Apesar das manifestações simultâneas acontecendo na região e da forte chuva que caiu no início da Marcha, os milhares de manifestantes presentes seguiram corajosamente em frente, em defesa do nascituro e da família tradicional.

O ato se iniciou na Paróquia Imaculada Conceição, na Avenida Brigadeiro Luís Antônio, e desde o início deixou patente a firme decisão dos que lá estavam em continuar a luta pela Vida em quaisquer circunstâncias.

Essa grandiosa “Marcha pela Vida” desafiou não só a mídia esquerdista, que não publicou nenhuma notícia sobre o evento, mas também o clima adverso.

A intensa chuva, longe de desanimar os presentes, contribuiu para que eles desfilassem com redobrado entusiasmo, bradando slogans e ostentando faixas em defesa da instituição familiar.

Os manifestantes caminharam pela Av. Brigadeiro Luís Antônio em direção à Praça da Sé entoando cantos e frases como “Vida sim, aborto não!” e “Salvemos as duas vidas!”.

Ato simbólico: Ao passar em frente ao Hospital Pérola Byngton – Centro de Referência da Saúde da Mulher, houve uma manifestação silenciosa em memória das muitas vítimas do aborto legal realizado ali e em tantos outros hospitais pelo País.
Durante a marcha, muitos dos manifestantes portavam e rezavam seus terços, sozinhos ou em conjunto.

Como já está exaustivamente demonstrado, esse “direito à escolha”, defendido pelo movimento abortista, não passa do assassinato cruel e à sangue frio de um ser humano inocente e indefeso.

Estiveram também presentes representantes do Clero paulista e de diversas Ordens e Institutos Religiosos. Dentre estes, destaca-se a presença do Emmo. Cardeal de São Paulo, Dom Odilo Pedro Scherer, que discursou aos presentes no encerramento.

Como em inúmeras outras marchas análogas pelo Brasil, os membros do Instituto Plinio Corrêa de Oliveira estiveram presentes. Participação que contribuiu para dotar o evento de um charme grandioso, conferido pelos característicos estandartes dourados que, desafiando vento e chuva, se mantiveram erguidos como símbolo do nosso propósito de ir até o fim na defesa dos Valores Morais.

Dom Bertrand de Orleans e Bragança, Príncipe Imperial do Brasil e Diretor do IPCO, também marcou presença na Marcha. Em seu discurso de encerramento, lembrou que o aborto, acima de tudo, é uma grave ofensa a Deus Nosso Senhor. A indignação por esta grave violação dos Direitos de Deus deve ser o principal motivo pelo qual devemos rejeitar o aborto!

Os voluntários do IPCO também coletaram assinaturas contra a ADPF 442 e em defesa do nascituro!

Se você ainda não assinou, clique aqui e faça já a sua parte!

Acima de tudo, o aborto é um pecado!

O aborto provocado — qualquer que seja o pretexto para perpetrá-lo — acarreta a morte cruel e injusta de um ser humano inocente, e por isso constitui grave violação da Lei de Deus.

Desde o século I, a Igreja afirmou a maldade moral de todo aborto provocado. Este ensinamento não mudou. Continua invariável. O aborto direto, quer dizer, querido como um fim ou como um meio, é gravemente contrário à lei moral:

Não matarás o embrião por aborto e não farás perecer o recém-nascido

Deus, senhor da vida, confiou aos homens o nobre encargo de preservar a vida, para ser exercido de maneira condigna ao homem. Por isso a vida deve ser protegida com o máximo cuidado desde a concepção. O aborto e o infanticídio são crimes nefandos.

O que é a Marcha pela Vida?

A Marcha pela Vida, iniciativa popular de manifestação cívica e espontânea, surgiu nos primeiros meses de 2018 frente às tentativas de legalizar o aborto não apenas no Brasil, mas também em diversos outros países da América Latina.

A convocação às manifestações foi bem clara: os povos não querem legalizar o aborto, querem políticas públicas para salvar a vida dos dois.

Estes setores pró-aborto, percebendo que não obterão sucesso pela via parlamentar, tentam “driblar” o sistema democrático e conseguir que o Supremo Tribunal Federal, através da ADPF 442/2017, imponha essa decisão ao Brasil. Por isso, estamos promovendo um abaixo-assinado pedindo uma Emenda Constitucional que defenda eficazmente a vida humana desde a concepção.

1 COMENTÁRIO

  1. Obrigado pela matéria, quando unidos na mesma esperança, ao compartilhar nas Redes Sociais, acrescentei meu comentário:
    Terça-Feira, Outubro 2, 2018

    # Nota P.: Certamente “Deus Criador”, ouve o clamor da “NAÇÃO” para que a injustiça do homem pereça.

    “o aborto, acima de tudo é uma grave ofensa a Deus Nosso Senhor e a indignação por esta grave violação dos Direitos de Deus é o principal motivo pelo qual devemos rejeitá-lo!”

    Dom Bertrand de Orleans e Bragança

    * Atentemos: Há lastimoso clamor nas ruas por falta do vinho; toda a alegria se escureceu, desterrou-se o gozo da terra.

    Isaías 24:11 < https://www.bibliaonline.com.br/acf/is/24/11 >

    No céu tenho quem me defende

    Versão BTPog

    18 Ó terra não escondas o meu sangue

    e não haja sepultura para o meu grito !

    http://pt.bibles.org/por-BPT09/Job/16/18

    A minha testemunha está no céu

    Versão NTLH

    ‘“Ó terra, não cubra o meu sangue, e não haja lugar em que se oculte o meu clamor! ‘

    Jó 16:18

    https://my.bible.com/bible/1840/JOB.16.18

Deixe uma resposta