Aos brasileiros, inimigos do Brasil … Por quê?

0

Permita-me o leitor, algumas considerações à margem da fala do presidente Bolsonaro, na ONU.

Seu recente discurso, na abertura da Assembleia da ONU, desagradou profundamente as esquerdas. Tivesse o presidente defendido o Great Reset, o passaporte sanitário, a ditadura dos lockdowns ou a agenda lgbt; bastaria, de sua parte, uma apologia do socialismo, ter usado alguns termos tão ao gosto da chamada “linguagem neutra” e não lhe faltariam manchetes elogiosas na grande midia nacional e mundial.

Para o desconcerto das esquerdas mostrou ele o que o Brasil tem feito em pontos sensíveis como preservação ambiental, produtividade, perspectivas de crescimento; não faltaram referências à família, condenação do comunismo e a crença em Deus.

Esquerda e falso Centrão trabalham contra a imagem do Brasil: lesa-Pátria?

Uma campanha contra o Brasil: lesa-Pátria?

Repercussões e comentários em nossa midia alinhada, sobre o discurso do presidente, deixam claro, mais uma vez, a má vontade e o desejo de torcer contra o Brasil. Torcer para dar errado. “Torço para que ele morra”, até isso já foi escrito em jornal de grande circulação. Outros, lamentam que a facada, em 2017, deu errado.

Certamente, na História do Brasil, nunca se viu uma corrente tão organizada, concatenada, insistentemente contrária aos interesses de nossa Pátria.

Tivemos, é certo, traidores: casos isolados como Calabar, algumas defecções a favor dos hereges holandeses — por exemplo, no histórico massacre de Cunhaú (RN), outras, no Rio de Janeiro, por ocasião da invasão francesa, em 1555.

Ver a imagem de origem

Mas, cogitar que houvesse uma campanha sistemática da parte de compatriotas, seja por parte da Mídia, seja a esquerda, seja de outros setores que tomam a si a missão de denegrir sua própria Terra Natal, aqui e no Exterior, só se explica por um (inexplicável) desejo de ver o Brasil deitado por terra. Apátridas? Lesa-Pátria? Dir-se-ia que está na hora de redefinir os crimes de lesa-Pátria.

Bem outros eram os sentimentos de Bilac, em A Pátria:

  • Ama, com fé e orgulho, a terra em que nasceste!
  • Criança! não verás nenhum país como este!
  • Olha que céu! que mar! que rios! que floresta!
  • A Natureza, aqui, perpetuamente em festa,

Diriam alguns, esquerdistas ou do falso Centrão, que Bolsonaro não é o Brasil. Vejamos.

Derrubar o porta-estandarte é querer derrubar o Brasil

Lembro-me de reflexões do Prof. Plinio, publicadas em manifestos, por ocasião de gigantescas campanhas publicitárias contra a TFP: “golpear o porta-bandeira em plena luta é favorecer implicitamente o adversário.”

“Quem golpeia a causa prejudica o efeito.” (…) “É impossível querer jogar por terra o porta-bandeira sem que ao mesmo tempo por terra caia a própria bandeira.” https://www.pliniocorreadeoliveira.info/Man_660723_respeitosa_defesa_ante_comunicado_CNBB.htm#.YUudxOySmMo

Quem é causa, o que é efeito nesse bombardeio incessante da Mídia alinhada, da CPI Covid, de parlamentares, de membros do Judiciário contra o governo? Como veremos, a causa se chama reação conservadora que derrubou o PT, nas ruas, nas urnas e permanece unida a ponto de reunir milhões e milhões nesse 7 de setembro.

A Causa é a reação conservadora no Brasil

Já mostramos que bastaria o presidente Bolsonaro ter defendido a “linguagem neutra” na ONU, endossasse os delírios revolucionários e ditatoriais do Forum Econômico Mundial (Great Reset), impusesse a nível nacional o passaporte sanitário … bastariam alguns slogans revolucionários e bem outra seria a conduta da midia alinhada.

Vamos adiante. Quem elegeu Bolsonaro? Quem continua a lotar as ruas em manifestações pacíficas, ordeiras, pedindo liberdade de expressão, respeito à Constituição, retorno aos Valores Morais?

Mais de meio milhão vão às ruas, em Washington, em defesa da Vida, em pleno inverno

A onda conservadora norte americana vem de meio século. Conservadorismo aqui, são valores morais, condenação do aborto, reação contra o BLM, contra a destruição que Obama e os Democratas fizeram ou fazem da própria imagem do País.

A onda conservadora brasileira é, em certo sentido, quase secular. Convido os leitores a percorrerem as páginas do livro O Cruzado do Século XX, do prof. Roberto de Mattei, com abundante documentação sobre a reação católica e anticomunista no Brasil do século XX. https://www.pliniocorreadeoliveira.info/Cruzado0000INDICEGERAL.htm#.YUuz5uySmMq

Outro documentário, publicado recentemente, Minha Vida Pública, atesta a força do conservadorismo brasileiro, ao relatar os feitos do Prof. Plinio e da TFP na luta contra o comunismo e a esquerda católica no Brasil. https://www.pliniocorreadeoliveira.info/Minha_Vida_publica/MVP_01_Indice.htm

***

Uma anestesia de décadas, é certo, houve na reação conservadora do Brasil. Não é, entretanto, o objetivo desse artigo. A esquerda católica, grande parte da CNBB, as CEBs foram, sem dúvida, as causas da ascensão do PT ao Poder.

Mas, graças a uma intervenção da Providência divina, essa fase da anestesia passou: a CNBB se desacreditou, o PT caiu e a reação conservadora voltou mais forte, mais vigorosa, entendendo melhor o que é a Revolução. E, também, compreendendo melhor a a natureza e a extensão da Contrarrevolução.

***

Seria muita ingenuidade esperar que a grande Mídia alinhada reconhecesse de público que a grande causa da guerra contra o Brasil vem do desejo de exterminar a reação conservadora. Na medida em que o governo se identifique com essa reação será, também, bombardeado: “retrocesso”, “atos antidemocráticos”, “golpismo”.

Vamos fortalecer o porta-estandarte, manter a bandeira hasteada. Defender os Valores Morais que são o cerne duro da reação conservadora.

O cimento que une esses tijolos são a Lei Natural, os Mandamentos. Vejamos o Patriotismo:

Patriotismo, virtude católica, sentimento de fidelidade

Escreveu o Prof. Plinio:

“O patriotismo é a expressão de um sentimento de fidelidade para com o povo a que se pertence e, especialmente, para com a autoridade tradicional no povo; é uma virtude chegada à piedade filial, que faz com que os filhos amem, honrem e sirvam a seus pais. Aliás, a palavra “pátria” provem, de “pater”, que quer dizer “pai”.

“Assim considerando, a Nação se transforma numa família em ponto grande, e o amor à Nação, ou patriotismo, se torna muito semelhante ao amor que cada um tem pelos membros de sua família. E, da mesma forma que o amor de cada um por sua família não é necessariamente causa de discórdias com outras famílias, antes pelo contrário o amor familiar é um sentimento pacífico; igualmente o patriotismo não é causa de guerras, mas gera a cordialidade entre os povos.

“Mesmo porque o patriotismo é uma virtude tipicamente católica, pois só apareceu e desenvolveu-se pela influência da Igreja.” https://www.pliniocorreadeoliveira.info/LEG_420118_nacionalismo_patriotismo.htm#.YTNgIkuSmMo

***

Eis, porque a esquerda trabalha contra a grandeza do Brasil, contra nosso importante papel no concerto das Nações.

Nossa Senhora Aparecida guie o Brasil, identifique o governo com os anseios profundos do conservadorismo, e dê forças ao nosso povo: “esse ainda será um grande País!”

Deixe uma resposta