“O ex-presidente do departamento de química da Universidade de Harvard (Prof. Charles Lieber) foi indiciado em 9 de junho por acusações de fazer declarações falsas sobre o financiamento que recebeu do regime chinês, disse o Departamento de Justiça dos EUA.”

Fazia parte do programa Mil Talentos, do PCC

“Charles Lieber, 61 anos, foi preso em janeiro por supostamente mentir sobre sua participação no programa de recrutamento chinês Thousand Talents (Mil Talentos), apoiado pelo Estado chinês. Em 9 de junho, um grande júri federal indiciou-o por duas acusações de fazer declarações falsas às autoridades federais.”

Nosso Site já abordou a infiltração do PCC em universidades americanas. https://ipco.org.br/harvard-yale-universidades-sob-investigacao-hanban-um-braco-de-propaganda-do-governo-chines/

Ligação com laboratório em Wuhan

“O plano de recrutamento (Mil Talentos), que tem como objetivo atrair os melhores especialistas do mundo para trabalhar em projetos na China, atraiu escrutínio de autoridades dos EUA, que dizem que facilita a transferência da propriedade intelectual americana para a China.

“Lieber começou a trabalhar com a Universidade de Tecnologia de Wuhan (WUT) como um “cientista estratégico” em 2011 e esteve envolvido no programa de Mil Talentos de 2012 a 2017 como participante contratual, de acordo com documentos do tribunal.”

“De acordo com o contrato, a WUT pagou a ele um salário de US $ 50.000 por mês, com até 1 milhão de yuans (depois US $ 158.000) em despesas de moradia em três anos, segundo os documentos. Lieber, em troca, trabalharia para a WUT por pelo menos nove meses por ano, solicitando patentes e publicando pesquisas para a WUT, orientando alunos e professores e conduzindo projetos de cooperação internacional.

Programa de pesquisa cooperativa Harvard-WUT … sem autoridade

“Em janeiro de 2013, Lieber assinou um acordo para um “programa de pesquisa cooperativa” de cinco anos em nome de Harvard – sem consultar os funcionários de Harvard – permitindo que os pesquisadores do WUT visitassem dois meses seu departamento de Liquímica a cada ano, de acordo com documentos do tribunal. O objetivo do acordo era promover pesquisas avançadas sobre baterias de íon-lítio à base de nanofios para veículos elétricos”.

Os representantes de Harvard disseram aos investigadores que Leiber não tinha autoridade para celebrar tais contratos.

Violando as leis de Harvard, laboratório em Wuhan

“Ele também recebeu US $ 1,5 milhão por estabelecer um laboratório de pesquisa conjunto na WUT usando o nome e o logotipo de Harvard sem o conhecimento de Harvard – uma violação da política da escola. Quando confrontado por funcionários de Harvard, ele mentiu dizendo que o WUT agia sem o seu consentimento.”

“Em uma pesquisa semelhante do NIH em novembro de 2018, Lieber fez Harvard falsamente dizer ao NIH que Lieber “não tinha associação formal com o WUT” e que “ele não é e nunca participou do programa” Milhares de Talentos da China, auxiliam os promotores.”

***

Lições dos fatos: PCC rouba propriedade intelectual

“O governo (americano) tem intensificado os esforços para combater o roubo de propriedade intelectual sancionado pelo Estado chinês nas instituições acadêmicas e de pesquisa dos EUA.

“No mês passado, o presidente Donald Trump cancelou os vistos de estudantes de universidades afiliadas às forças armadas chinesas em uma tentativa de combater a ameaça de espionagem acadêmica.

***

Foi-se o tempo do “tolo risonho”. O PCC serviu-se da tecnologia, fábricas, investimentos ocidentais desde a suicida política de détente, iniciada por Nixon (1972), para infiltrar o Mundo Live, roubar tecnologia e transformar-se na chamada segunda economia do mundo.

Em boa hora os EUA iniciam a meia volta volver. Japão, Austrália também. É “hora de reconsiderar a colaboração acadêmica com a China”, diz senador australiano Eric Abetz”. https://ipco.org.br/meia-volta-volver-em-relacao-a-china-tambem-na-australia-rejeicao-ao-coronavirus-academico-pcc/

Acordos com o PCC — rotulados de Acordos científicos, culturais, tecnológicos são meras aparências para a China ter os meios de acessar tecnologia, espionar e tentar comprar o nosso Brasil.

E a Huawei é sua arma preferida, com a tecnologia 5G, para mapear nossas informações, nossas riquezas e espionar a favor do PCC.

Fonte: https://www.theepochtimes.com/former-harvard-professor-indicted-for-allegedly-lying-about-china-funding_3382770.html?ref=brief_News&__sta=vhg.uosvpxUIsmqhgvv%7CUFJ&__stm_medium=email&__stm_source=smartech

 

Deixe uma resposta