Por quê?

Mais uma vez o Agronegócio salvará o Brasil. Por que condená-lo?!

Em ano ruim, o agronegócio poderá salvar as contas externas do País. A exportação de cana trará us$ 12 bi, a de laranja, us$ 2 bi, a de carne bovina, us$ 5 bi, a de café, us$ 5 bi.

É provável que o agronegócio traga mais de us$ 70 bi ao país neste ano. Quero compartilhar com o leitor da Folha um incômodo.

Por interesses distintos e por falta de conhecimento, insiste-se em contrapor no Brasil três coisas que não são contrapostas e que atrapalham nosso planejamento e nosso desenvolvimento.

A primeira é “agricultura contra ambiente” ou “ruralistas contra ambientalistas”. O agricultor tem de ser ambientalista.

A segunda é “agricultura familiar contra agricultura empresarial”. Passa a impressão de que, se é familiar, não pode ser empresarial.

Se é assentado, o agricultor não pode ser competitivo.No Brasil, existe uma só agricultura, a líder mundial.

Somos também um caso raro de país que tem dois ministérios para o mesmo assunto.

A terceira é a ignorância em relação ao conceito de agronegócio. Somos obrigados a ver propaganda eleitoral dizendo que “somos contra o agronegócio, contra a opressão, contra a violência…” e contra tudo o que gera renda – provavelmente a favor apenas da perpetuação da miséria.

(…)O agronegócio brasileiro vem conquistando respeito internacional. Todos querem saber mais para entender o que fizemos e nossa capacidade de suprir o mundo de alimento e energia renovável de maneira sustentável.

Exemplo é a reportagem feita pela revista “The Economist” em 26 de agosto, que diz que “o mundo está enfrentando uma crise na produção de alimentos e deveria aprender com o Brasil”.

O agronegócio gera renda para ser distribuída no Brasil. É um setor que merece respeito e admiração.

Leia artigo completo de Marcos Fava Neves na Folha de S. Paulo, 25 de setembro de 2010.

7 COMENTÁRIOS

  1. @Dante Ignacchitti
    Poxa porque não podemos ganhar todos juntos?
    Vemos que os países mais desenvolvidos do mundo tem em suas bases econômicas a distribuição coerente da renda, onde trabalham em conjunto e todos ganham praticamente a mesma coisa.

  2. Comunismo….socialismo…. ou sei lá do que querem chamar são sistemas falidos e que nunca deu certo em epoca alguma em parte nenhuma desse planeta. quem sabe funcione no inferno….

  3. A falta de conhecimento é porque dos pulpitos das igrejas católicas só se ensina que a propriedade é um roubo, que o agronegócio é o diabo e o comunista o salvador da pátria.

  4. Muito esclarecedora afirmação de que é falso contrapor agronegócio com ambientalismo, agricultura familiar e que o agronegócio é violento etc. Vê-se o papel CRIMINOSO da propaganda esquerdista e da GRANDE MIDIA pela falta de conhecimento.

  5. É dificil mudar esse quadro ideológico nos dias atuais, devido as ideologias que querem impor a esses setores basicos da economia. Quando se fala em familia, lembra logo socialismo ou comunismo. Ambas históricamente já interferiam desastradamente em varias economias do mundo julgando estarem fazendo o melhor para os povos do mundo. No entando o que se viu foi dominação, imposições aos trabalhadores em sistemas escolhidos pelos dominadores. Temos vizinhos que ainda possuem tais idealismos retrogrados – os dois CC – Cuba e Colombia. Cuba já declarou falencia do sistema, mas teima em manter as raizes em outros países. De certa forma o Brasil está importando isso por falta de visão e em detrimento de nossa soberania.

  6. Dante Ignacchitti :

    Somente interessa aos comunistas a pequena, bem pequena propriedade, onde o homem plante o mínimo para sua sobrevivência, em regime de cooperativa, pois assim é mais fácil controlá-lo; eles odeiam a grande propriedade, ou o pequeno agricultor que, graças à sua diligência, tino comercial, dedicação e empenho, possa ir aumentando suas terras, adquirindo as dos vizinhos, até transformar-se em um grande fazendeiro. Por quê? Porque o progresso individual afronta sua gênese de comunista. Porque não há um único comunista que foi bom comerciante, ou profissional liberal, engenheiro, agricultor, pecuarista, enfim, eles têm uma aversão congênita ao trabalho regular, rotineiro e árduo, justamente o que faz o homem crescer, produzir, criar riquezas e empregos. Você conhece algum?

  7. Somente interessa aos comunistas a pequena, bem pequena propriedade, onde o homem plante o mínimo para sua sobrevivência, em regime de cooperativa, pois assim é mais fácil controlá-lo; eles odeiam a grande propriedade, ou o pequeno agricultor que, graças à sua diligência, tino comercial, dedicação e empenho, possa ir aumentando suas terras, adquirindo as dos vizinhos, até transformar-se em um grande fazendeiro. Por quê? Porque o progresso individual afronta sua gênese de comunhista. Porque não há um único comunista que foi bom comerciante, ou profissional liberal, engenheiro, agricultor, pecuarista, enfim, eles têm uma aversão congênita ao trabalho regular, rotineiro e árduo, justamente o que faz o homem crescer, produzir, criar riquezas e empregos. Você conhece algum?

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe seu comentário!
Por favor insira seu nome