Por mais que a Mídia (e Xi Jinping) tentem “salvar” a China — de seu grande revés, tendo sido o epicentro do coronavírus, a sua camuflagem do perigo do virus, a punição de médicos que deram o alerta inicial, a negação (inicial) do contágio humano-a-humano — a verdade é que a opinião pública mundial acordou para o grande bluff do chamado gigante asiático: sua credibilidade, transparência e eficácia ruíram face ao mundo livre. E no Brasil, também!

A nova estratégia do PCCh: transformar a derrota numa vitória

(LifeSiteNews) –” O Coronavírus chinês já se espalhou para 150 países. Mas os governantes do país  (China) onde a pandemia começou têm boas notícias: eles declararam, ganharam uma vitória completa e total sobre o perigoso patógeno”.

“Na quinta-feira, veículos de propaganda chineses informaram que não havia “novas infecções do novo coronavírus” em Wuhan, que é o marco zero na pandemia global. Quanto à China como um todo, eles citaram que a Comissão Nacional de Saúde está dizendo que “as transmissões domésticas são zero”.

“O Partido Comunista Chinês está agora anunciando seu “sucesso” em parar o vírus em seus rastros é um modelo para outros países seguirem. “Aprenda com a China”, é a última linha do Partido.

Continua LifeSiteNews: “Se tudo isso fosse verdade, seria o fim mais rápido para uma pandemia na história humana. Seria também um tributo emocionante à eficiência do socialismo chinês e uma espécie de redenção para o país que causou o problema em primeiro lugar”.

Perguntas incômodas … sem respostas

— LifeSiteNews: “Perguntem-se qual é a probabilidade da China ter realmente reduzido o número de novos casos a zero, como afirma? Que no total de 1,3 bilhão de pessoas da China não há um único caso novo?”

Essa pergunta tem todo propósito; um território imenso com 1,3 bilhão de pessoas … como garantir que não há nenhuma nova infecção do vírus?

— Hubei, com cerca de 60 milhões de habitantes, continua em confinamento. Quantos infectados ainda nessa Província? Quando será levantado o cerco que o PCCh impôs à Wuhan e toda a província de Hubei?

Se não há novos infectados até quando durará o cerco? Disso a Midia (e Xi Jinping) não falam.

— LifeSiteNews: “Se o Partido Comunista Chinês tivesse simplesmente permitido que profissionais médicos na China e em todo o mundo fizessem seu trabalho no início do surto, o Coronavírus chinês poderia ter sido confinado ao próprio Wuhan.  Em vez disso, eles colocam a política (comunista) em primeiro lugar, mentiram para o seu próprio povo e para o mundo, e eles ainda estão mentindo hoje”. (1)

Xi Jinping finge ignorar tudo isso. Não pede perdão, não faz o “mea culpa” e agora tenta cantar a vitória e se oferecendo a ajudar a Itália e outros países.

Amordaçando a imprensa estrangeira: expulsão de jornalistas

“A China expulsará jornalistas americanos de cinco meios de comunicação naquele país: The New York Times, The Washington Post, The Wall Street Journal, Voice of America e Time. A medida foi divulgada em um comunicado do Ministério das Relações Exteriores (…) em meio a uma drástica deterioração nas relações entre Washington e Pequim na sequência da pandemia do Covid-19″.

Os jornalistas terão que se apresentar dentro de quatro dias ao Ministério das Relações Exteriores e entregar seus passes de imprensa dentro de 10 dias. A proibição inclui Macau e Hong Kong.

“O comunicado afirma que esta é uma retaliação contra a decisão dos EUA em 19 de fevereiro de impor medidas restritivas aos correspondentes de vários meios de comunicação estatais chineses em seu território, considerando-os um braço da propaganda oficial de seu país”. (2)

“China é o verdadeiro enfermo da Ásia”

Causou o maior desconcerto em Pequim a manchete do Wall Street Journal: A China é o verdadeiro homem doente da Ásia.

“Pequim anunciou nesta quarta-feira a expulsão de três jornalistas do jornal econômico americano The Wall Street Journal em retaliação à publicação naquele meio (de comunicação) de uma manchete que ele havia considerado racista. A declaração do Ministério das Relações Exteriores chinês, na conferência de imprensa diária de seu porta-voz, vem um dia depois que os Estados Unidos impuseram medidas restritivas aos correspondentes de mídia estatais chineses em seu solo, pois eram considerados um braço da propaganda oficial do seu país. Washington condenou a decisão, argumentando que a reação correta é “apresentar argumentos contrários, não restringir a fala”.

A coluna foi intitulada “China é o verdadeiro homem doente da Ásia” (3)

  • * * *
  • A postagem do Deputado Eduardo Bolsonaro, reação intempestiva da China e a Nota do Itamaraty

Tivemos, nestes dias, mais uma prova da pertinácia no erro: é o orgulho de comunistas.

Postou o Deputado Eduardo Bolsonaro: “+1 vez uma ditadura preferiu esconder algo grave a expor tendo desgaste, mas que salvaria inúmeras vidas. […] A culpa é da China e liberdade seria a solução”.

“O embaixador da China no Brasil, Yang Wanming, afirmou que: “A parte chinesa repudia veementemente as palavras do deputado, e exige que as retire imediatamente e peça uma desculpa ao povo chinês (sic)”.

(Recordamos: não se trata do povo chinês e sim do PCCh)

“Pouco depois, a embaixada da China no Brasil postou uma resposta diretamente no perfil de Eduardo Bolsonaro: “As suas palavras são extremamente irresponsáveis e nos soam familiares. Não deixam de ser uma imitação dos seus queridos amigos. Ao voltar de Miami, contraiu, infelizmente, vírus mental, que está infectando as amizades entre os nossos povos”.

A justa reação do Itamaraty, Chanceler Ernesto Araújo:

É inaceitável que o embaixador da China endosse ou compartilhe postagem ofensiva ao chefe de Estado do Brasil e aos seus eleitores. As críticas do deputado Eduardo Bolsonaro à China, feitas em postagens ontem à noite, não refletem a posição do governo brasileiro. Temos expectativa de uma retratação por sua repostagem ofensiva ao chefe de Estado. O Brasil quer manter as melhores relações com o governo e o povo chinês, promover negócios e cooperação em benefício recíproco, sem jamais deixar de lado o respeito mútuo”. (4)

Aguardemos o que dirá a China: mais uma vez o orgulho comunista que nunca reconhece seu erro e não sabe o que é “mea culpa”.

 

(1) https://www.lifesitenews.com/blogs/why-no-one-should-believe-communist-chinas-claim-that-coronavirus-is-under-control?

(2) https://elpais.com/internacional 17 de março

(3) https://elpais.com/internacional/2020/02/19/actualidad/1582109095_616735.html

(4) https://g1.globo.com/jornal-nacional/noticia/2020/03/19/eduardo-bolsonaro-culpa-china-por-coronavirus-e-gera-crise-diplomatica.ghtml

 

Deixe uma resposta