Água fresca: Corte Constitucional diz não ao “casamento” homossexual

Em meio à lama que temos de engolir todos os dias do noticiário, um pouco de água fresca: a Corte Constitucional do Chile negou reconhecimento ao “casamento” homossexual, segundo notícia da Agência Católica de Informações (7/11).

Assim diz o Código Civil daquele país: “casamento é um contrato solene pelo qual um homem e uma mulher se unem de fato e indissoluvelmente, por toda sua vida, com o fim de viver juntos, procriar e ajudar-se mutuamente”. Definição, aliás, bem de acordo com a doutrina de Nosso Senhor.

No dia 3 de novembro a corte rejeitou, por 9 votos contra 1, o pedido de três “casais” homossexuais, que queriam seus “casamentos” registrados no país.

Com tanta pressão internacional para a aprovação desse pecado, (e de outros…) o fato toma grande relevância.

Rezemos para que o país irmão rejeite por completo a revolução homossexual, e dê o exemplo para o Brasil, que têm tomado, sobretudo no que diz respeito a decisões judiciais, um caminho tortuoso que vai nos encaminhando a passos largos para o abismo moral.