Basta saber qual é a definição de discriminação. Certamente discriminar um católico, que considera o homossexualismo pecado, não vai levar ninguém para a cadeia…

Veja o artigo abaixo que saiu na Folha de S. Paulo do dia 7 de Junho:

Carlos Apolinario

Passeata HomossexualA Assembleia Legislativa de São Paulo aprovou a lei nº 10.948/ 2001, que determina: se alguém for acusado de discriminar um [homossexual] em uma empresa, além da multa e do processo penal, o estabelecimento poderá ter cassada a licença de funcionamento. Ou seja, se a empresa tiver 200 funcionários e sua licença for cassada, todos serão punidos com a perda do emprego.

O movimento [homossexual] faz um intenso lobby para que o Congresso Nacional altere a lei nº 7.716, que define os crimes de racismo. O objetivo das lideranças [homossexuais] é que a legislação passe a punir também aqueles que têm uma opinião divergente das suas.

Se alguém falar contra o casamento entre pessoas do mesmo sexo, ou disser que não concorda com a adoção de crianças por homossexuais, poderá ser processado.

E mais: caso essa lei seja alterada, não poderei falar da Parada [homossexual], nem mesmo fazer o discurso contra a instalação da Central de Informação Turística GLS pela Prefeitura de São Paulo, como fiz na Câmara Municipal. E não poderia nem escrever este artigo. A Constituição Federal assegura o direito à liberdade de expressão.

Podemos criticar divórcio entre héteros, sindicatos, empresários, políticos, católicos, evangélicos, padres e pastores, mas, se falarmos contra o pensamento dos [homossexuais], somos considerados homofóbicos e nos ameaçam, até com processos.

Punir alguém por manifestar opinião divergente é próprio das ditaduras. Eu tenho a convicção de que já estamos vivendo numa ditadura [homossexual], pois, na democracia, qualquer pessoa pode discordar.

Essas medidas tornam os homossexuais uma categoria especial de pessoas. Do jeito que as coisas vão, daqui a pouco alguém apresentará um projeto transformando São Paulo na capital [homossexual] do país.

Fonte: Folha de S. Paulo, segunda-feira, 7 de junho de 2010

8 COMENTÁRIOS

  1. Vamos pensar um pouco!A nível de município, Estado, Nação e Mundo, nós homens(quando digo homem, me refiro ao gênero humano homem e mulher), somos a grande maioria graças a DEUS. Somos tementes a DEUS, vivemos uma vida segundo a vontade dele, temos esposa, filhos, etc.., etc…, Não é justo que permitamos que eles(gays, lésbicas, travestis, etc..) venham nos impor nada, mesmo porque esse tipo de gente, apesar de serem filhos de DEUS, não servem de referência para nada, ou seja, são todos outdoor do demônio e estão colaborando em muito para o fim da criação.E aos senhores promulgadores de lei que favorecem essas pessoas, deveriam no mínimo pensar um pouco em quem elegeu a maioria da assembléia e tenho certeza que em sua maioria foram pessoas de bem e vocês como nossos representantes e guardião da lei, estão deixando muito a desejar.Conclamo aqui para todas as pessoas cristãs ao votar no próximo pleito, verificar quem são realmente as pessoas que merecem nossos votos.A vocês da assembléia que aprovaram, não esqueçam que DEUS jamais aprovaria tal ato o que vem de encontro a única coisa que ainda é preciosa a DEUS nesta terra: “A FAMÍLIA”.

  2. Realmente isso é ditadura homossexual, que democracia é essa que não temos deireitos de opinar e de escolher? Isso é democracia só para os homossexuais e seus adeptos. Quer dizer DITADURA DOS HOMOSSEXUAIS, é isso que estamos presenciando e vivendo, os homossexuais não são obrigados a pensar como nós, mas nós somos obrigados a concordar com tudo o que eles dizem e fazem? Eles tem seus direitos, e nós? onde estão os nossos direitos? Convenhamos !!! onde está o nosso direito como cidadão brasileiro? Vamos protestar, isso não é justo!!!

  3. Nós só pensamos no Congresso Nacional como única fonte de leis que podem ser altamente lessivas para a Nação e, muitas vezes, a bomba vem das Assembleias legislativas e até das Camarass Municipais.
    Esta lei da Assembleia de São Paulo é intolerável e tornou lei em São paulo o que temos combatido no Congresso, o PLC 122.
    E eu só vejo uma forma de lutar contra. Continuar a vida como se a lei não existisse, ter um comportametne idêntico ao que tivemos até agora, criticar nos momentos em que não seja possível deixar de criticar, difundir a boa doutrina quando for necessário, sem ficarmos freados pela lei e se vier o castigo, pois que venha. Pode ser até um momento de pregar a boa doutrina, em pleno Tribunal.

  4. Realmente precisamos apoiar iniciativas como o do vereador Carlos Apolinário, porque noto nos homossexuais radicalidade no perseguir aqueles que pensam opostamente a eles. Nunca uma empresa foi fechada porque o dono ou funcionário é homossexual. E os homossexuais no começo de sua marcha rumo à imposição de suas deformações só “pediam” compreensão. E agora que a grande midia deu a eles todos os direitos, avançam contra as nossas liberdades.

  5. Muito embora o abismo que nos separa do sr. Carlos Apolinário em matéria de fé, não podemos deixar de manifestar a nossa solidariedade ao bravo vereador de São Paulo em sua luta contra a ditadura homossexual.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe seu comentário!
Por favor insira seu nome