Procurador Procurador Geral da Nação,
Alejandro Ordóñez Maldonado

A Corte Constitucional da Colômbia não aceitou o pedido de modificar a definição legal do casamento e manteve a fórmula do Código Civil que só o reconhece entre “um homem e uma mulher”, noticiou a agência ACI.

Um advogado do lobby sodomita pediu suprimir essa definição legal para introduzir o “casamento homossexual”.

Ele alegou “direitos humanos” que, segundo a agência, na realidade eram “escusa para favorecer o lobby homossexual”.

O Procurador Procurador Geral da Nação, Alejandro Ordóñez Maldonado demonstrou que a demanda “não expunha razões claras, certas, específicas, pertinentes e suficientes” e lembrou que a Corte Constitucional “não pode desconhecer os requisitos essenciais estabelecidos pela Constituição” para a família.

Porém, temia-se o pior, pois essa Corte vinha agindo segundo critérios ideológicos e atropelando a própria Constituição que deve defender, e já havia descriminalizado o aborto e a eutanásia.

Não corrompam nossas crianças através da “Ideologia de Gênero”

A Ação Jovem do IPCO está promovendo uma campanha nacional de abaixo-assinados que serão enviados para o Presidente Michel Temer pedindo a exclusão da satânica "Ideologia de Gênero" da Base Nacional Comum Curricular - BNCC.

Clique aqui e assine já!

 

6 COMENTÁRIOS

  1. Enquanto o ilustríssimo senhor ex presidente Luís Inácio Lula da Silva em Dezembro de 2009 assina o PNDH3, institucionalizando o aborto e o casamento homossexual, coisa que que tem rejeição por 82% da população,mostrando o quão retrógrada é, aparece um Procurador na Colômbia e revoga a lei em nome dos bons costumes e da família. Nem tudo está perdido na América do Sul, agora é só torcer para que esta dinastia de políticos anti patriotas e de muita ideologia como a maioria que integram o PT desapareçam do mundo político e dêem lugar a outras pessoas com patri8otismo. Puderas termos 6 pessoas na tempera deste grande homem da Colombia

     
  2. É verdade, fiquei sabendo através de amigos colombianos que a corte suprema da Colombia é muito parcial. Ainda bem que neste caso agiram de acordo com o que diz o bom senso: homem é homem e mulher é mulher.

     

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe seu comentário!
Por favor insira seu nome