Second Annual Ministerial to Advance Religious Freedom in Washington, D.C.       

        A China foi denunciada na 2ª. Reunião anual pela liberdade religiosa organizada pelo Departamento de Estado dos EUA.

       Realizou-se entre 15 e 19 de julho a 2ª. Reunião anual pela liberdade religiosa com a participação e 106 nações. Líderes religiosos e civis de todo o mundo e mais de 100 delegações estrangeiras – lamentamos profundamente não haver nenhuma referência à uma delegação do Vaticano sobretudo por causa da perseguição religiosa contra os católicos chineses, africanos etc

      Denunciada a “sinicização”, um embuste comunista chinês para sufocar e putrefazer o Catolicismo

        Prossegue a notícia do Catholic Herald, 19 de julho: “O Partido Comunista Chinês tem como alvo os muçulmanos uigures, cristãos, budistas tibetanos e praticantes do Falun Gong em sua brutal campanha de “sinicização” para levar a religião à tona sob seu controle, declarou o deputado Chris Smith (RNJ) em seu pronunciamento Ministerial na quarta-feira”.

     “”Sob a sinicização, todas as religiões e crentes devem se comportar e promover agressivamente a ideologia comunista – disse Smith. “O governo tem assediado, vigiado, detido e torturado crentes, queimando Bíblias e cruzes, destruindo igrejas e reescrevendo Bíblias e textos religiosos“, disse ele”.

    “”Os países de maioria muçulmana devem protestar contra esses abusos, mesmo correndo o risco de colocar em risco os benefícios dos projetos de infraestrutura da China e a Nova Rota da Seda”, disse Smith”.

        Ainda segundo o Catholic Herald “Pence reafirmou o apoio dos EUA a “pessoas de fé na China“, independentemente do resultado das negociações comerciais EUA-China. Ele também declarou o apoio do governo à liberdade religiosa na Coréia do Norte, enquanto as negociações continuam sobre a desnuclearização do país”.

     “Certos países ativamente reprimiram ou tentaram intimidar os participantes da Reunião Ministerial, disse Pompeo. Cuba impediu quatro pastores evangélicos de comparecer à Ministerial, e a China tentou intimidar as delegações de outros países a não comparecerem”.

     “”Se você está aqui hoje e é um país que desafiou a pressão chinesa para vir aqui, saudamos você e agradecemos“, disse Pompeo”.

https://catholicherald.co.uk/news/2019/07/19/religious-persecution-is-a-global-problem-pence-and-pompeo-tell-religious-freedom-gathering/

                                                 *  *  *

      Lamentamos que o Vaticano não tenha desempenhado um papel relevante — nesta segunda reunião anual pela liberdade religiosa — nas denúncias contra a liberdade da Igreja Católica na China comunista.

        Como é notório, por notícias de imprensa, após o “Acordo Provisório” Vaticano-China as autoridades comunistas daquele país recrudesceram a perseguição aos católicos, implementando a destruição de igrejas e cruzes. E, permanece a proibição de menores frequentarem os templos católicos.

          Ide, e evangelizai a todos os povos

      “Às nações pagãs não é lícito fechar-se aos que em nome de Jesus Cristo lhes vão anunciar a Boa Nova. Cada vez que um missionário bate às suas portas, vai assistido pela graça de Deus, que dá a todo pagão as luzes necessárias para perceber — se estiver de boa fé — que aquele é um ministro da verdadeira Religião. Assim, se o enxota, não será, ao menos na imensa maioria dos casos, por ignorância mas por pecado. E, esgotados os meios suasórios, devem as nações cristãs usar da força para obrigar os governos pagãos a dar aos enviados de Nosso Senhor Jesus Cristo e da Santa Igreja o direito de exercer livremente a missão que lhes conferiu o próprio Deus. Admitir o contrário seria afirmar que é preciso obedecer mais aos homens do que a Deus”. 

 https://www.pliniocorreadeoliveira.info/1952_017_CAT_Revolu%C3%A7%C3%A3o_bolchevizante.htm

            O princípio vale para os países pagãos e sobretudo para as nações comunistas que perseguem a Santa Fé Católica.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here