Cuba: teste para a esquerda brasileira e a “Terceira Via”

0

A ditadura castrista (62 anos) reprime duramente a população que vai às ruas pedindo liberdade, direitos que nos advém de nossa natureza inteligente e livre, garantias, propriedade, livre iniciativa. Enfim, valores do Mundo Livre.

Teste de sinceridade

Um teste de “sinceridade” da China, da Rússia, das esquerdas brasileiras: vão apoiar a repressão popular em Cuba?

E a chamada “terceira via” brasileira vai ficar em silêncio?

“Atualmente, existem centenas de detidos. Hoje, em Cuba, a perseguição pelas forças do regime de Castro também estourou e eles desenvolveram métodos para isolar ainda mais os cidadãos que se manifestam contra a ditadura. A interrupção do acesso à internet é uma das medidas mais veementemente condenadas pela comunidade internacional, recentemente.”

Julgamentos sumários

Da mesma forma, tornou-se prática comum a realização de julgamentos sumários de manifestantes, impondo penas que até agora chegam a um ano de reclusão, sem a possibilidade de haver defensores.

Sim, em Cuba, como nos países comunistas, incluindo a China de Xi Jinping, não se pode contrariar a “narrativa” do PC.

“Para saber mais sobre a situação na ilha após os protestos e o que pode acontecer nos próximos dias, o PanAm Post entrevistou Antonio González Rodiles, ativista político cubano e chefe de Estado do SATS, um projeto independente que incentiva a discussão sobre a política cubana atual.”

Como está Cuba hoje?

“O controle e a perseguição permanecem depois dos protestos em Cuba. Muitas vezes as pessoas não conseguem ficar em parques públicos e o serviço de internet continua interrompido, indica Rodiles segundo informações enviadas por ativistas da ilha. O grupo de monitoramento de internet, NetBlocks, reportou desde 12 de julho a suspensão parcial das redes sociais e plataformas de mensagens. Atualmente, o serviço continua travando por várias horas.”

“Continuam a passar pelas casas das pessoas que estiveram nos protestos. Eles estão revisando vídeos e identificando aqueles que não tinham visto antes, “detalha o ativista. Para Rodiles, o número de detidos pode ser “muito maior” do que o registrado por organizações independentes. “A segurança do Estado avisa as famílias dos detidos para não contatarem nenhuma agência de notícias ou ativistas estrangeiros, porque será pior para eles”.

Teste para as esquerdas e o falso Centrão

“Apenas 163 pessoas foram libertadas dos 704 detidos registrados no site cubamissing.com, criado por ativistas, voluntários e organizações não governamentais como Raíces de Esperanza e Cubalex. (…) “O objetivo é dar castigos exemplares e espalhar o terror, é o que fizeram desde a tarde de domingo, 11 de julho, para espancar e espancar as pessoas que saíam”, afirma.”

Os familiares podem reclamar, mas não existem recursos com carácter vinculativo para que o regime se pronuncie sobre as penas, indica Rodiles. “Não existe um sistema legal ou jurídico em Cuba, que não existe. É uma pantomima. Quem decide esses processos é a segurança do Estado, e quando este diz a um juiz o que fazer, ou ele o faz ou vai para a prisão.”

E a chamada “Terceira Via” que tenta abrir uma vaga no panorama nacional? Condenou Cuba?

Vejamos os protestos do Centrão; da esquerda, já vimos: solidariedade com a repressão cubana. Esse é o teste de sinceridade, se é Centro, então, condene a repressão em Cuba. Ou será que suas baterias se voltam apenas contra o governo Bolsonaro e contra o conservadorismo brasileiro?

Fonte: Cuba hoy: entre juicios exprés a detenidos y el misterio de los militares muertos (panampost.com)

Deixe uma resposta