Ruralistas de Bagé se defendem

Cerca de 50 produtores de Palmas, na zona rural de Bagé, bloquearam estradas vicinais da região a fim de impedir a entrada de técnicos do INCRA em propriedades já notificadas como ‘território’ de quilombolas.

O que o INCRA quer é instaurar um processo xenofóbico na região. Acreditamos que não seja certo delimitar áreas e separar as pessoas conforme sua cor.

Vamos fazer de tudo para impedir a entrada deles nas propriedades notificadas – disse o líder da comissão formada pelos ruralistas, Favorino Collares.

O INCRA confirmou a notificação aos fazendeiros da região que o levantamento fundiário apontará qual a necessidade de desapropriação.

Alerta ainda que o estudo será publicado no Diário Oficial e que, quem não concordar com o levantamento, terá 90 dias para entrar com recurso que, como de costume, não será levado em conta…

Fonte: marina.lopes@zerohora.com.br

2 COMENTÁRIOS

  1. Meu pai tem um pedaço de campo lá nas Palmas. Mais ou menos uma vez por mês vamos lá descansar. Moramos 3 anos lá, bons anos.
    O que há de errado nisso daí é o dedo socialista do Lula (que assinou a lei). Querem fazer uma comunidade comunal ;)
    Pelo resgate histórico, é bem justo sermos desapropriados, pois, se ficar provado documentalmente que os campos eram dos antepassados deles (independente do tamanho) e que foram roubados pelos fazendeiros, hoje em dia deveria ser deles por Justiça, pois herdariam. E outra os que forem desapropriados (se forem) receberão a quantia devida ao valor de ‘seu’ campo.

    Paz!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe seu comentário!
Por favor insira seu nome