Benno Hofschulte

Segundo ACI/Europa Press, 80% das mulheres que se submeteram a um aborto sofrem de sintomas depressivos, enquanto que 40% pensou em suicidar-se. Estes são os resultados apresentados numa primeira nota técnica de um grupo de trabalho que se dispôs a estudar os aspectos médicos do aborto. Esse grupo estava integrado no Comitê de Especialistas do movimento espanhol “Derecho a Vivir” (DAV).

O resultado da pesquisa, realizada pela psiquiatra da Universidad de Navarra (UNAV) Carmen Gómez-Lavín, revela outros sintomas relativamente frequentes entre mulheres com Síndrome Post-Aborto como transtornos da sexualidade (40%), abuso de drogas, particularmente entre adolescentes (30%), alterações de conduta (60%) ou irritabilidade (70%).

Os resultados da pesquisa mostram que, em mulheres que se submeteram a um aborto a mortalidade é entre 3,5 a 6 vezes maior durante o período imediatamente posterior à intervenção e no ano que se segue, do que entre as que dão a luz, principalmente por causa de suicídios, acidentes e homicídios. “A incidência de suicídio é entre 6 a 7 vezes maior do que em mulheres que dão a luz”, indica.

Esses resultados científicos põem em dúvida, na opinião da comissão de especialista do DAV, que a proposta legal do “perigo para a saúde física ou psíquica da mãe”, que atualmente é responsável por 90 por cento dos mais ou menos 113.000 abortos praticados anualmente na Espanha, de acordo com os dados de Ministério da Saúde, “ajude realmente a proteger a saúde da mulher”. Pelo contrário, a comissão do DAV se pergunta “se (esta determinação legal) realmente diminui o risco para a saúde psíquica da mãe”.

Concluindo, o DAV considera que “a evidência científica demonstra que submeter-se a um aborto, longe de melhorar a saúde psíquica da mulher, ocasiona na maioria delas graves transtornos psíquicos”.

6 COMENTÁRIOS

  1. Aqui em Manaus os dois médicos que faziam abortos há mais de trinta anos, depois que foram desmascarados, estão foragidos, e o Conselho Regional de Medicina só se manifestou depois de muita pressão da mídia local. Essa é atitude de uma categoria que cuida da saúde das pessoas?

    Como uma leitora daqui comentou em outro artigo, é muita hipocrisia o governo esquerdista querer impor a lei da palmada sendo que um dos seus ideaís é defender o aborto. Ainda falam em questão de saúde pública.

  2. Marinilce,

    que conversa é essa?

    Em primeiro lugar, para sermos claros, não se trata aqui dos “atos”, trata-se de um único, tresloucado e impiedoso ato: O ATO DE ABORTAR e suas consequências: DEPRESSÃO (sem aspas), SUICÍDIO, ALCOOLISMO, ETC…

    Em segundo: Mulheres que abortam merecem respeito como “ser humano”? Às vezes tenho minhas dúvidas se merecem respeito, sabia? As crianças que tais mulheres assassinaram no ventre em nome de algum capricho, são inumanas ou menos humanas para não merecerem delas respeito e compaixão por suas vidas?

    Em terceiro: É mentira ou ignorância sua dizer que o aborto “só poderá trazer danos ao seu organismo; principalmente, no “psíquico” dessas mulheres”. NADA MAIS FALSO! O primeiro dano provocado pelo aborto se dá contra a VIDA do abortado, o bebê que está sendo gerado. E não se trata de um simples DANO, mas de MORTE.

    “Que todas as mulheres procurem amar o seu corpo; tenham amor a sua própria vida; e acima de tudo … se amem …” AH SIM, MAS E O CORPO DO BEBÊ ESTRAÇALHADO PELAS PINÇAS DO ABORTEIRO? ESSE NÃO MERECE AMOR?

    Marinilce, sua visão é HEDONISTA. O hedonista só pensa em si e para si, nunca no Outro.

  3. Antes de julgarmos os atos praticados por determinadas mulheres; indagar os fatos, as razões que a levaram a tomar esta decisão (aborto); precisamos respeitá-las como “ser humano”.
    Em contrapartida, temos que lembrá-las que são “MULHERES”; e que Deus concedeu a beleza, o dom da maternidade. Em virtude de tudo isso, deveriam ter cuidado ao colocar suas vidas nas mãos de terceiros. Colocando suas vidas em risco.
    É lamentável que as mulheres que optam por este ato; sem dúvida, entrarão em estado de “depressão”.
    Creio que esse ato praticado por elas; só poderá trazer danos ao seu organismo; principalmente, no “psíquico” dessas mulheres.
    Que todas as mulheres procurem amar o seu corpo; tenham amor a sua própria vida; e acima de tudo … se amem …

  4. Infelizmente para os fanáticos abortistas argumentos científicos de nada adiantam. E o pior é que eles nos acusam de obscurantistas, moralistas e apegados ao passado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe seu comentário!
Por favor insira seu nome