Líder do MST, José Rainha, sobre o Abril Vermelho

     

    MSTImagine a seguinte cena: Você ouve um barulho a noite, percebe que é de um ladrão arrombando uma janela. Pega o telefone e liga para a polícia. O bandido te ouve e lhe diz: “Não, não precisa ligar para a polícia. Eu só vou assaltar a casa do vizinho”. É mais ou menos isso que disse o líder do MST, José Rainha, sobre o Abril Vermelho. Veja a notícia abaixo, de “O Estado de S. Paulo”.

    Até quando o MST ficará impune? Não sei. Medidas e decretos governamentais como o PNDH-3 só tendem a perpetuar a baderna e subversão dos ditos “Movimentos Sociais”.

    Tudo com vistas a implantar a Reforma Agrária Socialista e Confiscatória. A mesma que serviu de início para a Revolução Russa.

    ***

    Produtores rurais de Araçatuba, no interior de São Paulo, organizam o Abril Verde, evento que pretende reunir 2 mil ruralistas em contraponto ao Abril Vermelho, onda de ocupações do MST programada para o próximo mês. Segundo o Sindicato Rural da Alta Noroeste (Siran), o Abril Verde pretende ser o maior encontro de produtores rurais do Estado de São Paulo”, no dia 10, em Araçatuba.

    A programação inclui a realização de palestras sobre temas ligadas à categoria, como Código Florestal e reforma agrária. O ex-ministro da Agricultura Roberto Rodrigues será um dos palestrantes.

    Ao tomar conhecimento da iniciativa dos produtores rurais, o líder dissidente do MST, José Rainha Júnior, anunciou que durante o Abril Vermelho não haverá nenhuma ocupação de fazenda em Araçatuba. A mobilização focará na instalação de acampamentos que, segundo José Rainha, servirão para pressionar a reforma agrária em propriedades de outras regiões do Estado. (grifos nossos)

    Fonte: O Estado de S. Paulo, por Chico Siqueira