Bispo remove status católico de escola pró agenda BLM e LGBT

0

WORCESTER, Massachusetts (LifeSiteNews) – O bispo católico da Diocese de Worcester removeu o status “católico” de uma escola administrada por jesuítas depois que ela se recusou a atender suas ordens de não hastear a bandeira LGBT do arco-íris e a bandeira Black Lives Matter.

Hastear bandeira BLM e LGBT promove escândalo

Em um decreto emitido em 16 de junho, o bispo Robert J. McManus repreendeu a Escola de Natividade administrada pelos jesuítas em Worcester, Massachusetts, por ignorar suas diretrizes anteriores sobre o hasteamento das bandeiras “orgulho” e Black Lives Matter (BLM).

Bispo McManus condena agenda lgbt e BLM

“Apesar de minha insistência para que a direção da escola retire essas bandeiras por causa da confusão e do escândalo propriamente teológico que eles fazem e podem promover, eles se recusam a fazê-lo. Isso não me deixa outra opção a não ser tomar uma ação canônica”, escreveu ele.

A escola, fundada em 2007, é para meninos do 5º ao 8º ano e se descreve como “católica romana/jesuíta”. Ele estava hasteando as duas bandeiras desde janeiro de 2021 – por desejo dos alunos, segundo a escola – e substituiu as bandeiras depois que um indivíduo desconhecido as derrubou em março deste ano.

Ao hereje adverte

Lembremos o que diz São Paulo: “Ao herege, depois de uma ou duas advertências, evita, pois que já é perverso e condena-se por si mesmo” (Tito, III, 10).

O bispo McManus havia escrito originalmente em abril de 2022, ordenando que a escola removesse as bandeiras do arco-íris e do BLM sob a ameaça de perder sua identidade católica. “Devo ensinar que é imperativo que uma escola católica use imagens e símbolos que reflitam os valores e princípios dessa escola para ser claro com os jovens que estão sendo formados espiritual e moralmente para o futuro”, escreveu ele.

Agenda BLM e LGBT são condenáveis

Ele reiterou esse aviso um mês depois, quando escreveu uma carta aberta alertando que as bandeiras LGBT e BLM “incorporam agendas ou ideologias específicas que contradizem os ensinamentos sociais e morais católicos”.

A “bandeira ‘Orgulho Gay’ representa o apoio ao casamento gay e a viver ativamente um estilo de vida LGBTQ+”, escreveu McManus, enquanto o movimento BLM “contradiz diretamente o ensinamento social católico sobre a importância e o papel da família nuclear e busca romper a estrutura familiar em clara oposição aos ensinamentos da Igreja Católica”.

Os termos do Decreto

Assim, em seu decreto de 10 de junho, o bispo apelou ao Direito Canônico e ao Dicastério para a Educação Católica no exercício de sua “legítima autoridade como guardião e superintendente da educação católica na Diocese de Worcester”.

Após “consideração em oração”, McManus escreveu para invocar o Canon 381 §1 e ordenar que:

A Nativity School de Worcester está proibida a partir de agora de se identificar como uma escola “católica” e não pode mais usar o título “católica” para se descrever;

• Missas, sacramentos e sacramentais não podem mais ser celebrados nas dependências da Escola da Natividade ou patrocinados pela Escola da Natividade em qualquer edifício da igreja ou capela dentro da Diocese de Worcester;

• A Escola de Natividade não está autorizada a realizar qualquer angariação de fundos envolvendo instituições diocesanas na Diocese de Worcester e não está autorizada a ser listada ou publicitada no Diretório Diocesano;

• O nome do Bispo Emérito Daniel P. Reilly deve ser removido da lista do Conselho de Curadores da Escola Natividade.

“Todos os requisitos dos cânones 48, 49, 50, 51 e 52 foram cumpridos”, afirmou McManus.

LEIA: Pais liberais celebram mostrando a seus filhos fetiches pornográficos e nudez em paradas do “orgulho” LGBT

A notícia continua: “Após a carta do bispo, mas antes de sua publicação no site diocesano, a Escola da Natividade publicou um comunicado revelando que “procuraria apelar da decisão” de ter sua designação católica retirada através dos “canais apropriados fornecidos pela Igreja em circunstâncias como isto.”

No entanto, a escola observou que, ao fazer isso, apesar da ordem repetida do bispo McManus, não removeria as bandeiras de “orgulho” ou BLM.

***

Assim são os progressistas fanáticos pelo aborto, pela agenda lgbt e BLM.

Um bispo corajoso

Embora a escola tenha rejeitado a demanda do bispo e McManus tenha sido difamado no Twitter por apoiadores da escola jesuíta, ele ganhou apoio dos católicos online, com o padre Jesusmary Missigbètò chamando-o de “um bispo corajoso”.

“Deus abençoe o bispo McManus”, escreveu o padre Ronald Vierling. “As bandeiras são meramente representativas de questões mais profundas que colocam a escola em conflito com a autêntica identidade e missão católica.”

Phil Lawler, da Catholic Culture, elogiou McManus, sugerindo que “até onde sei – e tenho observado com cuidado – nenhum bispo americano jamais deu esse passo antes”.

***

O exemplo de D. Vital

“O insigne D. Vital sentiu a necessidade de dizer o seguinte, em um dos seus sermões ao povo de Olinda: “Há hoje toda uma espécie de homens que, negando o princípio da autoridade… pretendem ensinar aos Bispos que devem ser todos doçura e conciliação, sem jamais
fazer uso de uma paternal severidade. Ora, se percorrermos as primeiras páginas da História da Igreja, o que veremos? São Paulo, cujas epístolas respiram a mais suave caridade do Senhor, dizer aos cristãos culpados de Corinto: – “irei a vós de chicote em punho”. E pronunciou contra eles a pena de excomunhão” (Padre Louis de Gonzague, O. M. C., “Monseigneur Vital”, pg. 329). E foi porque essa imprudente unilateralidade de processos apostólicos (em outras palavras, não foi liberal e complacente com o erro) não cravou raízes no espírito do ilustre Bispo que o Brasil venceu uma das mais sérias crises religiosas de sua História.”

Baixe o pdf gratuitamente https://www.pliniocorreadeoliveira.info/EmDefesadaA%C3%A7%C3%A3oCat%C3%B3lica.pdf

Que Nossa Senhora de Guadalupe, padroeira das Américas dê forças aos católicos, ao Clero, aos Bispos para reafirmarem a doutrina perene da Santa Igreja.

Fonte: https://www.lifesitenews.com/news/us-bishop-strips-jesuit-school-of-catholic-status-for-defiantly-flying-pride-and-blm-flags/?utm_source=popular

Deixe uma resposta