Esquerda, impostos, drogas e aborto formam um todo inseparável.

Em poucos dias a Argentina dá uma guinada à esquerda: do Ministério da Segurança da Provincia de Buenos Aires vem a ideia da legalização total, não somente o consumo, mas a comercialização da maconha e de todas as drogas. (1)

* * *

“As agências de classificação de risco Flitch e S&P rebaixaram a nota da dívida da Argentina. A medida foi necessária após a decisão unilateral do presidente Alberto Fernández, anunciada na última sexta-feira, 20, de adiar até agosto o pagamento de U$ 9 bilhões em vencimentos”. (2)

Solução: mais impostos!


O presidente eleito da Argentina promete legalizar imediatamente o aborto

“Os pró-vida temem que a política atualizada ameace muito os direitos de consciência dos médicos, que já foram atacados. Em maio, um médico pró-vida foi considerado culpado de não ter cometido um aborto quando, em 2017, ele agiu para salvar a vida de um bebê pré-nascido depois que a mãe tinha tomado uma pílula abortiva.

A Lei passa por cima das objeções de consciência?

“Respeitamos a objeção de consciência, mas a objeção de consciência não pode ser usada como álibi institucional para não cumprir a lei”, afirmou Gonzalez. Ele acrescentou que “o protocolo será usado como um guia, especialmente nos casos em que a lei claramente permite a interrupção da gravidez.” (3)

* * *

Assim é a esquerda: impostos, aborto e drogas. O que esperar de nossa irmã, a Argentina, nas mãos da esquerda?

(1) https://es.panampost.com/marcelo-duclos/2019/12/24/buenos-aires-legalizar-drogas/

(2) http://rota2014.blogspot.com/2019/12/ha-13-dias-no-poder-presidente-lulista.html

(3) https://www.liveaction.org/news/argentina-conscience-rights-pro-life-medical-professionals

Deixe uma resposta