O Site canadense pró família (LifeSiteNews) comenta: “Damares Alves, ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos do Brasil (que recomenda a abstinência sexual dos jovens) respondeu à crescente taxa de doenças sexualmente transmissíveis e gravidez na adolescência, promovendo a abstinência sexual entre adolescentes”.

“Ela está colaborando com uma campanha patrocinada por cristãos evangélicos, apelidada de “Eu Escolho esperar”, que promove ensinamentos cristãos tradicionais sobre sexualidade, castidade e casamento. Alves é líder da comunidade cristã evangélica no Brasil e um dos membros mais visíveis do atual governo”.

Acrescentamos nós: é constrangedor para um católico, — convicto de a Igreja é Guardiã da Moral, — constatar que grande parte de nossos Bispos e a CNBB se mantenham alheios à essa iniciativa do Governo brasileiro.

De fato, é à Igreja que compete primordialmente a Formação Moral. E ao Estado compete secundar a obra da Igreja. O que vemos é a omissão de nossos bispos em aproveitar a ocasião e pregar a Castidade. E o Estado tomar a dianteira dos Valores Morais.

Ativista pró aborto protesta e LDBT protestam

Continua LifeSiteNews: “Defensores pró-aborto e LGBTQ denunciaram a campanha, citando temores de que ela seja efetivamente uma fusão da Igreja e do Estado.”

Perguntamos nós: que mal tem a Igreja e o Estado colaborarem para o bem comum? É preciso muito fanatismo e preconceito para sustentar essa falsa oposição Estado-Igreja. Lembramos que na China Xi Jinping mantém a Igreja Patriótica para secundar a ateisação das massas levada a cabo pelo PC: sejam coerentes, protestem contra isso também.

Também a ativista pró aborto “Debora Diniz disse que o programa terá “terríveis consequências””. Também a Planned Parenthood, a grande fomentadora mundial do aborto, “condena a campanha da abstinência sexual”.

A campanha Choose to Wait afirma que está “centrada na importância de viver uma vida em santidade e pureza baseada nas Escrituras Sagradas”.

Mais uma vez, acrescentamos, onde estão nossas Instituições Religiosas que ficam à margem de tão oportuna ocasião de pregar os Mandamentos que ordenam e protegem a Castidade e a Família?

Sendo esse  o ensinamento duas vezes milenar da Santa Igreja, por quê o silêncio da CNBB?

 Um projeto que legaliza a pedofilia

A Ministra Damares Alves “também ressaltou que os adolescentes estão ainda mais ameaçados por um projeto de lei agora perante o Congresso Nacional que reduziria a idade de consentimento para 12 anos, o que, segundo ela, legalizaria a pedofilia”.

“Após ser nomeado para o gabinete presidencial de Bolsonaro, Alves disse que quer resgatar mulheres e crianças do aborto. “O maior direito humano é o direito à vida… Sou contra o aborto”, disse ela. “Queremos um Brasil sem aborto””.

“O programa de abstinência está programado para começar no próximo mês. Alves escreveu que programas de abstinência nos Estados Unidos foram bem sucedidos em limitar a gravidez na adolescência”.

3 COMENTÁRIOS

  1. […] Recentemente, transcrevemos do Site canadense pró família (LifeSiteNews): “Damares Alves, ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos do Brasil (que recomenda a abstinência sexual dos jovens) respondeu à crescente taxa de doenças sexualmente transmissíveis e gravidez na adolescência, promovendo a abstinência sexual entre adolescentes”. https://ipco.org.br/a-hora-da-cnbb-pregar-a-moral-catolica-abstinencia-sexual-e-formacao-da-juventud… […]

  2. Devemos parabenizar a iniciativa do governo brasileiro em defesa da família, em especial a ministra Damares Alves. Por outro lado, na qualidade de católico me sinto envergonhado por ver que a bandeira da moralidade e dos bons costumes tem ficado nas mãos dos protestantes. O Brasil ainda se “ufana” em ser o maior pais católico da terra. Entretanto, se não fosse as ações da bancada dita evangélica no congresso nacional, muita leis ruins teriam passado neste país. A CNBB não está preocupada com salvação das almas, e sim em fazer revolução no Brasil, apoiando tudo o que é movimento de esquerda, invasões de terra, partidos políticos, etc. Podemos contar nos dedos – si é que existe – em algum sermão de alguma paróquia no Brasil, onde o sacerdote prega a castidade e fala contra o aborto e o “casamento” homossexual.

  3. A Igreja Católica está carente de Sacerdotes que falam sobre os pecados existentes em Romanos, Tobias 8 ( união fora do matrimônio); Lamentações 5;( e muitos mais.Rezemos para que tirem as vendas dos olhos e vejam somente as coisas do mundo. Levantem e andem para a verdade.Não fiquem aprisionados. As pedras falarão, a exemplo dos evangélicos.

Deixe uma resposta