“O Departamento de Educação dos EUA iniciou uma investigação sobre as universidades de Harvard e Yale (e outras) suspeitas de não reportar centenas de milhões de dólares em presentes e contratos estrangeiros da China e de outros países”, conforme exigido por Lei.

Hanban, “um braço de propaganda do governo chinês”. Institutos Confúcio

“O relatório de 2019 também constatou que as escolas dos EUA inicialmente relataram receber US$ 15,4 milhões diretamente de Hanban, descrito como “um braço de propaganda do governo chinês”.

“Hanban supervisiona os Institutos Confúcio da China, que oferecem programas de língua e cultura chinesas. Os institutos, localizados em campi em todo o mundo, enfrentam acusações de que mantêm o controle sobre os estudantes chineses e minam a liberdade editorial pressionando os professores.” https://ipco.org.br/harvard-yale-universidades-sob-investigacao-hanban-um-braco-de-propaganda-do-governo-chines/

Prof. Charles Lieber e dois pesquisadores chineses. Contrabando de amostras para a China

“Os promotores acusaram Charles Lieber, presidente do Departamento de Química e Biologia Química da Universidade de Harvard, de mentir sobre sua participação no Plano de Mil Talentos da China, que visa atrair especialistas em pesquisa que trabalham no exterior.

“De acordo com um processo judicial, Lieber fez declarações materialmente falsas, fictícias e fraudulentas ao Departamento de Defesa dos EUA sobre seu papel no plano, e aos Institutos Nacionais de Saúde sobre esse papel e também sua afiliação à Universidade de Tecnologia de Wuhan, na China.

“Joe Bonavolonta, encarregado do escritório de campo do FBI em Boston, disse que Lieber recebeu milhões de dólares do governo chinês e que mentiu sobre isso para investigadores federais e funcionários em Harvard.

Acrescenta a notícia: “Dois pesquisadores chineses foram acusados de serem agentes de um governo estrangeiro”.
“Eles eram Ye Yanqing, um pesquisador de robótica da Universidade de Boston que os promotores disseram ter mentido por pertencer a exército chinês”, e “Zheng Zaosong, pesquisador de câncer do Beth Israel Deaconess Medical Centre, foi preso no mês passado no Aeroporto Internacional de Boston Logan enquanto tentava deixar os Estados Unidos com 21 frascos contendo amostras biológicas sensíveis em sua bagagem. Ele planejava voltar à China para continuar sua pesquisa lá, alegam os promotores.
“Os promotores disseram que Ye é tenente do Exército de Libertação Popular Chinês, que não revelou quando obteve um visto para entrar nos Estados Unidos. A acusação é de passar informações sobre pesquisas realizadas na Universidade de Boston para o governo da China”.

  • * * *
  • Esses fatos mostram, mais uma vez, a falta de transparência da China. Uma enorme máquina de suborno e infiltração em universidades americanas (só americanas?) com o fim de clonar tecnologia de ponta, contrabandear amostras, coletar informações sobre pesquisas.
  • Harvard e a Universidade de Boston disseram através de porta-vozes que estavam cooperando com investigadores.
  • Fonte: https://www.scmp.com/news/world/united-states-canada/article/3047966/harvard-chemistry-chair-charles-lieber-charged

Deixe uma resposta