Com essas palavras: “Vitória da petição: Edgewood College remove planned parenthood como um “recurso de bem-estar”, TFP Student Action publica um alentador artigo de Domenick Galatolo, jovem da TFP americana.
Em 31 de outubro de 2019, a TFP Student Action lançou uma petição pedindo à Edgewood College, uma instituição católica dirigida por irmãs dominicanas, para remover a Planned Parenthood de seu site em “Recursos de Bem-Estar Fora do Campus”. Em poucos dias 15.231 petições assinadas e Planned Parenthood foi removido do site da faculdade.

A petição bem-sucedida da Ação estudantil da TFP diz o seguinte:

A Sr. Mary Ellen Gevelinger, O.P., Ed.D.
Presidente interino, Edgewood College

Como um defensor da vida inocente, eu respeitosamente  venho exortá-la a remover permanentemente Planned Parenthood no site do Edgewood College em “Off-Campus Wellness Resources”.

Planned Parenthood é a antítese do bem-estar. Não só o mega provedor de aborto rouba a vida inocente de inúmeros bebês pré-nascidos, mas também desencadeia a morte espiritual dos envolvidos com cada aborto adquirido, que é um pecado grave contra Deus, o Criador da vida.

Obrigado por sua atenção imediata.


TFP Student Action gostaria de agradecer aos 15.231 alunos, pais e ativistas pró-vida que participaram deste protesto pacífico, pedindo a remoção da página que favorecia a Planned Parenthood.

“Todo verdadeiro católico sabe que o aborto voluntário é imoral”, disse o diretor de TFP Student Action (ação estudantil da TFP), John Ritchie.

“Como uma instituição católica, Edgewood College nunca deveria ter incluído Planned Parenthood como uma opção de “bem-estar” para os alunos, em primeiro lugar, porque o provedor de aborto é diretamente responsável por derramar sangue inocente, o que ofende tanto a Deus.”

O aborto não é um direito

“O aborto não é um direito”, continua Ritchie. E matar o nascituro não é uma escolha legítima. Então, eu realmente espero que mais faculdades católicas farão todo o possível para avançar a causa do nascituro, a família tradicional e a moral cristã.

Precisamos voltar a esse código moral baseado nos Dez Mandamentos e na lei natural que tornaram a América grande. Os alunos não devem mais ter medo de afirmar isso e enfrentar uma cultura “politicamente correta” que afirma que não há certo e errado.”

“Estou muito grato a todos que assinaram a petição”, disse Ritchie. “Quando nos unimos e defendemos o direito à vida e lutamos pelo futuro da família, podemos fazer uma grande diferença. Então, vamos continuar lutando a boa luta com mais entusiasmo e mais devoção!”

* * *

Nossos parabéns à TFP americana em seu esforço para defender a trilogia: Tradição, Família, Propriedade no Hemisfério Norte.

Deixe uma resposta