Violências islâmicas contra os católicos no Paquistão: “diálogo” não adianta

    Diálogo inter-religioso
    “Diálogo inter-religioso” não adiantou, diz padre.

    Bandos de fanáticos islâmicos vem semeado a morte e o terror nos bairros cristãos de Faisalabad, no Paquistão, contou à Agência Fides, o Pe. Pascal Paulus OP, pároco da Igreja do Santo Rosário.

    Eram grupos incontroláveis: devastaram estradas e lojas, atiraram, destruíram, saquearam e incendiaram”, disse o sacerdote.

    Em julho, os jovens católicos Rashid e Sajid Emmanuel foram falsamente acusados e presos por “blasfêmia” contra o Corão.

    A Justiça os inocentou e liberou, mas foram barbaramente assassinados na saída do tribunal.

    De nada adiantaram as tentativas de “diálogo inter-religioso” com os líderes religiosos muçulmanos locais, reconheceu o Pe. Aftab James Paul, chefe da Comissão para o Diálogo da diocese.

    Violênca anticristã no Paquistão

    No mundo islâmico, esse “diálogo” relativista é visto como um sinal de debilidade dos católicos, fato que os encoraja para novas violências.