TFP Student Action (setor universitário de American TFP) tem realizado públicas orações e feito esclarecimentos sobre o “Drag Queen” – uma maquiavélica estratégia de ativistas pró transgênero  para matar a inocência das crianças.

A notícia é de lifesitenews.com, 13 de março: “Durante esses eventos (drag queen), homens vestidos de mulher lêem livros de crianças, geralmente sobre homossexualidade ou transgenerismo”.

Segundo Rex Teodósio, da TFP americana, “Este foi um choque de duas rainhas. Estávamos rezando para nossa Rainha Celestial contra um evento de “drag queen” para crianças, em uma livraria de Indiana”.

“Novo vídeo da Sociedade Americana para a Defesa da Tradição, Família e Propriedade (TFP) mostra um ativista pró-transgênero danificando uma estátua da Virgem Maria enquanto os católicos protestavam em oração” contra a “Hora da história da rainha””. (…) A “cena mostra uma confusão quando uma mulher se levantou e aparentemente deixou cair uma estátua da Virgem Maria que estava no meio dos católicos, incluindo crianças, enquanto rezavam”.(Assista ao vídeo https://www.youtube.com/watch?v=qr6LsGmZz5k)

“Segundo a TFP, foi a intervenção de um dos homens de oração, Christopher Dunlap, que impediu a estátua de quebrar na calçada. Testemunhas disseram que a jovem envolveu os braços ao redor da estátua e a jogou no chão, mas Dunlap interceptou sua queda. Como resultado do incidente, a base da estátua se rompeu e sua coroa foi danificada. “Foi curioso que ela atacou Nossa Senhora diretamente”, Rex Teodosio da TFP escreveu sobre o incidente. “Por que a imagem? A imagem não estava segurando a bandeira, rezando em voz alta ou debatendo com os contra-manifestantes. Era simplesmente uma imagem de Nossa Senhora de Fátima em posição de oração ”. “Então o simbolismo do momento ficou evidente””.

“O agressor foi preso e levado sob custódia pela polícia local que estava no local. O escritório do Procurador Geral de Indiana entrou com acusações contra ela, segundo a TFP. Quando ela estava sendo levada pela polícia para um carro de patrulha, ela gritou: “Eu não sei o que é uma imagem!”

Fomos interpelados por alguns defensores da comunidade LGBT desde o início“, escreveu Teodosio. Entre estes, um homem que “ficava blasfemando contra Deus e a fé católica” e uma mulher que “continuava nos dizendo que não éramos cristãos para julgar e odiar as pessoas ‘queer’”. Mas, “Ironicamente, ela estava nos julgando”, observa a TFP. “Drag Queen Story Hour” é a última tendência no mundo LGBT”.

“As reuniões (drag queen) geralmente acontecem em bibliotecas públicas, além de locais privados. Os manifestantes da TFP terminaram de orar o rosário após o ataque, com Dunlap embalando a estátua em seus braços e sua esposa segurando a coroa quebrada de Nossa Senhora”.

*  *  *

     Destacamos esse comentário da TFP americana: “Foi curioso que ela (a agressora) atacou Nossa Senhora diretamente”, Rex Teodosio da TFP escreveu sobre o incidente. “Por que a imagem? A imagem não estava segurando a bandeira, rezando em voz alta ou debatendo com os contra-manifestantes. Era simplesmente uma imagem de Nossa Senhora de Fátima em posição de oração ”. “Então o simbolismo do momento ficou evidente””.

O simbolismo daquele momento e o simbolismo de todo o sempre: “Maria é a mais terrível inimiga que Deus armou contra o demônio”, ensina São Luiz Grignion de Montfort.

https://www.lifesitenews.com/news/pro-transgender-activist-attacks-statue-of-virgin-mary-outside-drag-queen-story-hour

(Assista ao vídeo https://www.youtube.com/watch?v=qr6LsGmZz5k)

3 COMENTÁRIOS

  1. Nossa Senhora é a verdadeira Arca da Aliança. A primeira, isso é, aquela que guardava o Santo dos Santos, no Antigo Testamento, era apenas a figura d´Ela, que veio depois, e que gerou em Si, por obra e graça do Divino Espírito Santo, o Messias. Portanto, é a real Arca da Aliança. Além disso, e por isso, é a Medianeira de todas as graças; a Mãe e co-redentora do gênero humano. Por esses e outros títulos, tem o direito de ser glorificada como tal. Por essa razão é que São Luís Maria Grignon de Montfort a venera com um culto todo especial, que é o culto que todo o católico deve a Ela. Culto esse querido pelo mesmo Nosso Senhor Jesus Cristo. Portanto, protestantes, os ditos “evangélicos” estão fora da pista em sua obstinação na oposição a esse culto. Culto esse que não é adoração, mas sim de hiperdulia, como assinalam os teólogos e mariólogos. Vê-se que Nossa Senhora é divisora de águas, a pedra de toque. A agressora, pelo visto, faz parte dos “queers”, isso é, dos grupos lgbt; mas também é contra Maria Santíssima; e os “evangélicos” e protestantes se dizem cristãos… apenas para desviar do cristianismo as almas.
    Como falou o insuspeito Edgar Quinet, do séc. XIX: O protestantismo é a porta de saída do cristianismo.

  2. É de constranger, os ataques a Maria santíssima e sua Imagem são frequentes no mundo. Algumas denominações que se dizem evangélicas atacam a Maria Santíssima sem trégua. Aliás, a tônica dos discursos de algumas seitas que se dizem “evangélicas” é o ataque, a calúnia, a injúria e a ofensa a Nossa Senhora que foi a Primeira a receber a Boa Nova, o Evangelho pelas mãos do Anjo Anunciador. Como é possível que indivíduos se digam “evangélicos”, negando a Mãe do Evangelho, da Boa Notícia de Salvação da Humanidade? As demandas gays atacam a Maria, talvez pelo ódio que nutrem de si mesmos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here