Audiência na Câmara dos Deputados (Brasilia) sobre Ideologia Genêro

Seis voluntários do Instituto Plinio Corrêa de Oliveira marcaram presença na audiência pública ocorrida no dia 10 de novembro último, na Comissão de Educação da Câmara dos Deputados. A audiência, convocada por deputados opositores da “agenda de gênero”, visada obter esclarecimentos do Ministério da Educação.

MEC suas promessas

O ministro declarara perante deputados que seu Ministério não promoveria a Ideologia de Gênero, seguindo assim o que fora decidido pelo Congresso Nacional na confecção do PNE (Plano Nacional de Educação). No dia seguinte, entretanto, foi publicado um documento oficial do MEC contendo diretrizes da Conferência Nacional de Educação – CONAE no sentido de promover tal ideologia nefasta nos planos estaduais e municipais de educação.

Audiência na Câmara dos Deputados sobre Ideologia Genêro

Embate entre valores

Além de um secretário do MEC, falaram mais dois defensores do ‘gênero’. A discussão acabou enveredando para o mérito da Ideologia de Gênero em si. Repetiram-se os já batidos ‘argumentos’ sentimentais (“as mulheres estão morrendo!”, “a violência contra os LGBT cresce a cada dia!”, etc.), mas o intento real acabou sendo revelado: trata-se de um embate entre valores, e é necessário impor essa ideologia como um novo valor na sociedade, quebrando as sadias barreiras que a isso se opuserem.

Os defensores da família denunciaram a Ideologia de Gênero como uma arma na destruição da família tradicional, base da sociedade, mostrando o absurdo que é sua promoção no sistema educacional.

Audiência na Câmara dos Deputados sobre Ideologia Genêro

MEC se compromete com a nefasta Ideologia de Gênero

O representante do MEC, após ter tergiversado em sua resposta, acabou por deixar claro que, como não há nenhuma vinculação dos PMEs e PEEs ao Plano Nacional, seu Ministério continuará a promover a discussão de gênero, como forma de “combater o preconceito” no âmbito escolar.

Governo obstinado na Revolução Cultural

Apesar de não significar influência em posteriores sessões deliberativas, essa audiência pública serviu para escancarar a obstinação do Governo esquerdista em continuar seu trabalho de destruição da família, mesmo diante de uma oposição maciça da população, expressa nas várias ocasiões já apresentadas neste site.

3 COMENTÁRIOS

  1. Mesma técnica aplicada no Sínodo dos Cardeais em Roma: nega-se a Lei Divina. – Em ambas contendas são as Leis Divinas que se discute. – Ao “sentimento” pessoal de cada um, generalizando-os, prevalece . O QUE SE DESEJA IMPLANTAR age contra a Lei Natural – a Lei de Deus.
    Nesta linha de lógica estamos a caminho de absolver a Satanás e esvaziar o Inferno. Aliás,”Ele existe?”
    Porque se não existe o delito, não existe o pecado, se não existe o pecado, não existe o Inferno. ECLESIÁSTICOS HÁ QUE O NEGAM Cardeais da Santa Igreja, sim, senhor….
    TODA LEI POSITIVA QUE CONTRARIE O DIREITO NATURAL É NULA , PELA RAIZ”.

  2. Falar o que? Que JESUS está sangrando novamente na cabeça, nas mãos, nos pés, no lado aberto e principalmente no coração? Ao se aprovar tal aberração, estamos tranquilamente crucificando novamente NOSSO SENHOR E SALVADOR JESUS CRISTO e as consequências irmãos, podem ter certeza, serão catastróficas. Conclamo a cada um que se diz cristão, sejam de nossa igreja, sejam evangélicos, etc…, a tomar partido e defender JESUS, pois nestas reuniões está faltando a parte mais importante para falar e defender a vida, seus direitos, além das aberrações da LBGT: JESUS, que não está presente em corpo, nem em alma, mais em Espírito. Ele continua impassível, quieto, como o fez antes de sua morte, mais não está dormindo, está mais vigilante que antes, e se ninguém o representar, ou até morrer por ele, tenho a plena certeza que ele se manifestará. De que forma? Não sei, tudo é mistério de fé. Uma coisa é certa, ele não deixará nada nem ninguém impune, senão fica muito fácil a gente ser ruim e fazer o que bem entender, sem lembrar que antes de qualquer lei existe uma única que não pode ser mudada: A LEI DIVINA.

  3. Sugestão: elaborar uma correspondência de protesto e repulsa, com o endereço do Ministro, para que seja difundida e enviada por todos de seu cadastro. Se estes multiplicarem pelas suas listas próprias, quero ver se não se assustarão com a avalanche de milhões em seus correios?.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe seu comentário!
Por favor insira seu nome