Já houve no passado alguns famosos “Departamentos de Propaganda”. Goebbels e outros são figuras muito citadas, porém, de há muito foram ultrapassados pelas técnicas modernas.

O sofisticado serviço de propaganda da China na medula do Ocidente

Uma investigação revelou que o Washington Post, o New York Times e muitas outras publicações, aparentemente, aceitaram milhões da China comunista para publicar propaganda chinesa calculada para dar a impressão de “naturalidade”.

“O China Daily, porta-voz oficial do Partido Comunista Chinês, publicou centenas de artigos de propaganda projetados para parecerem notícias comuns em alguns dos jornais mais influentes da América”.

A China violou a Lei de Registro de Agente Estrangeiro (FARA)

“Embora agentes estrangeiros possam colocar anúncios nos Estados Unidos, o meio de propaganda (chinês) violou repetidamente a Lei de Registro de Agente Estrangeiro (FARA) ao não fornecer divulgações completas sobre suas compras.

É hora de falarmos sobre a desinformação chinesa paga publicada em jornais ocidentais“O China Daily publicou propaganda nos principais meios de comunicação há décadas, mas não divulgou suas compras de espaço nos jornais americanos ao Departamento de Justiça até 2012.

“Mesmo depois de começar a reconhecer sua relação com os jornais, o porta-voz do regime continuou a violar os requisitos federais de divulgação.

“O China Daily falhou em fornecer detalhes das atividades de gastos e reter cópias de anúncios on-line, entre outras omissões que violam a lei federal, de acordo com especialistas que revisaram anos de seus arquivos da FARA.

Mais de 700 anúncios on-line e 500 páginas impressas em 6 jornais americanos

“O China Daily publicou mais de 700 anúncios on-line projetados para parecer artigos de notícias e comprou 500 páginas impressas em seis jornais americanos nos últimos sete anos”. (fonte: The Washington Free Beacon)

Uma tática que supera as imaginações de Goebbels

“Cada peça de propaganda é disfarçada para parecer um artigo típico de notícias ou comentários dos EUA – e, no entanto, cada uma delas enquadra a China e o governo comunista de uma maneira positiva, aparentemente – enquanto minimiza e critica questões como os protestos de Hong Kong e até o comércio dos EUA.

“Então, essas peças foram e são projetadas para nos enganar – e encher nossas mentes de propaganda e mentiras”.

E conclui: “A China é uma das nossas maiores ameaças”.

  Solapar as relações Brasil-EUA, elogiar tratados Brasil-China

É fato notório que a midia brasileira — que despeja sua artilharia pesada e contínua contra o governo Bolsonaro, contra nosso estreitamento de relações com os EUA —  jamais criticou os tratados, a aproximação Brasil-China.

Muito pelo contrário, expressões como “nosso maior parceiro comercial”, “segunda potência mundial”, “gigante asiático” enchem as páginas de nossos diários.

Intuição, percepção rápida e correlações não nos faltam — até são características nacionais.

Por que será que nossa Midia só sabe elogiar as relações Brasil-China?

Haverá aqui (no Brasil) a mesma tática aplicada pela China de “comprar páginas”, “simular autenticidade” a notícias forjadas em seus laboratórios e com isso tentar manipular a opinião dos americanos e brasileiros?

Não afirmamos, não negamos. O Brasil é por demais importante, rico em alimentos e matéria prima para não ser cobiçado pelo sofisticado Departamento de Propaganda de Xi Jinping.

Resultado de imagem para cristo redentor fotosSaibamos nós brasileiros manter nossa independência, nossa soberania, nossa integridade territorial face às cobiças comunistas de Xi Jinping e suas táticas de guerra psicológica midiática.

A missão Providencial do Brasil é afirmar-se no concerto das Nações como uma potência fiel às suas raizes católicas, à Civilização Cristã, aos Valores Morais. Uma potência anticomunista.

Fonte: https://www.lifezette.com/2019/12/china-paid-millions-left-leaning-pubs-propaganda/

https://www.epochtimes.com.br/hora-falarmos-sobre-desinformacao-chinesa-paga-publicada-jornais-ocidentais/

Deixe uma resposta