A 9 de abril de 1906, em Chauchina, na Espanha, uma velha virtuosa chamada Rosario Granados Martin, que a mais de três anos só podia andar apoiando-se no espaldar de uma cadeira, devido a purulentas feridas que ela sofria nas pernas, foi à periferia da cidade muito cedo de manhã para tratar dessas feridas. Tão terrível estava o estado de Rosário que ela tinha de fugir das pessoas que a encontravam.

Nesse dia, a triste velha ficou emocionada, quando uma Senhora, vestida de luto, veio em sua direção, portando um modesto rosário preto, e parou para perguntar o que lhe havia acontecido. Rosário respondeu que estava quase desesperada, porque nem Deus nem a Virgem ouviam suas orações. A Senhora então ordenou que ela a seguisse até o cemitério, e no mesmo instante, a velha soltou a cadeira e a seguiu com grande agilidade, surpreendendo a todos que a viram.

Chegando em um riacho que havia no caminho, a Senhora lhe deu a mão para ajudá-la a atravessar, e quando Rosário estendeu a sua para agarrar a da Senhora, um jovem que a viu em tal atitude julgou-a louca, pois não via ninguém além da velha. Um vizinho das últimas casas da cidade convidou-a a descansar, mas como ela respondeu que seguia uma Senhora de “belíssimos olhos e rosto cheio de graça”, este também a tomou por louca.

No cemitério, a Senhora de luto lhe disse com compaixão e tristeza: “Rezemos pelos infelizes do mundo que não temem a Justiça Divina”. Imediatamente, ambas ajoelhadas na soleira do cemitério, iniciaram a recitação do terço. Não havia ainda terminado as orações quando a velha se sentiu entorpecida do mais doce êxtase, e ao despertar sentiu-se completamente curada, mas a Senhora não estava mais lá. Ela correu rapidamente perguntando a todos pela Senhora, mas ninguém sabia de quem a velha falava. A população comoveu-se ao ver a cura prodigiosa, até a imprensa de Granada comentou o fato milagroso. Todos atribuíram o milagre a antiga devoção local de Nossa Senhora do Espinheiro.

Ivan Rafael de Oliveira

Fontes:
https://www.corazones.org/maria/espino_ns_del.htm
Foto: Virgen del Espino, Chauchina

Deixe uma resposta