ACC_1960_116_11Nossa primeira gravura mostra uma “Cabeça”, mármore de 35,5 cm de altura que se encontra no Museu do Louvre. Procede de Amorgos, no arquipélago grego da Cyclades. Trata-se de um ídolo da era pré-helênica.

As maravilhas do universo devem conduzir o homem ao conhecimento da sabedoria, da bondade e da beleza do Criador de todas as coisas. Mas, tendo se tornado pagão, ele começou a adorar não raras vezes seres inferiores, como os animais, ou até divindades imaginárias horrendas. Com freqüência, adorando figuras humanas adorou-as monstruosas, como é o caso desta “cabeça”. Se alguém com esta cara andasse pelas ruas, causaria horror. E se entrasse num bonde ou num ônibus, imediatamente este se esvaziaria. Se houvesse uma moléstia cujo efeito fosse o de tornar assim suas vítimas, todos os médicos da terra se mobilizariam contra ela. É que se trata de um monstro, muito expressivo, é certo, mas por isto mesmo ainda mais terrível, pois dele só se desprende monstruosidade.

* * *

Como não sentir compaixão dos pobres pagãos, levados a adorar este monstro? Como não perceber a deformação mental e moral que introduz na alma a adoração de um ente como este?

A tal respeito, a Sagrada Escritura observa com clarividência que os homens se modelam pelas coisas que amam: “Encontrei Israel como cachos de uva no deserto; vi os seus pais como os primeiros frutos da figueira, que aparecem no cimo dela; mas eles foram ao templo de Beelfegor, e afastaram-se de mim para se cobrirem de confusão, e tornaram-se abomináveis como as coisas que amaram” (Oz. 9, 10).

ACC_1960_115_3

ACC_1960_116_22Se é verdade que aquilo que o homem ama o transforma, pergunta-se: é desejável modelar alguém segundo esta estranha e grotesca cabeça reproduzida na segunda foto? O leitor quereria, por exemplo, que segundo ela se conformassem de alma ou de corpo os seus filhos?

E como dói dizer que a intenção do autor, o conhecido escultor francês contemporâneo Jean Lambert-Rucki, foi representar Nosso Senhor Jesus Cristo, a fonte de toda a santidade e, por isto mesmo, modelo infinitamente perfeito de inefável equilíbrio de personalidade.

Dizer a alguém: este foi Cristo, imita-o, sê como Ele, é educar, é formar, é trabalhar para a ascensão espiritual do homem?

Publicado originalmente em “Catolicismo” Nº 116 – Agosto de 1960  na seção Ambiente, Costumes, Civilizações”

COMPARTILHAR
Artigo anteriorO Kremlin manipula “inocentes úteis”, alguns não tão inocentes, outros muito úteis
Próximo artigoPokémon Go e os adultos infantilizados
Plinio Corrêa de Oliveira
Homem de fé, de pensamento, de luta e de ação, Plinio Corrêa de Oliveira (1908-1995) foi o fundador da TFP brasileira. Nele se inspiraram diversas organizações em dezenas de países, nos cinco continentes, principalmente as Associações em Defesa da Tradição, Família e Propriedade (TFP), que formam hoje a mais vasta rede de associações de inspiração católica dedicadas a combater o processo revolucionário que investe contra a Civilização Cristã. Ao longo de quase todo o século XX, Plinio Corrêa de Oliveira defendeu o Papado, a Igreja e o Ocidente Cristão contra os totalitarismos nazista e comunista, contra a influência deletéria do "american way of life", contra o processo de "autodemolição" da Igreja e tantas outras tentativas de destruição da Civilização Cristã. Considerado um dos maiores pensadores católicos da atualidade, foi descrito pelo renomado professor italiano Roberto de Mattei como o "Cruzado do Século XX".

1 COMENTÁRIO

  1. Estou escrevendo de Birmingham, AL, USA. Ao longo de 14 anos, vimos para esta terra para nos encontrarmos amorosamente com nossa filha, Andrea, nossas netas, Julia,13, Olivia, 9, e nosso genro Andre. Aqui nos deparamos cada vez com o que o texto chamda de `american way life’. Podemos nao concordar com essa forma de ver o mundo, mas temos que convir que a organizacao norte-americana e’ invejavel. Ainda sob os efeitos ufanistas, imaginamos a situacao dos atletas americanos em solo brasileiro, se tivesse acontecido ca’ com atletas brasileiros em irresponsaveis atitudes…: a virtude esta’ no meio, diz o ditado latino e achamos que o que foi feito pelos brasileiros, foi feito nessa linha…Gracas a Deus, o resultado foi edificante para o nativo e justo e razoavel aos visitantes. Cordialmente, Sebaheide.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe seu comentário!
Por favor insira seu nome