brasileira e jamais usou essa expressão: “Qualquer pessoa que tentar dividir a China (o Brasil) em qualquer parte do país terminará em corpos esmagados e ossos quebrados“.

O Brasil pede coerência, imparcialidade e equiparação de trato amável que a ONU, infelizmente, também o Vaticano, usam para com a China comunista de Xi Jinping.

Fonte: https://www.reuters.com/article/us-china-politics-xi/chinas-xi-warns-attempts-to-divide-china-will-end-in-shattered-bones-idUSKBN1WS07W

Deixe uma resposta