A preservação do esporte para estudantes do sexo feminino é chamada de projeto de lei aprovado em Utah, que visa impedir que homens biológicos participem de tais atividades. Vários estados cujo governo é dirigido por conservadores estão aplicando a mesma estratégia.

Noticia scmp.com: “Diante de um governo “progressista” como o de Joe Biden, que impôs por decreto executivo a promoção e a imposição de transgêneros no esporte feminino, estados com governo republicano buscam proteger meninas e adolescentes.”

Especificamente, este decreto aprovado pelo democrata estabelece que “as crianças devem ser capazes de aprender sem se preocupar se não terão acesso ao banheiro, vestiário ou esportes escolares”. Ou seja, as casas de banho, que em princípio são um espaço privado onde se protege o mais íntimo, também serão “integradas”.

Projeto proíbe transgêneros de competir em esportes juvenis femininos

Por isso, os conservadores disputam e lutam. Um comitê da Câmara dos Representantes de Utah propôs um projeto de lei que proibiria atletas transgêneros de competir em esportes escolares exclusivamente femininos, desde a pré-escola até o último ano do ensino médio (K-12).

Com uma votação de 8-6, o projeto de lei de preservação dos esportes estudantis foi aprovado pela legislatura local e avançará para a Câmara estadual para o próximo nível de aprovação.

O projeto de lei de Utah “proíbe que um aluno do sexo masculino participe de uma atividade esportiva designada para estudantes do sexo feminino” e exige que as instituições educacionais “designem as atividades esportivas por sexo”.

***

A deputada estadual Kera Birkeland disse que “Esses indivíduos que se identificam como homens no nascimento estão quebrando recordes que nenhuma mulher jamais será capaz de alcançar. Eles estão recebendo campeonatos, títulos e bolsas de estudo de nossas atletas. Dizer que isso está afetando nossas atletas seria um eufemismo ”, acrescentou.

Acrescentamos que essa não é a única razão que se pode alegar contra a participação de transgêneros em esportes juvenis femininos.

***

O doutor em história pela Universidade Notre Dame, Aurelio Valarezo Dueñas (também esgrimista), destaca em uma coluna como a incorporação dos homens ao esporte feminino também prejudica as mulheres academicamente, pois reduz suas chances de acesso a bolsas esportivas, o que nos sua vez, causa-lhes danos econômicos.

Também o governador do Tennessee, Bill Lee, aponta isso.

Continua scmp.com: “Atletas transgêneros “vão arruinar a oportunidade para as meninas”, observou Lee recentemente. O Tennessee está apresentando um projeto de lei que exigiria que os atletas das escolas provassem que seu sexo é compatível com sua certidão de nascimento para competir.

Outros estados também aderiram à iniciativa com projetos de lei semelhantes em Dakota do Norte, Oklahoma, Minnesota, Kentucky, Missouri, Ohio, entre outras jurisdições.

Fonte: https://panampost.com/mamela-fiallo/2021/02/13/estados-conservadores-frenan-la-agenda-lgbt-de-biden-en-deportes-juveniles/

Deixe uma resposta