Bispo de Uganda comemora fidelidade de mártires africanos, relembra deveres dos católicos

0

KAMPALA, Uganda (LifeSiteNews) – Durante uma peregrinação anual, o Bispo da Diocese de Fort Portal exaltou o legado do santo padroeiro dos catequistas de Uganda em perseverar na santidade e no apoio familiar.

Coral em honra a Santo André Kaggwa

Martírio de Santo André Kaggwa

Dom Robert K. Muhiirwa fez a homilia durante a missa na Basílica Menor de Munyonyo na quinta-feira, 26 de maio. A missa comemorou o martírio de Santo André Kaggwa, padroeiro dos catequistas e professores. St. Andrew Kaggwa estava entre os cristãos de Uganda condenados à morte durante o reinado do rei Mwanga II. Todos os anos, catequistas e professores em Uganda realizam uma peregrinação anual em sua homenagem.

Em sua homilia, o bispo transmitiu os ensinamentos memoráveis ​​de Santo André para a congregação adotar sobre a vida familiar e a vida santa. Ele pediu aos catequistas reunidos e outros católicos que o tomassem como modelo.

“Lembro a vocês, catequistas e crentes, que mantenham a pureza como fizeram Santo André e São Carlos Lwanga com seus companheiros em meio aos obstáculos impuros da sociedade em que viviam”, afirmou.

Featured Image
Dom Robert K. Muhiirwa: “Todo cristão é obrigado a difundir o Evangelho, não apenas com palavras, mas também com atos”

Muhiirwa salientou ainda a necessidade de os homens nas famílias ensinarem a doutrina católica às suas esposas, seguindo o exemplo de Santo André, que ensinou o catecismo à sua esposa Clara. Mais tarde, com o retorno dos missionários franceses a Uganda em 1885, Clara foi batizada pelo Pe. Simão Lourdel.

“As famílias procuram regularmente a intercessão de Santo André Kaggwa para permanecerem santos e sólidos, porque ele foi o primeiro homem em Uganda, com sua esposa Clara, a receber o Santíssimo Sacramento do Matrimônio em 1885”, disse o bispo.

Por que Bill Gates e Soros não ajudam esses africanos católicos?

Vejamos as dificuldades postas por católicos (tíbios) em Uganda: “Nos últimos tempos, muitos católicos se afastaram dos sacramentos, argumentando que eles são difíceis de obter, principalmente quando não há apoio financeiro. Eles também não têm tempo para frequentar cursos de catecismo porque passam muito tempo caçando qualquer coisa para alimentar suas famílias. Isso diminuiu significativamente o desejo de jovens e idosos de aprender sobre sua fé.”

Seria uma boa indicação para Bill Gates e Soros empregarem suas fortunas ao invés de propulsionarem a Agenda Global. E um clamor do Vaticano certamente incentivaria milhares pelo mundo a ajudar os africanos católicos.

Continua a notícia: “O bispo Muhiirwa lembrou à congregação a grande fé de Santo André, na qual ele superou inúmeras provações sem abandonar a vida sacramental. Ele ofereceu o exemplo do santo, ao ouvir um boato sobre seu martírio iminente, levantando-se à meia-noite para viajar cerca de 25 quilômetros até Kampala de Munyonyo para assistir à missa e receber a Sagrada Eucaristia.”

“Todo cristão é obrigado a difundir o Evangelho, não apenas com palavras, mas também com atos”, afirmou o bispo.

Ele também enfatizou aos catequistas a necessidade de serem tão devotos, modestos, confiáveis, honestos e livres de corrupção quanto Santo André.
É o que nos recomenda o Apóstolo São Paulo, é o que sempre ensinou a Santa Igreja. Somente a Cartilha progressista e adeptos da TL ensinam a nova religião voltada para o homem, para o culto da Mãe Terra.

O progressismo fez suas devastações também na África, entretanto, estamos assistindo a mais fidelidade aos ensinamentos da Santa Igreja e repúdio à agenda lgbt.

Rezemos pelos africanos e quem sabe exemplos assim revigorem nosso decadente Ocidente e quicás, alguns bispos do Brasil.

Fonte: https://www.lifesitenews.com/news/ugandan-bishop-exhorts-catechists-to-be-as-holy-as-their-martyred-patron/?utm_source=featured&utm_campaign=catholic

Deixe uma resposta