Décimo primeiro prêmio a “Retorno à Ordem” prova que o livro é mais oportuno do que nunca

Transcrito do site: returntoorder.org 

return-to-order-standarteSPRING GROVE, Penn. (18 de novembro de 2016) – Como uns Estados Unidos profundamente divididos podem se recuperar de um extenuante ciclo eleitoral está longe de ser claro, mas o livro Retorno à Ordem contém elementos valiosos que podem ajudar. Na verdade, sua mensagem é mais oportuna do que nunca, como pode ser visto pelo fato de o livro ter acabado de ganhar seu décimo primeiro prêmio. Escrito por John Horvat II, vice-presidente da Sociedade Americana de Defesa da Tradição, da Família e da Propriedade (TFP), Retorno à Ordem ganhou o prêmio de vice-campeão na Competição de Livros Indie Melhor Prateleira de 2016. E também acabou de ultrapassar um quarto de milhão de exemplares em circulação.

“A notícia sobre o prêmio foi muito bem-vinda”, comentou Horvat. “Acho que isso mostra o quanto as pessoas são sedentas de ordem em nossos tempos caóticos”.

Retorno à Ordem: de uma economia frenética para uma sociedade cristã orgânica – onde estamos, como chegamos aqui e para onde precisamos ir está atingindo leitores e formadores de opinião de todo o País. Horvat está constantemente conversando com grupos, apresentadores de talk-show e líderes sobre como fazer a conexão necessária entre a economia, a fé e os valores morais. Ele mostra como a intemperança frenética da cultura secular de hoje está destruindo a Nação. Mais importante ainda, ele propõe o que chama de soluções orgânicas.

book-award-small-300x272A Competição de Livros Indie Melhor Prateleira de 2016 recompensa aqueles escritores independentes que se destacam em seus campos. O prêmio é patrocinado pelo Shelf Media Group, editor da revista de crítica Shelf Unbound Indie, que apresenta o melhor da pequena imprensa e livros autopatrocinados. A revista chega a 125 mil leitores ávidos em mais de 70 países, sendo conhecida por suas entrevistas em profundidade com autores que vão desde talentos não classificados a vencedores do Prêmio Pulitzer. O prêmio atrai escritores das categorias ficção e não ficção.

O prêmio vem quando mais de 265.000 exemplares de Retorno à Ordem estão em circulação, impressos, e-book e formatos de áudio. O marco de mais de um quarto de milhão é produto de uma campanha intensa para divulgar o livro. Horvat fez apresentações em mais de sessenta cidades em todo o País, incluindo recentes apresentações em Las Vegas e Bismarck, ND. Ele participou de mais de 355 entrevistas com os meios de comunicação e é um colaborador frequente de várias fontes de notícias nacionais, incluindo American Thinker, Crisis Magazine, The Stream, Imaginative Conservative, TheBlaze e outros.

“A solução para a crise atual deve envolver o retorno a uma ordem que aborde todo o quadro do que deu errado na América, não apenas partes do quebra-cabeça”, disse Horvat em um comentário recente sobre as eleições.

Retorno à Ordem recebeu dezenas de recomendações de líderes religiosos, militares e políticos. E o foi o primeiro classificado na Amazon/Kindle em quatro países.

Retorno à Ordem apresenta recomendações valiosas para restaurar nossa sociedade em seus fundamentos de liberdade ordenada e valores tradicionais”, disse o Honorável Edwin Meese III, ex-Procurador-Geral dos Estados Unidos.

Para obter mais informações sobre Retorno à Ordem, visite o site www.returntoorder.org. Programe uma entrevista, converse ou reserve um evento com John Horvat, ligando para 717-309-7147 ou enviando um e-mail para jh1908@aol.com.


Tradução: Helio Dias Viana

 


2 comentários em "Décimo primeiro prêmio a “Retorno à Ordem” prova que o livro é mais oportuno do que nunca"

  1. José Mendes   2 de dezembro de 2016 at 10:20

    Engraçado, vocês postam muito notícias sobre esse livro e nada de sair em idioma português. Já fazem anos! Impossível que não tenha nenhum tradutor entre vocês. Está na hora de começarem a se mobilizar, pois não adianta nada ficar postando notícias sobre o livro sendo que ninguém aqui ainda leu…

     
    Responder
  2. Onofre Velloso de Bastos   28 de novembro de 2016 at 12:58

    Existe previsão para uma edição do livro em português?

     
    Responder

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado