Nesta semana, dois grandes revezes para a esquerda. No Brasil, a greve geral convocada pelas esquerdas foi um fiasco. Em Hong Kong, o governo de Carrie Lam, favorável a Pequim, sofre duro revés no seu projeto de extradição.

   De geral, a greve de sexta-feira não teve nada, exceto a propaganda dos organizadores. O fracasso acaba por favorecer o governo, a quem os sindicalistas e partidos que patrocinaram a paralisação pretendiam enfraquecer. Foi uma greve parcial, limitada basicamente a servidores públicos, que têm estabilidade, e a trabalhadores do setor privado afetados pelos piquetes”.1

    A esquerda mobilizou toda a sua máquina de propaganda. “Entre as centrais, estão na articulação a CUT, CTB, Força Sindical, CGTB, CSB, UGT, Nova Central, CSP- Conlutas e Intersindical. E elas não estão sozinhas. Ainda em maio, a Executiva Nacional do PT publicou resolução com estratégias para a oposição ao governo Bolsonaro, que incluem protestos e mobilizações, como as greves gerais”.2

     “”A oposição não tem conseguido se organizar como fazia nos anos 90, por exemplo”, diz o cientista político Sérgio Praça, professor da FGV (Fundação Getulio Vargas). “O enfraquecimento dos sindicatos é um fator importante. Os sindicatos estão sem dinheiro para nada, mal conseguem cobrir os custos administrativos.”” 3

         A realidade que a mídia esconde

        A grande realidade, que a mídia esconde: a “popularidade” esquerda era fruto de propaganda na imprensa, apoio da esquerda católica (incluindo a CNBB), e das verbas polpudas dos governos petistas.

    O verdadeiro suporte do petismo sempre foi a esquerda católica (CPT, CIMI, CNBB) que nos últimos anos perdeu a sua força de contágio. Mas isso a midia esconde e não quer que se diga.

* * *

      Transpondo os mares, vamos a Hong Kong. Também lá a esquerda sofreu um grande revés.

   Sacudida por gigantescas manifestações populares, esse enclave em território chinês, deu um BASTA às pretensões chinesas de intromissão no governo da cidade.

    Nosso site já postou em 11 junho um artigo sobre as gigantescas manifestações em Hong Kong contra a ilegal intromissão da China. (*)https://ipco.org.br/gigantescas-manifestacoes-em-hong-kong-contra-a-influencia-chinesa/#.XQWwx7xKguU

     Apesar das cínicas declarações do embaixador da China no Reino Unido, Liu Xiaoming, à rede de televisão BBC: “O Governo central de Pequim não deu instruções, nenhuma ordem à introdução dessas emendas”, Hong Kong como também Taiwan, sofre as contínuas pressões de Xi Jinping. Entretanto, a ministra-chefe (de Hong Kong) Carrie Lam afirmou que tem “a confiança, o respeito e o apoio” do Governo central em Pequim.4

A razão do recuo da ministra-chefe de Kong Kong: não prejudicar as relações Pequim-EUA

      Observa com acerto o articulista de elpais: “Com a suspensão por tempo indeterminado (do projeto de extradição), o Governo de Hong Kong (simpatizante de Pequim) espera diluir as tensões e evitar que ocorram novas cenas de violência nas ruas, semelhantes às de quarta-feira. As cenas (de repressão às grandes manifestações) teriam prejudicado a posição de Pequim em relação à possível reunião entre o presidente chinês, Xi Jinping, e o norte-americano, Donald Trump, durante a cúpula do G20 em Osaka (Japão) no final do mês.

        Trata-se, pois, de um cálculo político e momentâneo de Pequim a fim de não prejudicar as relações com os EUA em vista a G20. A China sofre uma grande baixa com as tarifas impostas por Trump aos produtos chineses.

       Mais um revés da esquerda. Fracasso da “greve geral” no Brasil, fracasso do projeto de extradição (em Hong Kong) tão desejado pela China comunista.

      No Brasil as manifestações populares culminaram no impeachment de Dilma e na estrondosa derrota eleitoral do PT em 2018

      Em Hong Kong vemos o mesmo desejo de levar avante a reação anticomunista: “Em declarações na sexta-feira, Bonnie Leung, porta-voz do Foro de Direitos Humanos e Civis, responsável pela concentração (no próximo domingo), afirmou que “pedimos que o projeto de lei seja completamente descartado, não somente suspenso. Até que isso ocorra, continuaremos a nos manifestar”.

      Nossas felicitações.

    1 https://gauchazh.clicrbs.com.br/colunistas/rosane-de-oliveira/noticia/2019/06/por-que-a-greve-geral-foi-um-fracasso-cjwwkpcwq00cb01o5umrz5ael.html

    2 – https://www.gazetadopovo.com.br/rodrigo-constantino/artigos/greve-geral-e-apenas-mais-um-ato-fracassado-de-vandalismo-de-vagabundos/

      3 – https://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2019/06/14/medo-de-demissao-e-fragilizacao-de-sindicatos-prejudicam-greve.htm?

    4 – https://brasil.elpais.com/brasil/2019/06/15/internacional/1560580553_193585.html

Deixe uma resposta