Catarina nasceu em Gênova no ano 1447. Embora desde criança quisesse se tornar religiosa, o pai fê-la casar com um homem infiel, colérico e esbanjador.

Depois de cinco anos de matrimônio passado na tristeza, Catarina quis sair do isolamento, e começou a levar uma vida mundana. Entretanto, ela era uma escolhida do Senhor. Por isso, no dia 22 de março de 1473, teve uma iluminação interior e pouco depois, uma visão de Jesus ensanguentado, que provocaram nela uma conversão fulminante. Entregou-se então a penitências extraordinárias e, acompanhada por outras amigas, se dedicou ao serviço dos doentes.

Por esse tempo ocorreu que, por influência da esposa, o marido amansou seu caráter convertendo-se inteiramente, de modo a se fazer terceiro franciscano.

Em 1482 Catarina se transferiu com ele para um local contíguo a um hospital, do qual foi nomeada diretora da seção feminina. Quatro anos depois, ficou viúva.

         A partir daí até a morte, sofreu de uma doença que os médicos mais competentes declararam que era de origem sobrenatural.

         A doutrina de seus escritos, principalmente a sobre o Purgatório, é muito profunda e inteiramente conforme com as verdades da fé. Esse escrito lhe valeu o cognome de “Doutora do Purgatório”. Santa Catarina faleceu no dia15 de setembro de 1510, aos 63 anos. Foi canonizada por Clemente XII em 1737.

Deixe uma resposta