São Vilbrardo ou Wilibrordo nasceu, segundo uns, em Northúmbria, na Irlanda, em 658, e morreu em Echternach (atual Luxemburgo), a 7 de novembro de 739; segundo outros, nasceu no berço nobre dos Kents, na Inglaterra meridional, em 658. Essa casa real inglesa, desde o século IV, forneceu grande quantidade de santos fundadores para a Igreja da época, inclusive seu pai, São Wilgide.

Este, quando o filho tinha cinco anos, consagrou-o a Cristo, e entregou-o aos beneditinos do Mosteiro de York, onde foi educado.

Ainda jovem, demonstrou ter vocação religiosa, dando preferência à vida de reclusão. Aos vinte anos, seguiu para a Irlanda, a pátria dos monges, para aperfeiçoar seus conhecimentos teológicos. Pouco antes de completar trinta anos de idade, recebeu ordenação sacerdotal.

Segundo Alcuíno, – grande auxiliar de Carlos Magno para instruir e reformar a corte e o clero gauleses – “Durante cinquenta anos este grande missionário e grande amigo de Cristo dedicou-se, dia após dia, à conversão dos infiéis”.

Com efeito, em 690, junto com outros onze companheiros missionários, foi evangelizar as regiões no norte da Europa, povoadas pelos bárbaros pagãos. O ponto inicial foi a Holanda, antiga Frísia, onde  Pepino d’Herstal – mordomo do palácio do rei franco da Austrásia, e depois também da Neustria e da Borgonha – que era cristão, os acolheu com agrado. Esse reino tinha acabado de anexar um território, antes dominado pelo duque pagão Ratbodo. Era um lugar selvagem, onde os habitantes não aceitavam o Evangelho, por isso motivo da missão.

Wilibrordo, antes de ir evangelizar aquela região, quis antes receber a aprovação e a bênção do papa Sérgio I, ao qual era muito devotado. Em Roma, ganhou não só o apoio do Pontífice, como também algumas relíquias de santos mártires para serem colocadas nas igrejas que seriam construídas durante o processo da evangelização.

Santo Vilibrardo foi um grande organizador e um excelente líder, e logo fez muitos progressos na evangelização. Cinco anos depois, voltou à Cidade Eterna e entregou ao mesmo Papa um relatório dos resultados que conseguira. O papa, em agradecimento, consagrou-o bispo de Utrecht, e acrescentou ao seu nome um outro de origem latina: Clemente.

Ao chegar de volta à Holanda, Wilibrordo fundou a primeira sé episcopal, em Utrecht, e construiu a catedral do Santíssimo Redentor. Depois, na condição de primaz do país, formou uma equipe de bispos auxiliares, conseguindo importantes conversões naquele território. São lendárias e inúmeras as viagens que fez pelo rio Reno em direção à Dinamarca e à Holanda.

Quando seu protetor Pepino, morreu, parte das terras da Holanda voltaram para o domínio do pagão Ratbodo. Por isso Wilibrordo teve de sair de cena, indo refugiar-se no mosteiro que fundara em Trèves, não muito distante. Mas morrendo Ratbodo, voltou à sua missão. Nessa ocasião contou com a ajuda do seu sobrinho, Bonifácio, outro grande missionário que a Igreja incluiu no seu livro de santos. De maneira que Wilibrardo pôde ver o cristianismo consolidar-se no norte da Europa.

São Vilibardo morreu no seu mosteiro de Echeternach, no atual Luxemburgo, construído sobre o rio Reno, em 7 de novembro de 739, já bem idoso. A Igreja canonizou-o como o “Apóstolo dos Frisões”. Sua festa ocorre no dia de sua morte, é uma das mais celebradas em toda a Holanda.

Gostaria de receber as atualizações em seu email?

Basta digitar o seu endereço de email abaixo e clicar em “Assinar”.

[egoi_form_sync_3]

Deixe uma resposta