Uma brutal blasfêmia na terra de Nossa Senhora de Fátima

Nossa Senhora de Fátima. Imagem chorou em Nova Orleans, EUA, na década de 1970.
Nossa Senhora de Fátima.

A edição portuguesa da revista pornográfica “Playboy” que chegou às bancas no ultimo dia 1° de julho é uma brutal blasfêmia!

Na capa da revista um homem representando Nosso Senhor com uma mulher sensual e seminua na cama.

“Não ofendam mais a Nosso Senhor, que já está muito ofendido!” – Esta advertência é de Nossa Senhora de Fátima na sua última aparição, no dia 13 de maio de 1917, e se aplica ao que se passa hoje no mundo, cada vez mais descristianizado.

As ofensas a Deus, sobretudo as blasfêmias, estão virando moda! E agora também em Portugal, terra de Nossa Senhora de Fátima.

A revista pretendia fazer uma homenagem ao escritor José Saramago, ateu confesso e comunista impenitente, cuja obra “O evangelho segundo Jesus Cristo” mostra um Jesus humanizado e alude a uma sua eventual relação com Maria Madalena. É de Saramago esta frase: “Denuncio as religiões, todas as religiões, por nocivas à Humanidade”.

A indústria pornográfica rende assim homenagem a um ateu que vilipendia a pessoa adorável de nosso Divino Salvador.

Uma aliança infame entre a impureza e o ateísmo contra a Aquele que disse “Eu sou o caminho, a verdade e a vida”.

Fotos desta edição foram reproduzidas em sites de vários países, como Brasil, Espanha, Estados Unidos e Inglaterra, dando uma dimensão internacional à blasfêmia. No interior da revista, outras fotos repetem cenas blásfemas. Jesus Cristo aparece cercado de mulheres seminuas em situações variadas: num sala com prostitutas, numa cozinha perto de uma mulher armada e observando uma cena de lesbianismo.

O mau gosto, a imoralidade e o grotesco das fotos fazem lembrar os desenhos e as pinturas que corriam na imprensa anticlerical no Século XIX. A edição portuguesa da revista “Playboy” tem uma circulação de 80 mil exemplares.

Jornais portugueses informam que, dado o tamanho do escândalo, o grupo Playboy Entertainment anunciou o cancelamento do contrato com a editora portuguesa Frestacom. Mas a Playboy Portugal afirma que não foi avisado de nada e prepara o seu próximo número…

Reaja agora mesmo!