JacintaA campanha a favor do nudismo vai se acentuando no País, especialmente através da imprensa escrita e televisiva.

Noticiou-se primeiramente que algumas mulheres foram vistas andando sem roupa em Porto Alegre.

Depois foi a vez de um homem em São Paulo, em plena Avenida Paulista. Esse “espetáculo” foi transmitido inclusive pela televisão, além de fartamente noticiado pelos jornais.

Em uma rua de Goiânia, uma mulher foi também flagrada sem roupa, na chuva, com o filho. Apresentaram-se casos análogos em Arapiraca (AL), São Caetano do Sul (SP), Apucarana (PR), Novo Hamburgo (RS), Santa Bárbara d’Oeste (SP), e ainda outros.

Anunciou-se uma peça de teatro na qual a principal atriz se apresenta nua durante todo o tempo. A imprensa noticia ainda que dormir despido faz bem à saúde…

Alguns meios de comunicação já falam em “febre de andar nu” e outros em que “está virando moda”...

É impossível não ver nesses fatos uma campanha orquestrada em favor do nudismo. Cada notícia que é publicada sobre algum desses fatos relaciona-o imediatamente com outros semelhantes, criando a impressão de um movimento incontenível.

A ação policial, quando ocorre, aparece tímida e desorientada.

Estamos evidentemente diante de um lançamento do nudismo, para ver se pega.

*      *      *

Mas não entenderá bem o que ocorre quem não tiver presente que o nudismo é o termo final de um processo que vem de longe. Ele começou a se fazer sentir quando as primeiras mulheres começaram a encurtar as saias e os primeiros homens a abandonar os paletós. E passou por várias etapas, até chegar nas praias ao seminudismo, que deu um salto de início com o uso do maiô, deste para o biquíni, depois ao topless; e para os homens, a sunga. Em seguida vieram as praias nudistas.

Enquanto isso, nas cidades, das saias curtas para as mulheres passou-se para as minissaias e, mais recentemente, para as microssaias e os shorts; e as bermudas para os homens, usadas muitas vezes sem camisa.

Esse processo, que agora quer chegar ao seu fim com o nudismo completo, tem todas as características de ser induzido, ao menos para quem raciocine um pouco sobre ele. Que pessoas sem religião se rejubilem com isso, não se justifica, mas pode-se compreender. Porém, como é possível que isso ocorra no Brasil, país tradicionalmente católico? E em outros países igualmente de formação católica?

Nossa Senhora disse à bem-aventurada Jacinta, vidente de Fátima: “Virão umas modas que ofenderão muito Nosso Senhor, as pessoas não devem andar com a moda”

COMPARTILHAR
Artigo anteriorLogo e claramente
Próximo artigoCrise na Igreja e a assistência do Espírito Santo
Gregorio Vivanco Lopes
Advogado, formado na Faculdade de Direito do Largo São Francisco. Autor dos livros "Pastoral da Terra e MST incendeiam o Brasil" e, em colaboração, "A Pretexto do Combate Á Globalização Renasce a Luta de Classes".

8 COMENTÁRIOS

  1. A MAÇONARIA VEM PREPARANDO NO RELATIVISMO AS MENTES HÁ MUITAS DÉCADAS…
    “O catolicismo não teme uma espada muito afiada mais do que as monarquias temiam. Mas estes dois fundamentos da ordem social podem entrar em colapso sob a corrupção; nunca nos cansemos de corrompê-los. Tertuliano estava certo em dizer que do sangue dos mártires nascem cristãos; não vamos fazer mártires; mas vamos popularizar o vício entre as multidões; que eles possam respirar isso por meio de seus cinco sentidos; que eles possam beber e ficar saturados. Faça corações perversos e não haverá mais católicos.
    É a corrupção em grande escala que empreendemos… a corrupção que deve um dia permitir-nos conduzir a Igreja à sua sepultura. Ultimamente, eu ouvi um dos nossos amigos rindo filosoficamente sobre nossos ousados projetos, dizendo: “Para destruir o catolicismo, devemos acabar com as mulheres.” A ideia é boa de certa forma, mas já que não se consegue se livrar das mulheres, vamos corrompê-las com a Igreja. Corruptio optimi, pessima. A melhor adaga para atacar a Igreja é a corrupção.” Trecho da carta de Vindice para Nubius; pseudônimos dos 2 líderes da Alta Venda Italiana, de 09/09/1838.
    “Enquanto a modéstia não for colocada em prática, a sociedade vai continuar a degradar” disse o Papa Pio XII. “A sociedade revela o que é pelas roupas que veste.” Da mesma forma, uma pessoa se revela pelas roupas que ela está vestindo. Por exemplo, a moda hoje para as mulheres é ter decotes, camisas justas, calças apertadas**, vestidos justos e/ou curtos. Até pouco tempo atrás, esse tipo de vestuário era indicativo de uma mulher de má fama, atraindo seus clientes para o pecado. Por qual mistério ou lógica são essas modas agora aceitas em famílias católicas?
    A começar de muitas idosas, idem as muitas mulheres e moças nos locais públicos não mais se distinguem das prostitutas nas portas das boites esperando os clientes, não é?
    Ora, as obras da carne são manifestas. São elas: fornicação, impureza, imodéstia… Eu vos previno, como já vos disse, que os que cometem tais coisas não irão obter o reino de Deus. Gl 5,19-21.

  2. Aliás, eu que, infelizmente, mas pela graça de Deus, sou forçado a trabalhar em Shoppings Centers, pude chegar à seguinte conclusão (se eu estiver enganado, por favor, me corrijam): as mulheres que andam semi-nuas, ou com roupas sedutoras e provocativas, desconhecem por total o conceito de auto estima e estão à beira da negação total de sua natureza humana. Quanto aos maridos que expõem suas companheiras desse modo, andando com elas de mãos dadas, estão pouco se importando se estão oferecendo uma mercadoria em exposição. Sem mencionar os homossexuais que passam provocando escândalo com seus maneirismos e excentricidades exóticas. Por muito menos Deus castigou cidades….

  3. Não pega. Já se foi o tempo, há muito tempo em que os índios andavam nus, até eles já se vestem, Mesmo que haja um local muito, muito quente, muito calor, mesmo assim, sempre tem vestido uma roupa, por menor que seja, NÃO PEGA. Não pega.

  4. Lamentamos profundamente por estas pessoas que aderem ao modismo. Infelizmente, por trás do modismo, está a atuação do demônio que quer de todas as formas vencer a luta contra a Virgem Santíssima de Fátima. De um modo quase que geral, os homens e as mulheres estão perdendo a compostura, perdendo o moral. A incredulidade faz o ser humano afastar-se de Deus.

  5. Estou com a seguinte dúvida: que contribuição o nudismo pode dar para
    alguma causa? E qual seria esta causa? De onde eles estão saindo e para onde
    querem chegar? Sim porque se trata de uma campanha orquestrada, e não manifestações isoladas sem relação de causa e efeito entre si!

  6. O costume é uma prática de comportamento que pode variar conforme as circunstâncias. Para as comunidades indígenas o costume de portar-se nu é aceito e considerado legal. Isto é, não ofende a moral e nem tão pouco a legislação. Para as comunidades citadinas não é permitido por lei portar-se nu fora do recesso de seu domicilio. Portanto, as tentativas de “legalizar” o costume de portar-se nu pelas ruas da cidade, têm o objetivo de introduzir na sociedade a aceitação desse comportamento. É uma licenciosidade que fere os costumes.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe seu comentário!
Por favor insira seu nome